Chelsea vence Arsenal no Emirates Stadium

Pela 23ª rodada da Premier League, o Chelsea visitou o Arsenal no Emirates Stadium na tarde de hoje (24) e saiu vencedor pelo placar de 1 a 0 com gol do artilheiro Diego Costa. Um dos pontos da partida foi a volta de Eden Hazard, que estava lesionado, mas que permaneceu no banco até o minuto 75, quando entrou no lugar de Oscar. No lado dos Gunners, a volta foi de Alexis Sánchez, que só entrou no jogo ao minuto 56, substituindo Joel Campbell. A única mudança do time do holandês Guus Hiddink foi a troca de Pedro por Oscar nos onze iniciais.

Expulsão de Mertesacker e vantagem para o Chelsea no primeiro tempo

Ao início do jogo, o Arsenal era segundo colocado com 44 pontos e caçava o líder Leicester, que jogou no sábado e venceu o Stoke por 3 a 0, se isolando na liderança. Enquanto isso, no outro pólo da tabela, os azuis buscavam a reação no campeonato e se encontravam na 14ª colocação, com 25 pontos.

A partida começou equilibrada, com poucas chances para os dois times, que se estudavam, mas o Chelsea parecia mais ofensivo. O Arsenal buscava trabalhar a bola com triangulações rápidas enquanto o adversário cadenciava o jogo, desacelerava para adequar ao estilo de jogo de Hiddink.

Aos 17 minutos, um lance crucial na partida aconteceu: Willian armou contra-ataque e lançou milimetricamente Diego Costa. Na disputa de Costa com Per Mertesacker, o alemão deu carrinho por trás no atacante brasileiro e foi expulso. O Chelsea jogava com um a mais e pressionava o adversário em seus próprios domínios. Para solucionar o caso, Arsène Wenger substituiu Olivier Giroud por Gabriel Paulista para recompor o sistema defensivo, sendo muito vaiado pela torcida presente no estádio.

Com a pressão, o time visitante se animou e partiu pra cima. Aos 22, Branislav Ivanovic – que renovou contrato recentemente – cruzou do lado direito e Diego Costa venceu disputa com Laurent Koscielny e desviou para o gol de Petr Cech, que nada pode fazer para impedir o primeiro gol dos visitantes.

Diego Costa comemorando o gol que abriu o placar no Emirates Stadium (Foto: Premier League)

Diego Costa comemorando o gol que abriu o placar no Emirates Stadium (Foto: Premier League)

O Chelsea, com um a mais, estava calmo e trabalhava a bola, garantindo consistência defensiva. Enquanto isso, o Arsenal estava afobado para fazer o gol de empate, partindo para cima e infiltrando passes na defesa do Chelsea por via de Özil, que tentava encontrar Walcott, na maioria das vezes impedido.

Aos 41, em boa jogada, Willian tocou para Diego Costa na entrada da área. O hispano-brasileiro deu um toque para frente e se enfiou no meio dos dois zagueiros para finalizar para o gol e obrigar Cech a fazer grande defesa. Na cobrança de escanteio, Ivanovic desviou para o gol e Nacho Monreal tirou a bola de cima da linha, impedindo o segundo gol dos visitantes.

O árbitro Mark Clattenburg deu um minuto de acréscimo e, no estourar do tempo, Mathieu Flamini recebeu livre, sem marcação alguma, mas desperdiçou a chance do empate dos Gunners, decretando o 1 a 0 para o Chelsea ao intervalo.

Segundo tempo eletrizante e vitória dos Blues

A segunda metade do jogo começou com o time vencedor pressionando, buscando o segundo gol para dilatar a vantagem, enquanto o time da casa ainda buscava acertar uma jogada para empatar a partida. O Chelsea pressionava e conseguia escanteios consecutivos, sufocando o time da casa dentro da sua própria área e animando a torcida presente no Emirates Stadium, que cantava “come on Chelsea, come on Chelsea”.

Aos 56 minutos, Wenger substituiu Joel Campbell por Alexis Sánchez, tornando o time mais ofensivo e com o objetivo de criar mais perigo à meta defendida por Thibaut Courtois, que sequer havia trabalhado na primeira etapa.

