Mudança de comando na seleção alemã pode ajudar Timo Werner no Chelsea

A atual Data FIFA tem sido importante para Timo Werner. O atacante de 25 anos teve a oportunidade de voltar a Stuttgart, sua cidade natal na Alemanha e onde iniciou a carreira pelo VfB Stuttgart. Além disso, esses foram os primeiros jogos na seleção sob o comando de Hansi Flick e Werner começou bem. Em síntese, foram dois gols e uma assistência nos duelos contra Liechtenstein e Armênia.

Em entrevista, o jogador comentou positivamente sobre a chegada do treinador à seleção alemã, dando mais confiança ao atleta do que seu antecessor, Joachim Löw. “Eu fiquei muito feliz que ele se tornou nosso novo treinador, pois com certeza é vantajoso saber que trabalharei com alguém que não pensa que sou totalmente ruim“, afirmou Werner.

Nova era na Alemanha e para Werner na seleção

A declaração está ligada à utilização do atacante na última Euro, quando atuou em três jogos, mas apenas um como titular. Werner se despediu do torneio europeu sem contribuir com gols e assistências para a equipe alemã, eliminada nas oitavas-de-final contra a Inglaterra.

O alemão continuou: “Na partida contra Liechtenstein, eu pude demonstrar com meu gol que não era uma ideia ruim me deixar jogar“.

Recuperar a confiança para recuperar o faro de gol

A recuperação de espaço na seleção alemã pode contribuir positivamente para seu desempenho no Chelsea. Em seu primeiro ano em Londres, o jogador marcou 12 gols em 52 jogos, sua menor marca pessoal desde que deixou o Stuttgart em 2016.

Não bastassem os números inferiores, Werner ainda ficou marcado por perder algumas oportunidades claras de gol, inclusive na final da última Champions League. Contudo, a decisão contra o Manchester City é emblemática para o alemão também pela construção do gol de Kai Havertz.

A movimentação do atacante na jogada, deslocando a marcação, ilustra seu trabalho abrindo espaço para os companheiros de ataque. Essa qualidade é um dos grandes trunfos de Werner para se manter prestigiado com torcida e comissão técnica.

Apesar de entregar menos gols do que o esperado, Timo também se destacou com 12 assistências na última temporada, igualando sua maior marca na carreira. Para que o faro de gol do atacante retorne a ser o mesmo dos tempos de Bundesliga, quando chegou a anotar 34 gols em uma temporada pelo RB Leipzig, a confiança é fundamental:

“Como um atacante, é sempre importante marcar gols porque isso traz autoconfiança para os atacantes” – declarou Werner.

Próximos desafios

A autoconfiança de Timo Werner já havia sido assunto no Chelsea com a chegada de Thomas Tuchel ao clube. A adaptação do atleta – e também de Havertz – foi apontada como um dos motivos para a contratação do treinador. Se o elenco como um todo subiu de produção com Tuchel, espera-se que a temporada 2021/22 traga ainda mais gols do jovem jogador.

Em síntese, a expectativa é que o trabalho de Flick na seleção contribua para uma melhora de desempenho de Werner também no Chelsea. Pela Alemanha, o efeito já foi sentido nas primeiras partidas e Timo Werner pode estender o bom início com o treinador na próxima quarta-feira, 08/09, contra a Islândia.

Já pelos Blues, ainda há uma temporada longa para demonstrar que ele ainda pode ser o mesmo artilheiro dos tempos de Bundesliga.

Category: Chelsea Football Club

Tags:

Article by: Igor Estolano