Com placar bailarino, Chelsea perde para o Liverpool

Os Blues lutam, mas não conseguem frear o ímpeto do campeão

O Chelsea perdeu para o Liverpool por 5-3 na penúltima partida da Premier League. Os Blues até tentaram, mas não conseguiram frear o ataque dos anfitriões. Os gols azuis foram marcados por Giroud, Abraham e Pulisic. Com o resultado, os Reds se mantêm invictos em casa. Já os Blues ainda precisam de um ponto para garantir a vaga para a próxima edição da Champions League.

Primeiro tempo recheado de gols

O Chelsea começou bem o primeiro tempo impondo o estilo de posse de bola. Assim, o primeiro lance de perigo veio logo aos oito minutos em cruzamento de James para cabeçada por cima de Mount. Ou seja, os alas dos Blues começaram ativos na partida. Apesar disso, quando fica com a bola, o time da casa consegue colocar intensidade e trocar bons passes até a intermediária ofensiva.

A defesa do Chelsea

A zaga dos Blues não encaixou a marcação nos adversários (Foto: Getty)

A segunda oportunidade veio pouco menos de 10 minutos depois, novamente com James. O lateral avançou até a entrada da área e bateu para fora. Entretanto, o Liverpool já fica mais tempo com a bola nos pés e tenta povoar o campo de ataque. Após a pressão inicial, o Chelsea se retraiu e, aos 23 minutos, sofreu o empate. Willian perdeu a bola na intermediária defensiva, que sobrou para Keita acertar de longe um chute forte no ângulo.

Aos 35, os anfitriões ampliaram o placar com Alexander-Arnold, após cobrança de falta inexistente. Quase dez minutos depois, o Liverpool amplia com Wijnaldum, após bola perdida dentro da área. Entretanto, cinco minutos depois, Giroud diminui para os visitantes após rebote de Alisson em chute de Willian.

Problemas de mentalidade escancarados

O Chelsea começou melhor a partida, mas foi necessário somente um lance de infelicidade para que todo o despreparo emocional do time fosse evidenciado. Logo em seguida, uma falta mal assinalada resultou no segundo gol. Portanto, o terceiro foi só o resultado do “apagão”. Felizmente para os torcedores azuis, Giroud confirma mais uma vez a sua importância com um gol no último lance do primeiro tempo.

Assim, os Blues precisam de dois gols para assegurar a vaga para a próxima Champions já nesta partida. Todavia, para isso acontecer, Lampard precisa resgatar a confiança dos atletas já em campo. O caminho para a vitória passa novamente pela atuação dos alas e infiltração dos pontas para finalização de Giroud.

Segundo tempo de decepções

No segundo tempo, o Liverpool confirmou a superioridade aumentando o placar logo nos primeiros 10 minutos. Firmino completou de cabeça cruzamento de Alexander-Arnold. A resposta do Chelsea veio na forma de substituições. Assim, Pulisic, Abraham e Odoi entraram no lugar do trio de ataque titular.

Logo no primeiro lance, Pulisic dribla três e dá o passe no meio da área para Abraham completar. Assim, novamente faltavam dois gols para a classificação. Poucos minutos depois, Pulisic teve a sua chance de diminuir ainda mais, mas chutou para fora. Portanto, o jogo ficou mais aberto a partir do quarto gol dos campeões.

Pulisic entrou bem

Pulisic entrou para ser o melhor em campo pelo lado azul (Foto: PL)

Assim, aos 72’ Pulisic colocou de vez o Chelsea no jogo. Em escapada pela direita de Odoi, o inglês cruzou para o norte-americano dominar, girar e finalizar de dentro da área, sem chance para Alisson. Além disso, méritos para Lampard, que faz as substituições funcionarem mais uma vez.

Todavia, o Liverpool mostrou porque sagrou-se campeão com tanta folha quando, aos 84’, matou de vez a partida com gol de Oxlade-Chamberlain, cinco minutos após entrar em campo. O gol foi um banho de água fria no torcedor londrino, que ainda acreditava com o empate. Assim, a partida terminou com 5-3 para os Reds, deixando os Blues precisando ainda de um ponto para se classificar para a Champions League.

Ficha técnica

Chelsea (3-4-3): Kepa; Azpilicueta, Rudiger, Zouma; James, Jorginho, Kovacic, Alonso (Emerson 88’); Willian (Pulisic 59’), Mount (Odoi 59’) e Giroud (Abraham 59’).

Reservas não utilizados: Caballero, Tomori, Christensen, Loftus-Cheek, Pedro.

Liverpool (4-3-3): Alisson; Alexander-Arnold, Gomez, Van Dijk, Robertson; Fabinho, Wijnaldum (Milner 66’), Keita (Jones 66’); Mané (Minamino 87’), Salah (Chamberlain 79’) e Firmino (Origi 87’).

Reservas não utilizados: Adrián, Lovren, Lallana, Shaqiri.

Gols: Keita 23’, Alexander-Arnold 37’, Wijnaldum 42’, Giroud 45+3’, Firmino 55’, Abraham 61’, Pulisic 73’, Chamberlain 83’

Cartões amarelos: Gomez 82’

Árbitro: Andre Marriner / Stuart Attwell (VAR)

Lucas Jensen

Jornalista que ainda acredita que o futebol pode ser apreciado sem torcer (mas não se segura e torce mesmo assim). Fã de tática e do jogo reativo, se deleita nos contra-ataques e toques 'de primeira'. Amante racional da Premier League e nostálgico do Calcio, seus hobbies incluem teorias mirabolantes e soluções inusitadas.