Mano a mano: goleiro e defensores de Chelsea e Manchester City

Cada vez mais próximo da final da Champions League, a Semana Blue do Chelsea Brasil traz textos especiais sobre o grande confronto deste sábado (29)! 

Os dois clubes finalistas da Champions League possuem esquemas de jogo parecidos, no entanto, utilizam jogadores com características distintas. Analisemos o time titular de Chelsea e Manchester City em duas etapas: goleiro e defesa; meio e ataque. Começamos com o sistema defensivo. Este é o Mano a Mano do Chelsea Brasil, parte I!

Goleiros –  Mendy x Ederson

Edouard Mendy reencontra sua antiga equipe. Além disso, o goleiro busca mais um jogo sem sofrer gols.
Edouard Mendy está se destacando na meta do Chelsea (Foto: Chelsea FC)

Edouard Mendy foi contratado pelo Chelsea em setembro de 2020 e, desde então, vem resolvendo o problema que os Blues tinham no gol. Excelente goleiro com as mãos, foi fundamental na campanha na Champions e na Premier League, tendo 13 clean sheets em 38 rodadas. Com os pés, também nada mal. O francês tem 83% de acerto em passes pela 1ª divisão inglesa. Sem dúvidas, foi um dos grandes guarda-redes do futebol inglês.

Já o brasileiro Ederson está no Manchester City desde 2017, pouco mais de um ano após a chegada de Pep Guardiola na cidade. Para o estilo de jogo do técnico, é importantíssimo. Participa da saída de bola da equipe em momentos do jogo e, para isso, é necessário muita qualidade nos passes. E isso talvez seja sua melhor virtude. Suas 19 clean sheets na PL evidenciam habilidade com as mãos e, ao mesmo tempo, mostram a eficiência do sistema defensivo.

No duelo dos goleiros, minha opinião é que Ederson é mais completo. Estar na elite do futebol por mais tempo foi essencial para isso.

Zagueiros – Thiago Silva e Rúben Dias

Thiago Silva pelo Chelsea (Foto: Jose Manuel Alvarez/Quality Sport Images/Getty Images)

Thiago Silva é mais um exemplo de jogador que foi contratado pelo Chelsea na última janela de verão da Europa. Chegou em Londres e rapidamente se tornou um líder, tanto em recuperações de bola e jogadas aéreas quanto em construção ofensiva. Thiago tem 36 anos e, ainda assim, prova diariamente que é um dos melhores zagueiros do mundo.

Rúben Dias, defensor de €68M, é apontado por muitos como o jogador que finalmente consertou os problemas defensivos do City e, nesse sentido, o português tem 93.18% de acertos em passes na Premier League, atrás apenas de seu companheiro Stones. Além disso, Rúben é um zagueiro bastante qualificado em duelos aéreos.

Entre Thiago e Rúben, fico com o brasileiro por conta de sua experiência. Muitas Copas do Mundo e campeonatos europeus disputados.

Zagueiros – Antonio Rüdiger x John Stones

Gol do Rudiger contra o Leicester (Foto: Reprodução)

O Chelsea procurou por Rüdiger em meados de 2017 como um jovem zagueiro que evoluísse e despontasse como um dos melhores do mundo na posição. Contudo, o alemão não conseguiu se adaptar e não se firmou na equipe titular, até a chegada de seu compatriota Tuchel. Antonio virou peça importante para a equipe, principalmente nas marcações individuais e em conduções de bola, tanto é que hoje é titular absoluto.

John Stones teve teve altos e baixos em seu período pelo City. Na conquista da PL 18/19 foi um dos destaques da campanha. Na temporada seguinte, não manteve o mesmo rendimento. Porém, com novos companheiros de zaga, como o já citado Rúben Dias, auxiliou o time neste ano de bom desempenho defensivo. Com a bola, Stones é um dos melhores zagueiros do futebol inglês, sem ela divide opiniões. Em contrapartida, é um defensor que já fez história no clube.

Zagueiros com boa condução de bola e passes longos são muito importantes para equipes que constroem desde a defesa. Por isto, prefiro Stones, que tem mais capacidade nesses quesitos.

Zagueiros – Reece James x Kyle Walker

Reece James em disputa de bola (Foto: Chris Lee – Chelsea FC/Chelsea FC via Getty Images)

Entre os jogadores que vieram da base, Reece James é um dos maiores destaques, tanto como ala quanto como terceiro zagueiro. O inglês faz bons cruzamentos quando sobe para o fundo do campo e tem apresentado melhorias na marcação. Reece aciona bastante os meias e, do mesmo modo, tem boa visão para desmarques de atacantes.

Já Kyle Walker, camisa 2 do Manchester City, pertencia ao Tottenham até o ano de 2017, quando foi comprado por €56M  para compor o time de azul. Entretanto, Walker não satisfez completamente o time de Guardiola por todos esses anos. Inclusive, a contratação de João Cancelo é uma boa indicativa disso. Todavia, o técnico espanhol tem visto com bons olhos o Walker como zagueiro construtor. Isto é, um zagueiro que constrói jogadas e inicia um ataque da equipe. Walker é cotado para ser titular contra o Chelsea no sábado, superando João Cancelo, no caso.

Na disputa do lado direito, James teve mais regularidade durante a temporada e conseguiu roubar a posição de Walker na seleção.

A maneira de como joga o Manchester City você pode conhecer nesta matéria. O mano a mano analisando o meio-campo e o ataque vai ao ar nesta sexta-feira!

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Category: Opinião

Tags:

Article by: Guilherme Néri