Chelsea vence Bournemouth e segue com 100% de aproveitamento

O Chelsea venceu o Bournemouth por 2 a 0 pela quarta rodada da Premier League em Stamford Bridge. O time londrino divide os 100% de aproveitamento com o Liverpool, que ganhou do Leicester fora de casa por 2 a 1 mais cedo neste domingo.

Muita pressão mas com poucas chances

Mais uma vez, o Chelsea teve dificuldades para furar a defesa adversária, pois o Bournemouth se fechou no seu campo de defesa e saia apenas para o contra-ataque rápido.

No começo do jogo, os Blues pressionaram muito e optaram por muitas ligações diretas de lançamento da defesa para o ataque, tentando encontrar o trio ofensivo nas costas dos defensores.

Após 25 minutos de pressão, o Chelsea diminuiu um pouco da pressão por conta do cansaço e foi aí que o Bournemouth saiu mais para jogo, mas sem oferecer grandes riscos para Kepa.

Novamente com grande posse e troca de passes, o Chelsea continuou rodeando a área adversária, tentando infiltrar os laterais e com cruzamentos na linha de fundo, mas sem a presença de Álvaro Morata dentro da área para concluir a jogada.

A grande chance da primeira etapa foi aos 45 minutos, após um grande contra-ataque ligado pelo Willian e puxado pelo Kanté, onde o Chelsea acertou a trave direita de Begovic com um chute de direita do Marcos Alonso.

Mais posse de bola e troca nas opções ofensivas

No começo do segundo tempo foi exatamente igual ao final do primeiro. Muita pressão dos donos da casa e grande posse de bola, mas o Bournemouth conseguiu se manter fechado, possibilitando poucas chances ao Chelsea.

Aos dez minutos da segunda etapa aproximadamente, Hazard após jogada individual consegue encontrar Marcos Alonso dentro da área, que para em Begovic após boa defesa.

Aos 15 minutos, Maurizio Sarri resolveu fazer alterações na equipe, sacando Morata para colocar o Giroud, e aos 20 Willian deu lugar à Pedro.

Não demorou muito para as alterações darem resultado, pois aos 27 minutos, Pedro faz boa triangulação com Giroud na entrada da grande área, faz uma boa conclusão e abre o placar chutando do lado direito de Begovic. Assistência do francês e gol do espanhol.

Após o gol, Sarri faz a última substituição, colocando Ruben Loftus-Cheek no lugar de Mateo Kovacic.

Com o placar inaugurado, os visitantes saíram mais para o ataque, deixando o jogo mais aberto para um possível contra-ataque.

Aos 34 minutos, Loftus-Cheek encontra Pedro na direita, depois de uma boa jogada, mas o espanhol chuta fraco e Begovic encaixa sem dificuldades. Os espaços apareciam cada vez mais para ampliar o placar.

Mas Hazard não perdoou o espaço deixado pelos adversários e após tabela com Marcos Alonso, que devolve uma excelente bola que o belga aproveitou chutando cruzado no canto esquerdo do Begovic. Dois a zero Chelsea, tranquilizando a torcida e deixando pouco tempo de reação para o Bournemouth.

Fim de jogo

O jogo termina com resultado positivo, mas novamente com grandes dificuldades para furar a defesa de times mais fechados. O time de Sarri não conseguiu abrir espaço e criar jogadas dentro da pequena área para abrir um placar, e teve que contar com um tiro de fora da área de Pedro para abrir o placar.

Mas o próprio técnico italiano já apontou uma possível dificuldade nesse começo de temporada e ainda levará mais algum tempo para o time encaixar no seu esquema tático, talvez a solução para continuar pontuando seja arriscar mais de fora da área ou explorar mais jogadas individuais.

Destaques novamente para Marcos Alonso, que jogou muito bem, com duas chances claras de gol e uma assistência e para a entrada de Pedro e Giroud, que trabalharam juntos para abrir o placar.

Ficha técnica:

Chelsea (4-3-3): Kepa, Azpilicueta, Rudiger, David Luiz e Marcos Alonso; Jorginho, Kanté e Kovacic (Loftus-Cheek 79′); Willian (Pedro 65′), Morata (Giroud 61′) e Hazard.

Reservas não utilizados: Caballero, Barkley, Zappacosta e Christensen.

Bournemouth (3-4-3): Begovic, Francis, S Cook, Aké, Smith (Ibe 80′); Lerma (L Cook 88′); Gosling, Rico, Fraser, Wilson, King (Mousset 80′).

Reservas não utilizados:  Boruc, Surman, Brooks e Mings.

Gols: Pedro 72′, Hazard 85′.

Cartões amarelos:  Dan Gosling 20′, Marcos Alonso 33′, Kanté 55′, Lerma 70′.

Árbitro: Lee Mason

Público: 40,178 – Stanford Bridge

Fellipe Bonilha