Antonio Conte: tempo restante estimado em três meses e três dias

A 38ª rodada da Premier League, ocorrerá no dia 13 de Maio, um domingo.  Caso o Chelsea não tenha um rendimento excepcional ou não vença a Champions League, Antonio Conte será o 10º técnico da era Roman Abramovich.

Antes dele já passaram: Claudio Raineiri (2000/2004), José Mourinho (2004/2007), Avran Grant (2007/2008), Luiz Felipe Scolari (2008/2009), Guus Hiddink (2009), Carlo Ancelotti (2009/2011), Andre Villas-Boas (2011/2012), Roberto Di Matteo (2012), Rafa Benitez (2012), novamente José Mourinho (2013/2015), novamente Guss Hiddink (2015) e Antonio Conte (2016/2018).

Em seu primeiro ano na Premier League o Chelsea gastou £104 milhões, contratando: Batshuahyi (£35,1), Kanté (£33,2), David Luiz (£31.5) e Marcos Alonso (£20.7).

Em compensação recebeu £97.5 milhões, vendendo: Oscar (£54.0), Mohamed Salah (£13.5), Djilobodji (£8.5), Patrick Bamford (£6.21).

Conte estreou na Premier League no dia 15/08 contra o West Ham, com uma vitória de 2×1 no sufoco, com gol de Diego Costa aos 89 minutos.

No próximo jogo, contra o Wattford, outra vitória por 2×1. No terceiro jogo, um massacre 3×0 para o Chelsea contra o Burnley. No quarto, empate contra o Swansea por 2×2, com gol, novamente, de Diego Costa no fim.

No dia 16/09 a primeira derrota, contra o Liverpool por 2-1, até que, no dia 24/09, ocorreu a fatídica derrota de 3×0 para o Arsenal.  Neste dia, o Chelsea jogou no 4-4-2 com: Courtois; Ivanovic, Cahill, David Luiz e Azpilicueta; Fàbregas, Conte e Matic; Hazard, Diego Costa e Willian.  Foi então que no dia 1o. de Outubro de 2016 Antonio Conte reinventou o Chelsea, jogando no 3-4-3, jogando com: Courtois; Azpilicueta, David Luiz e Cahill; Marcos Alonso, Kanté, Matic e Victor Moses; Hazard, Diego Costa e Willian.

No dia 23/10 a consagração. Vitória de 4×0 contra o Manchester United, com gols de Pedro, Cahill, Hazard e Kanté.

A ideia de 3 zagueiros e 2 alas deu tão certo, que várias equipes da Premier League e até do Brasil discutiram a “nova” forma de se jogar futebol.  Como o Chelsea não estava disputando a Premier League, não foi possível testá-la contra outras equipes, limitando-se ao Campeonato Inglês.

Temporada 2017-2018

O início da atual temporada, começou de forma totalmente atribulada.  A demissão, por SMS, de Diego Costa por Antonio Conte.  Diego em três temporadas pelo Chelsea, disputou 120 jogos, fazendo um total de 89 gols (média de 0,74 gol por jogo). Em sua primeira temporada (2014-2015), fez 20 gols.  Na próxima (2015-2016) míseros 12 gols.  Na temporada 2016-2017 – temporada do título -, mais 20 gols.  Porém foi demitido, de forma que, até hoje, não se sabe o que realmente aconteceu.  Alguns dizem que foi devido a contratação de Alvaro Morata (embora o Chelsea tentou, até o último instante a contratação de Romelu Lukaku), e que, somente seria possível, com a saída de Diego Costa.

Meio que cambaleando o Chelsea iniciou a Premier League perdendo para o Burnley por 3×2 em Stamford Bridge. Porém, depois de vitórias contra o Tottenham, Everton e Leicester, a impressão que se tinha era que o Chelsea engrenaria.  Um empate contra o Arsenal (0x0), com expulsão de David Luiz em um carrinho criminoso contra Kolasinac (17/09), juntamente com a derrota de 3×0 para a Roma, pela Champions League, culminou com o embate entre Conte e David Luiz; história essa que, até hoje, não foi totalmente contada.

Quando não podia contar com Álvaro Morata, ao invés de utilizar seu substituto natural (Michy Batshuayi), preferiu improvisar Hazard (que não é, nem nunca foi centro-avante).  Em equipes menores, algumas vezes deu certo, porém, não iria funcionar sempre.

O ano de 2018

Com inúmeros problemas de relacionamento, seja com Diego Costa, seja com David Luiz, seja com Willian, além da própria diretoria, o Chelsea iniciou sua jornada na Premier League com um empate de 2×2 com o Arsenal. No próximo jogo, vitoria de 4×0 contra o fraquíssimo Brighton, culminando com a derrota acachapante de 3×0 para o Bournemouth e no 4×1 contra o Wattford.

Além de toda essa lide, existe um problema crônico no Chelsea (claro, é apenas um deles, mas que, no final dá uma grande diferença).  Na temporada passada, seja no 3-4-3 ou no 3-5-2, o volante era Nemanja Matic.  Hoje é BakayokoBakayoko está sendo “um dos” que está fazendo com que o Chelsea, de Tiémoue Bakayoko (da temporada 2017-2018), nem esteja perto do Chelsea de Nemanja Matic (da temporada 2016-2017).

Nesta simples análise, qualquer um poderá perceber que para Bakayoko, falta tudo para um segundo volante…, principalmente futebol.

.

#GoBlues

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Category: Opinião

Tags:

Article by: Dalton Gerth

Torcedor do Chelsea desde a época em que Vialli era técnico E jogador, advogado e estudante de licenciatura em Matemática.