Sete minutos depois, após cobrança de falta, Courtois não achou a bola na segunda trave e ela bateu nas costas de Azpilicueta, sobrando livre para jogadores do Arsenal finalizarem, mas Kurt Zouma, após muitas disputas dentro da área, conseguiu afastar e manter a liderança para o time de Stamford Bridge.

As equipes envolvidas queriam jogo, os Gunners partiam para cima buscando o empate e o Chelsea recuava as linhas para garantir a consistência defensiva. Aos 68 minutos, após muitos confrontos corpo-a-corpo, Diego Costa sentiu a coxa e foi substituído por Loïc Rémy.

O jogo ficou quente, muito movimentado e faltoso. John Obi Mikel foi tocar a bola normalmente mas errou o tempo, tocando fraco. No combate, deixou o braço no pescoço de Sánchez e foi advertido com cartão amarelo.

Wenger lamenta a atitude de sua equipe (Foto: Premier League)

Wenger lamenta a atitude de sua equipe (Foto: Premier League)

Ao tempo 76, finalmente Eden Hazard voltou aos gramados. Hiddink substituiu Oscar pelo belga para dar uma injeção de velocidade ao flanco esquerdo do campo e renovar as energias do time. O jogo continuou apertado. Aos 84, Hazard cometeu falta em Özil. O alemão bateu falta para dentro da área e Courtois se enrolou novamente com a bola, que foi desviada após bate e rebate entre os jogadores do Chelsea.

Dois minutos depois, Mesut mandou a bola para a área e Flamini concluiu de letra. A bola desviou em Zouma e sobrou devagar para o goleiro dos Blues. O Chelsea conhecia o nono jogo sem perder para o Arsenal, sendo também a nona partida sem levar um gol sequer do maior rival londrino. A partida estava emocionante, aflita para os torcedores no estádio e fora dele, espalhados pelo mundo inteiro.

Clattenburg queria jogo. O juiz adicionou cinco minutos de acréscimos para o segundo tempo. Cinco minutos que durariam uma eternidade para os torcedores azuis e expirariam rápido para os torcedores vermelhos. Aos dois minutos, Hazard roubou a bola de Özil e partiu para cima da defesa. No toque, Rémy se precipitou e perdeu a bola. No lance seguinte, novamente Hazard avançou com a bola sem marcação e tocou para Willian, livre. Na definição, o brasileiro errou o alvo.

Aos 94, escanteio para o Arsenal e até Cech foi para dentro da área. Na sobra, Eden Hazard avançou com a bola e o juiz entendeu que a bola saiu por inteiro, mas a televisão mostrou que não saiu de fato.

Nada mais aconteceu. O Chelsea venceu o Arsenal fora de casa! Com o resultado, os Blues subiram para a 13ª posição, com 28 pontos e esperanças de alcançar o topo da tabela. No outro lado, o Arsenal – junto ao Manchester City – se distanciou do líder Leicester, que tem 47 pontos. Na próxima rodada, o Chelsea vai até Watford e os Gunners recebem o Southampton.

Arsenal (4-2-3-1): Cech (g); Bellerín, Mertesacker (c), Koscielny, Monreal; Ramsey, Flamini; Walcott (74′ Oxlade-Chamberlain), Özil, Campbell (56′ Sánchez); Giroud (21′ Gabriel);

Substitutos não utilizados: Ospina (g), Chambers, Elneny, Gibbs;

Técnico: Arsène Wenger.

Chelsea (4-2-3-1): Courtois (g); Ivanovic, Zouma, Terry (c), Azpilicueta; Mikel, Matic; Willian, Fàbregas, Oscar (76′ Hazard); Costa (68′ Rémy);

Substitutos não utilizados: Begovic (g), Cahill, Baba, Loftus-Cheek, Traoré;

Técnico: Guus Hiddink.

Cartões amarelos: Oscar (10′ CHE), Koscielny (44′ ARS), Matic (59′ CHE), Mikel (71′ CHE);

Cartões vermelhos: Mertesacker (18′ ARS);

Estádio: Emirates Stadium (Londres, Inglaterra);

Público: 60.072;

Árbitro: Mark Clattenburg.

Luis Felipe Zaguini

Doente pelo Chelsea.