Opinião: É agora ou nunca para o Chelsea na Premier League!

Jogadores celebram o gol de Pedro (Foto: Chelsea FC)
O momento é decisivo tanto para o clube quanto para o elenco (Foto: Chelsea FC)

Todos sabemos que o Chelsea tem tido uma temporada complicada na Premier League, com o pior começo de campanha em mais de trinta anos. São tempos difíceis e a discussão que surge agora é se os Blues conseguirão chegar ao fim de maio figurando entre os primeiro quatro colocados da liga, ou se passará a próxima temporada, pela primeira vez na Era Abramovich, fora da UEFA Champions League. Claro que há a vaga pelo título da competição europeia, mas não sejamos tão otimistas, o objetivo é e sempre será a vaga pelo campeonato nacional.

O Chelsea tem sido um dos times mais regulares da competição até o momento. Desde o início da temporada, temos exatamente uma vitória por mês na Premier League. Vencemos uma em agosto, uma em setembro, uma em outubro, uma em novembro e uma em dezembro. Janeiro começou já com uma vitória, o que nos faz otimistas de que pela primeira vez na atual edição da PL podemos ter um mês com mais de uma vitória no torneio. Conseguimos uma vitória por 3-0 contra o Crystal Palace e agora ainda temos praticamente o mês todo para conseguir mais um triunfo e, quem sabem, engrenar de vez na competição (quantas vezes já falamos “agora vai!” nesta temporada?).

Já estamos no segundo turno e, mais do que isso, temos a, talvez, sequência de jogos mais importante de toda a temporada da Premier League a nossa frente. Os resultados dos próximos pouco mais de 30 dias será determinante para sabermos aonde terminaremos a temporada. Serão seis partidas, sendo quatro delas em casa. Ou seja, é o momento de arrancada, ou de fim da ilusão de terminar entre os primeiros.

Seis partidas e quatro jogos em Stamford Bridge. Se fizermos o dever de casa, sairemos com 12 pontos em 18 possíveis e pode ser o nosso melhor desempenho em toda a competição nesta campanha. Isto pode nos levar, enfim, a parte de cima da tabela, talvez a um oitavo lugar, e com 12 partidas restantes, teremos a real perspectiva de brigar por uma vaga européia.

Os adversários serão de todos os níveis, e em sua maioria são jogos que em tese poderíamos vencer, apesar de que nesta temporada não botamos medo. Teremos também confrontos diretos com grandes equipes, o que torna esse período ainda mais importante. Enfrentaremos, a começar por esta quarta-feira, em Stamford Bridge: West Brom (13/01), Everton (Casa, 16/01), Arsenal (Fora, 24/01), Watford (Fora, 03/02), Manchester United (Casa, 07/02) e Newcastle (Casa, 13/02).

Vitórias sobre West Brom, Watford, Newcastle e até mesmo Everton se tornam obrigatórias, mesmo que um destes confrontos seja fora de casa, contra o Watford. Se quisermos galgar lugares mais altos no torneio, será preciso vencer estes jogos. Com isso nos sobram Arsenal, fora, e Manchester United, em casa. Dois clássicos, então não podemos dizer que somos obrigados a ganhar, mas se quisermos sonhar realmente com vagas europeias, seria preciso vencer pelo menos um desses jogos, de preferência contra o United, que é o mais provável a brigar diretamente por uma quarta vaga na competição, pelo menos mais que o Arsenal.

Diego Costa fez a diferença para o Chelsea neste sábado
No primeiro turno conseguimos bons resultados contra Arsenal e United. Uma vitória e um empate, respectivamente.

Contudo, um empate e uma derrota nestes clássicos, somados a vitórias nos outros confrontos, já nos daria 13 pontos em 18, e, portanto, nos colocaria em posição de sonhar. Mas, por outro lado, tropeços neste mês pode significar definitivamente o fim da briga por uma vaga europeia, pois nos distanciaríamos demais do quarto colocado. Hoje a distância é de 13 pontos restando 18 rodadas. Uma distância parecida com essa, levando em conta que os times do topo da tabela vão conseguir um bom aproveitamento, restando apenas 12 ou 10 rodadas já fica praticamente impossível de se tirar.

Contudo, se conseguirmos entre 13 e 15 pontos dos próximos 18, ou seja, quatro vitórias em casa e uma fora em seis jogos, ou quatro vitórias em casa e um empate fora, poderíamos muito bem baixar esta distância de 13 para algo entre sete e oito pontos. É possível. E com uma diferença na casa dos oito pontos restando 12 jogos pode ser algo que sejamos capazes de alcançar.

Teremos dois adversários mais fracos, dois médios e dois gigantes. Em um mês, com quatro jogos em casa. É o momento decisivo para nós e é a hora que este grupo de jogadores, tão criticados pelo comportamento possivelmente displicente sob o comando de José Mourinho, provarem que podem ser ainda aquele mesmo que venceu a premier League na temporada passada e terminar uma temporada arruinada com um final (quase) feliz.

Entretanto, pode ser também a prova de que o elenco do Chelsea precisa de mudanças mais significativas, confirmando as críticas a este grupo. Tudo depende do que acontecer neste próximo mês, nestes próximos seis jogos. É o momento definidor da temporada, mas ao mesmo tempo que a mudança de treinador pode ter dado um gás novo ao grupo, não dá para sentir muita confiança de que os Blues podem terminar este mês em condição de brigar por um quarto lugar.

É um mês importante. Mas ao mesmo tempo é um mês que traz as maiores dúvidas da temporada. Estes jogadores vão dar a volta por cima ou irão definitivamente confiar as críticas a eles. O que vocês acham?

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Category: Opinião

Tags:

Article by: Márcio Canedo