Um ano de Mendy: a superação na carreira e a temporada dos sonhos

Thibaut Courtois, Asmir Begović, Kepa Arrizabalaga e Willy Caballero. A lista de goleiros que separam Petr Cech e Édouard Mendy não é tão extensa quanto os cinco anos entre a saída de um e a chegada do outro pareceram aos Blues. No entanto, por mais caros ou mais reconhecidos que alguns da lista possam ser, nenhum atingiu a segurança na meta londrina transmitida por Mendy.

Recebido com expectativa pela torcida, mas sem badalação, o camisa 16 soube conquistar a confiança do lado azul de Londres com atuações seguras e defesas providenciais. Ademais, neste dia 29 de setembro completa-se um ano da chegada do arqueiro senegalês ao Chelsea. Data que marca o ápice de uma carreira singular e uma movimentação essencial para a conquista da última Champions League.

A trajetória até Londres

Apesar de defender a seleção senegalesa, Mendy nasceu na França e foi por lá que iniciou sua carreira em 2011 pelo modesto AS Cherbourg, então na terceira divisão local. Em resumo, o arqueiro faria parte do elenco em dois rebaixamentos consecutivos e, não bastasse chegar à quinta divisão, o arqueiro se viu desempregado e abandonado por seu empresário.

“Desempregado aos 22 anos, eu fui praticamente abandonado pelo meu agente anterior. Eu sentia raiva e estava irritado por voltar para casa, pois sentia que estava começando tudo de novo. (…) Eu me senti envergonhado, e havia um sentimento de impaciência porque foi um ano longo.”, declarou o goleiro ao site da UEFA.

Contudo, Mendy manteve o foco em aprimorar sua forma física mesmo sem clube e foi recompensado com uma oportunidade no Olympique de Marseille. Contratado como amador, o goleiro conseguiu atrair a atenção do Stade de Reims, no segundo escalão francês, para enfim iniciar uma nova fase, agora crescente, na sua carreira.

Reims, Rennes e um goleiro em evolução

Porém, Mendy precisou de um pouco de sorte para assumir a titularidade na meta do Reims. O senegalês estreou após a expulsão do titular da equipe e aproveitou a oportunidade para se destacar com boas defesas. Dessa forma, Mendy já era titular absoluto na temporada seguinte, que representa a virada na sua carreira com o título da segunda divisão francesa, sem ser vazado em 19 dos 38 jogos da campanha.

Após um ano com o time na Ligue 1, o arqueiro se juntou ao Rennes para a temporada 2019/20. Em uma temporada encurtada pela pandemia de COVID-19, Mendy não sofreu gols em 13 partidas das 33 disputadas pelos rubro-negros, ajudando a classificar a equipe para a sua primeira Champions League. Em virtude disso, no início da temporada seguinte veio o interesse do Chelsea e a redenção definitiva de Édouard Mendy.

Édouard Mendy foi anunciado pelo Chelsea há exatamente um ano (Foto/Reprodução: Premier League)

O instável Kepa e o interesse do Chelsea

Ao final da temporada 2019/20, as notícias do mercado de transferências davam como certa a chegada de um novo goleiro em Stamford Bridge. Após uma boa primeira temporada, em que foi peça importante da conquista da Liga Europa, Kepa não conseguiu manter o alto nível de atuações e chegou a perder a titularidade para Caballero, situação inimaginável meses antes.

Em suma, diversos nomes foram ligados aos Blues durante o verão europeu, do inglês Nick Pope, do Burnley, ao camaronês André Onana, do Ajax. Se a eterna lenda Petr Cech afirmava à imprensa que não perdera a confiança em Kepa, o ex-goleiro e atual diretor técnico do Chelsea já havia encontrado seu herdeiro em um lugar conhecido para o tcheco.

A indicação de Petr Cech

O ano era 2004 e o Chelsea trazia do Rennes um goleiro jovem para assumir a meta londrina por longos anos: Petr Cech. Superando os objetivos iniciais, o arqueiro tcheco se tornaria ídolo. Após 16 anos, os Blues retornaram à porta do Rennes atrás de alguém que passasse confiança debaixo das traves. No entanto, o clube de origem não é mera coincidência.

Apesar dos seus 28 anos, Mendy não era um goleiro reconhecido internacionalmente, mas que já chamava a atenção de Cech há pelo menos três anos por seu desempenho nos gramados franceses. Usando do seu papel de diretor técnico no clube e a proximidade com Frank Lampard, a indicação foi fundamental para a chegada do senegalês, torcedor do Chelsea na infância e fã assumido do ex-goleiro.

“Eu sou um torcedor do Chelsea desde pequeno. Eu adoro esse clube. (…) Numa ida a Brighton com uma ex-equipe, por volta de 2003, quando Ranieri era treinador, comprei uma camisa do time. Ou seja, eu sempre gostei do Chelsea”, declarou logo em sua chegada.

Mendy recebe o troféu de melhor goleiro da UEFA Champions League 20/21. (Foto/Reprodução de: UEFA via Getty Images)

As conquistas e o futuro

Após chegar em Londres e se firmar no Chelsea, Mendy apresentou sólidas atuações na Premier League e Champions League passadas. Ao todo, o goleiro disputou 44 partidas na sua primeira temporada nos Blues, preservando 25 clean sheets. Em resumo, colecionou números que ajudam a entender o papel do goleiro para a equipe, premiado também como o melhor goleiro da última edição da Champions.

Apesar do reconhecimento da UEFA, o arqueiro ainda tem que provar seu valor mais do que outros goleiros que brilham pela Europa. Recentemente, seu overall no jogo FIFA 22 – 83, aquém do seu nível – foi alvo de contestações aos desenvolvedores do jogo. Provavelmente um reflexo de ser um goleiro africano, o primeiro da história dos Blues, em território europeu.

O que Mendy ainda pode entregar ao Chelsea

Por fim, o arqueiro vinha apresentando seu melhor desempenho nas primeiras partidas da temporada, só que o goleiro esteve afastado dos últimos dois confrontos para prevenir o agravamento de uma lesão. Mesmo fora das quatro linhas, Mendy segue absoluto e reconhece a importância do trabalho de Thomas Tuchel para os resultados obtidos até aqui.

“Quando o treinador chegou, ele trouxe sua filosofia e sua energia e nós conseguimos melhorar nossa performance. Penso que foi um bom casamento entre treinador, comissão técnica e jogadores”, declarou recentemente. Além disso, Mendy apontou também a presença dos fãs de volta aos estádios como combustível para uma temporada 2021/22 ainda melhor pelos Blues.

Em síntese, o goleiro que amadureceu nos escalões inferiores do futebol francês hoje é reconhecido e valorizado por ídolos do Chelsea e companheiros de posição mais renomados. Só que para alguém com a trajetória que Mendy percorreu, esses superlativos não intimidam. Nas palavras do próprio jogador, em sua primeira entrevista como um blue, “Em um clube como o Chelsea você tem que vencer”. E Mendy venceu.

Category: Conteúdos Especiais

Tags:

Article by: Igor Estolano