Os cinco melhores jogadores do Chelsea na temporada

Os Blues estão se preparando para o último jogo da temporada, a final da Europa League contra o Arsenal, no Azerbaijão, no dia 29 de Maio. Porém, pode-se dizer, o desenrolar das competições já foi capaz de mostrar os principais nomes do time sob o comando de Maurizio Sarri. Por isso, temos uma lista com os cinco jogadores que mais se destacaram na temporada 2018/2019:

5º) César Azpilicueta

O espanhol jogou a temporada inteira em sua posição de origem, a lateral direita (Foto: Robbie Jay Barratt)

Pela primeira vez em sua carreira no Chelsea, o espanhol jogou uma temporada inteira na sua posição de origem, a lateral direita. Ele costumava jogar como lateral esquerdo quando chegou aos Blues, nos tempos de José Mourinho, substituindo Ashley Cole, que na época vinha em decadência. Já com Antonio Conte, ele costumava ser usado como um zagueiro pela direita em uma linha de três defensores.

Já Sarri o via desde o início da temporada com uma função equivalente a de Elseid Hysaj, no Napoli do próprio italiano. Hysaj costumava jogar como lateral direito, fechando os espaços na defesa e se tornando muitas vezes um terceiro zagueiro, liberando para o ataque Faouzi Ghoulam na lateral esquerda, assim como Sarri tentou fazer com o espanhol Marcos Alonso no Chelsea, sem tanto sucesso.

Fato é que Azpilicueta foi bastante regular na temporada e, apesar de não chamar tanta atenção quanto em temporadas anteriores, seguiu como o líder da equipe em divididas na Premier League, com 105. Os próximos da lista estão bem distantes, com Jorginho e Marcos Alonso chegando a 76 e 74 divididas, respectivamente. Vale ressaltar que o espanhol foi o jogador do Chelsea com maior número de interceptações entre os defensores, com 43.

4º) David Luiz

David Luiz teve uma temporada de altos e baixos (Foto: Reprodução)

O brasileiro alternou bons e maus momentos na temporada. Se por vezes cometia falhas graves que resultavam em gols adversários em algumas partidas, por vezes também fazia jogos perfeitos. Ele também demonstrou sua técnica em diversas oportunidades, principalmente no início da temporada, quando constantemente fazia ótimos lançamentos procurando os pontas ofensivos, ajudando muito na construção de jogadas.

Vale lembrar também que o brasileiro é, atualmente, um dos jogadores mais identificados com a torcida no elenco, além de ser um dos jogadores com maior história no clube.

Luiz é disparadamente o jogador com maior número de tiradas de bola na Premier League, com um total de 144. Jogadores como Antonio Rüdiger e Marcos Alonso obtiveram 95 e 86, respectivamente.

3º) Callum Hudson-Odoi

Hudson-Odoi recebeu o prêmio de jogador jovem do ano na Inglaterra (Foto: Sky Sports)

Uma das melhores surpresas da temporada foi o crescimento do ponta inglês, que gerou interesse até mesmo do Bayern de Munique. Odoi cresceu no momento em que Pedro e Willian permitiram sua ascensão.

Ao observarmos os números, vemos que Pedro fez 12 gols no total da temporada, enquanto Willian fez oito. Odoi, por sua vez, fez apenas cinco, mas foi capaz de chamar mais atenção do que o espanhol e o brasileiro.

Isso se deu por diversas razões. Dentre as principais estão a velocidade do inglês no um contra um e a capacidade de levar o jogo para o nível individual, chamando as jogadas para si quando a inércia tomava conta do sistema de ataque definido por Sarri.  Além disso, deve-se destacar a personalidade do jovem de 18 anos, que mostrou que pode ser um titular absoluto na próxima temporada.

Sua temporada foi coroada com o merecido prêmio de melhor jogador jovem da temporada na Inglaterra.

2º) Antonio Rüdiger

Rüdiger teve sua melhor temporada com a camisa do Chelsea (Foto: Getty Images)

O zagueiro alemão teve, sem dúvidas, sua melhor temporada pelos Blues. Isso não significa que ela foi perfeita, longe disso. Assim como David Luiz, Rüdiger falhou em momentos importantes, oferecendo algumas oportunidades de gol para times adversários.

Todavia, levando em consideração que o esquema de Sarri naturalmente expõe os zagueiros ao um contra um constantemente, pode-se dizer que Rüdiger foi um dos melhores jogadores da temporada, mostrando velocidade, força e tempo de bola.

Na Premier League, foi o jogador do Chelsea com o maior número de batalhas aéreas vencidas, com 83, uma a mais do que o vice-campeão no quesito, David Luiz, com 82.

O alemão oferece ao time algo que falta em quase todas as posições da equipe titular: força física. O time do Chelsea é extremamente leve e rápido. Posições que são normalmente preenchidas por jogadores fortes e físicos no mundo do futebol, como o primeiro volante e os laterais, nos Blues são representadas por jogadores técnicos e rápidos, como Jorginho, Azpilicueta, Marcos Alonso e Emerson Palmieri.

Dessa forma, percebe-se que a presença de Rüdiger na zaga é essencial para o funcionamento do time, o que ficou claro nas partidas em que teve que ser substituído por Andreas Christensen, quando o nível de intensidade claramente diminuía.

1º) Eden Hazard

Hazard foi o maior destaque dos Blues na temporada (Foto: Reprodução)

O belga foi disparadamente o melhor jogador do Chelsea na temporada 2018/2019. Os 19 gols marcados e as 16 assistências feitas contando todas as competições nem foram os feitos mais impressionantes de Hazard, e sim a forma como liderou o Chelsea com regularidade.

Gols, assistências, chances criadas, puxadas de contra-ataque, enfiadas e dribles fizeram parte do repertório constante do meia atacante, que se mostrou incansável e tentou compensar sozinho a falta de brilhantismo e criatividade do resto do elenco.

Na Premier League, foi o líder do time em gols, com 16, e em assistências, com 15. Em termos de grandes chances criadas, foi o segundo colocado entre todos os jogadores das 20 equipes que disputam a competição, com 18, ficando atrás apenas de Ryan Fraser, do Bournemouth, que criou 28 grandes chances.

Ele terminou a temporada recebendo três prêmios importantes: o melhor jogador do Chelsea na temporada, o melhor gol da temporada (na vitória de 2 a 1 sobre o Liverpool em Anfield pela Carabao Cup) e o melhor jogador do ano (eleito pelos jogadores).

Com o aumento das especulações envolvendo a ida de Hazard para o Real Madrid e a provável punição da FIFA que pode impedir o Chelsea de contratar nas próximas janelas de transferências, se torna cada vez mais importante para o Chelsea que jogadores jovens como Odoi e Ruben Loftus-Cheek ganhem mais espaço e apresentem maior protagonismo. Além disso, a volta de jogadores emprestados pode ser outro caminho caso a saída de Hazard e a punição da FIFA se concretizem.

Por fim, vale destacar o desempenho de alguns jogadores que não entraram na lista. O primeiro deles N’Golo Kanté, que teve uma boa primeira temporada jogando como meia pela direita. Já o goleiro Kepa Arrizabalaga começou mal, mas veio se recuperando e termina a temporada com o moral elevado.

Olivier Giroud foi péssimo na liga doméstica, mas artilheiro na Liga Europa. Ademais, vale ressaltar a ótima temporada de Loftus-Cheek, que veio contribuindo com gols e assistências tanto na Premier League quanto na Liga Europa.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Bruno Pizarro