Drogba convida jovens de Londres a participar de campanha

 

O Chelsea Football Club mais uma vez contribuiu com a campanha ‘Help a Capital Child’, oferecendo sessões de treinamento gratuito ao longo do verão para crianças desfavorecidas socialmente.

Utilizando o dinheiro do clube alocação na Community Shield, o programa ‘Sport in the City’ vai oferecer, para crianças entre sete a 15 anos de idade, sessões de atividades que vão do boxe, basquete, hóquei e tênis de mesa. Ao todo são 20 esportes disponíveis.

O atacante do Chelsea, Didier Drogba, lançou o programa de 2010 e viu mais de 8.000 jovens participarem das sessões. Novamente neste ano o atacante está apoiando o evento e convidou a todas as crianças e adolescentes de Londres a participarem mais uma vez.

“Temos uma chance real de gerar um interesse dessas crianças para uma vida melhor”, afirmou Drogba.

“Se você deseja ser um campeão ou quiser apenas se divertir, fazer amigos é importante que as crianças desfrutem do esporte. Além de mantê-las longe de problemas, o esporte é saudável e faz com que você evolua como pessoa.”

Sharon West, diretor de captação de recursos e de comunicação da campanha ratificou o pensamento de Drogba:

“Apesar de Londres ser uma cidade tão rica, muitas de nossas crianças e jovens não têm oportunidade. Estamos muito agradecidos ao Chelsea por mais uma vez nos ajudar na campanha. Jogadores como Didier são uma inspiração para os jovens e estamos felizes em ter o clube e os jogadores como parceiros.”

Category: Chelsea Football Club

Tags:

6 comments

  1. Se todos os clubes com boas condições financeiras e outras diversas empresas, autoridades, pessoas que também tem os cofres cheios, parassem de gastar suas fortunas com qualquer coisa, e contribuíssem com mais projetos sociais que visam, de várias formas, tirar crianças e jovens das ruas, dando a elas a visão de um futuro melhor, sempre guiando-as para os caminhos corretos… teríamos mais craques brilhando em campo e menos gente morrendo de fome ou frio.
    E um dos caminhos a este futuro é o esporte, em suas mais variadas modalidades. Quantas dessas crianças que estão passando fome por aí, poderiam estar brilhando em qualquer que seja o esporte… Quantos jogadores temos espalhados por todos os cantos que não tem condições de mostrarem seus talentos, e acabam no crime ou nas drogas, um garoto que poderia estar sendo ovacionado por um estádio lotado… Nisso, vem os ricos e ignorantes (nem todos, que fique claro) e descrevem este mesmo garoto de vagabundo, de ladrão… só por estar andando sem camisa e descalço, com uma bola toda “remendada” na mão e a tristeza no rosto que só representa toda o sofrimento que ele passa dia a dia, e ainda ter que ouvir uns e outros que ao invés de acolherem ou dar qualquer tipo de auxílio, o ofende injustamente.

    Até hoje eu não entendo como puderam fazer uma copa na África, sabendo que seriam gastos bilhões, e sabendo, mais ainda, como tem pessoas com fome, doenças e/ou sem um lugar para morar precisando de ajuda. Ao invés de ajudar estes desfavorecidos, criam a copa e mudam a foco, começam a mostrar só as coisinhas bonitinhas, de como melhorou e blá, blá, blá… Mas as coisas ruins ainda estão lá…

    E no Brasil, não é muito diferente.

  2. Se todos os clubes com boas condições financeiras e outras diversas empresas, autoridades, pessoas que também tem os cofres cheios, parassem de gastar suas fortunas com qualquer coisa, e contribuíssem com mais projetos sociais que visam, de várias formas, tirar crianças e jovens das ruas, dando a elas a visão de um futuro melhor, sempre guiando-as para os caminhos corretos… teríamos mais craques brilhando em campo e menos gente morrendo de fome ou frio.
    E um dos caminhos a este futuro é o esporte, em suas mais variadas modalidades. Quantas dessas crianças que estão passando fome por aí, poderiam estar brilhando em qualquer que seja o esporte… Quantos jogadores temos espalhados por todos os cantos que não tem condições de mostrarem seus talentos, e acabam no crime ou nas drogas, um garoto que poderia estar sendo ovacionado por um estádio lotado… Nisso, vem os ricos e ignorantes (nem todos, que fique claro) e descrevem este mesmo garoto de vagabundo, de ladrão… só por estar andando sem camisa e descalço, com uma bola toda “remendada” na mão e a tristeza no rosto que só representa toda o sofrimento que ele passa dia a dia, e ainda ter que ouvir uns e outros que ao invés de acolherem ou dar qualquer tipo de auxílio, o ofende injustamente.

    Até hoje eu não entendo como puderam fazer uma copa na África, sabendo que seriam gastos bilhões, e sabendo, mais ainda, como tem pessoas com fome, doenças e/ou sem um lugar para morar precisando de ajuda. Ao invés de ajudar estes desfavorecidos, criam a copa e mudam a foco, começam a mostrar só as coisinhas bonitinhas, de como melhorou e blá, blá, blá… Mas as coisas ruins ainda estão lá…

    E no Brasil, não é muito diferente.

  3. Adorei o que o Miguel falou.É a mais pura verdade.
    Infelizmente, os poderosos utilizam da política do pão e circo pra mascarar os problemas dos países.
    Acho muito bonita esse trabalho que o Chelsea. Sempre se envolve em campanhas.
    Parabéns pela iniciativa e que continue assim.

  4. Adorei o que o Miguel falou.É a mais pura verdade.
    Infelizmente, os poderosos utilizam da política do pão e circo pra mascarar os problemas dos países.
    Acho muito bonita esse trabalho que o Chelsea. Sempre se envolve em campanhas.
    Parabéns pela iniciativa e que continue assim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Article by: Maria Akemi

Pernambaiana, torcedora do Chelsea desde muito tempo.