Com sufoco no final, Chelsea vence o Palace em jogo de cinco gols

Apesar das falhas do sistema defensivo, o ataque funcionou garantindo a vitória

O Chelsea conquistou os três pontos visitando o Crystal Palace pela 34ª rodada da Premier League. Em jogo movimentado com cinco gols, os Blues venceram por 3-2 com tentos marcados por Olivier Giroud, Christian Pulisic e Tammy Abraham – que entrou no segundo tempo. O destaque do marcador também foi para Willian, que distribuiu mais duas assistências. Já são sete do brasileiro na temporada.

Com a vitória, os azuis chegam à terceira colocação, ultrapassando o Leicester City, que só empatou com o Arsenal.

de perna esquerda pulisic faz

Pulisic marcou novamente pelos Blues (Foto: Sky Sports)

Frank Lampard entrou com Billy Gilmour no lugar do lesionado Kanté e manteve os outros 10 da vitória contra o Watford. Além de Willian, Pulisic foi um dos principais jogadores em campo, juntamente com Mason Mount. Apesar dos dois gols, o destaque defensivo vai para Kurt Zouma, que fez uma partida segura e dominante.

Assim, o resultado serviu para colocar mais em evidência a diferença dos momentos ofensivo e defensivo. Enquanto os atacantes estão em ótima fase, o sistema defensivo tem dificuldades em manter a concentração durante 90 minutos. Neste jogo as falhas renderam mais dois gols marcados pelo adversário. Assim, já são 46 sofridos em 34 jogos na temporada.

Primeiro tempo na quinta marcha

O Chelsea começou o jogo elétrico. Logo aos cinco minutos, Willian recebeu pela direita e entrou na área para cruzar rasteiro para trás e Giroud completar para a rede. Entretanto, a jogada foi marcada por lesão de Gary Cahill, que caiu com lesão muscular tentando acompanhar o brasileiro. Portanto, por causa da contusão, diversos jogadores dos Blues imediatamente foram checar a condição do colega de profissão.

contusão do cahill deu gol ao willian

Cahill sentiu lesão na coxa logo no começo da partida (Foto: Sky Sports)

As chances continuaram logo em seguida com Zouma, que completou escanteio por cima do travessão. Assim, com pressão dos visitantes, Pulisic recebeu passe de Willian na esquerda, driblou o zagueiro e chutou alto com a perna esquerda, sem chances para o goleiro. O destaque na jogada também foi para Mount, que roubou a bola no meio-campo antes de encontrar o brasileiro. O Palace estava no lucro e o momento demonstrava o perigo que o trio ofensivo pode causar.

Quando a partida estava controlada, o recorrente problema de atenção veio à tona. Assim, Reece James, em tentativa pela direita, errou o passe que gerou o ataque do Palace. Desarrumado, os Blues deixaram Wilfred Zaha sozinho na intermediária. O marfinense não desperdiçou a chance e acertou um chute indefensável rente ao travessão.

Desatenção, falhas defensivas e perda de controle

À princípio, parecia que o gol tomado teria sido só um lance fortuito. Com duas chances nos minutos iniciais da segunda etapa, os Blues se prontificavam novamente a tomar as rédeas da partida. Com boas tramas e toque de bola, Giroud ainda teve chance de ampliar o placar com uma cabeçada por cima do gol. Contudo, foi o Crystal Palace que tomou as ações e começou a complicar a zaga azul.

Após alguns lances de confusão dentro da área, Lampard reagiu bem e colocou Tammy Abraham e Ruben Loftus-Cheek em campo no lugar de Giroud e Ross Barkley. As substituições surtiram efeito imediato e, novamente após roubada de bola de Mount, os Blues ampliam o marcador com Abraham. O camisa 9 foi acionado por Loftus-Cheek e só tocou no canto direito do goleiro. Todavia, os jogadores mal tiveram tempo para comemorar porque os Eagles diminuíram novamente em menos de um minuto. O ex-Blue Patrick Van Aanholt aproveitou falha de marcação da zaga e entrou sozinho pela esquerda para cruzar para Christian Benteke completar de dentro da pequena área.

ataque funcionou e abraham marcou

Abraham marcou pela primeira vez desde janeiro (Foto: Sky Sports)

O ritmo da partida se intensificou e os Blues sofreram para manter a posse de bola após os gols. A solução de Lampard novamente veio do banco. Pela primeira vez desde o retorno Jorginho entrou em campo e conseguiu anular o domínio do adversário nos dez minutos finais.

Entretanto, o Palace ainda teve duas chances para empatar a partida. Primeiro em defesa fundamental de Kepa em cabeçada de Benteke e depois em recuperação impressionante de Zouma, que deu um carrinho providencial para travar o belga dos Eagles.

O que há em seguida?

A partida desta terça-feira (7) foi marcada novamente pelos “apagões” defensivos e que levaram aos dois gols do adversário. Contudo, a participação ofensiva do time melhorou com a introdução de Gilmour no lugar de Kanté e, mais ainda, com Jorginho nos minutos finais. Além disso, o Chelsea vem bem nas últimas partidas que Zouma foi titular, com 100% de aproveitamento.

Lucas Jensen

Jornalista que ainda acredita que o futebol pode ser apreciado sem torcer (mas não se segura e torce mesmo assim). Fã de tática e do jogo reativo, se deleita nos contra-ataques e toques 'de primeira'. Amante racional da Premier League e nostálgico do Calcio, seus hobbies incluem teorias mirabolantes e soluções inusitadas.