Mesmo com empate, Hiddink aprova atuação dos jogadores: “Era importante a equipe reagir”

Hiddink no banco na primeira partida desde sua volta ao clube (Foto: Chelsea FC)
Hiddink no banco na primeira partida desde sua volta ao clube (Foto: Chelsea FC)

Guus Hiddink esteve de volta ao comando técnico do Chelsea para o duelo contra o Watford. Apesar do frustrante empate, o comandante interino se disse satisfeito com o desempenho dos atletas, que buscaram igualar o placar depois da virada dos visitantes em pleno Stamford Bridge.

Os Blues tiveram a chance de ganhar a partida, mas Oscar escorregou e desperdiçou a oportunidade de colocar o Chelsea em vantagem quando faltavam 10 minutos para o fim do jogo.

“É claro que quando estamos perto do final do jogo e temos uma penalidade e acho que seria um merecido 3 a 2, é um retrocesso em termos de três pontos, mas temos que analisar o jogo todo e o Watford merece grande respeito”.

O técnico sabia da importância da vitória, mas o ponto conquistado foi importante por conta do duro adversário e também pelo espírito de equipe para superar um momento adverso no jogo.

“Eles (Watford) estão em uma sequência vencedora e tenho muito respeito pela maneira como jogam taticamente. Eles têm bons atacantes. Foi um jogo intenso e sofremos dois gols azarados – o primeiro foi de uma penalidade e o segundo foi desviado. Estou um pouco desapontado por não conseguirmos os três pontos.

Era importante a equipe reagir depois do 2 a 1 contra, especialmente contra um Watford defensivo e muito bem organizado. A reação também foi importante em relação ao passado recente no clube.”

Hiddink ficou satisfeito com o desempenho de Diego Costa, autor dos dois gols dos mandantes. O atacante levou seu quinto cartão amarelo na Premier League na partida de ontem (26) e ficará de fora do clássico contra o Manchester United, amanhã (28), no Old Trafford.

“Ele focado no que ele é bom, é muito perigoso e é mais importante (estar focado) que desperdiçar a energia naquilo que não se deve . Ele fez perfeitamente os dois gols. Ele estará fora (na segunda-feira), o que significa que temos de pensar em como resolver esse problema. É uma pena depois de um bom desempenho, mas temos que resolver isso em 48 horas.

Não superestimem a influência dos treinadores. Você tenta dar foco às pessoas. Às vezes você diz para (os jogadores) se concentrarem no que eles têm de fazer e faz isso em reuniões e sessões de treinamento. Quando todo mundo sabe o que é capaz e sabe das armadilhas que não deve cair, mesmo se são causadas por si mesmo ou outra pessoa, então você se concentra no seu trabalho. Ele (Diego Costa) mostrou isso com os dois gols”.

O holandês aproveitou também para explicar suas razões para substituir Cesc Fàbregas no intervalo para a entrada do volante nigeriano John Obi Mikel.

“Hoje eu gostei da nossa intensidade, mas também temos de procurar um equilíbrio na equipe. Quando temos um meio-campo com todos os jogadores criativos, é bonito, mas às vezes é preciso ter equilíbrio e pensei que Mikel pudesse nos dar isso. Quando você tem jogadores criativos, tais como Matic, Oscar, Willian vindo por dentro e Cesc, às vezes você tem que escolher de uma forma diferente”, finaliza.

Com o empate por 2 a 2, o Chelsea terminou a 18ª rodada na 15ª colocação, tendo dois pontos de vantagem para o Newcastle, primeiro time dentro da zona de rebaixamento. Amanhã (28), os Blues vão enfrentar o United, em Manchester. A equipe de Louis van Gaal é a sexta colocada no campeonato e vem de derrota para o Stoke City por 2 a 0. Tudo sobre o clássico você acompanha aqui no Chelsea Brasil.

Category: Chelsea Football Club

Tags:

Article by: Murilo César