Em jogo emocionante, Chelsea e Everton empatam por 3 a 3

Chelsea empatou no apagar das luzes (Foto: Chelsea FC)
Chelsea empatou no apagar das luzes (Foto: Chelsea FC)

Após sofrer o empate nos minutos finais da partida contra o West Bromwich Albion na última rodada, neste sábado (16), foi a vez de o Chelsea aproveitar-se dos minutos finais para equalizar o placar.

Atuando contra um Everton que mostrou muita força ofensiva, o Chelsea saiu atrás no placar e chegou a perder por 2×0, com gols de John Terry, contra, e Kevin Mirallas, mas empatou com Diego Costa e Cesc Fàbregas. Na sequência, Ramiro Funes Mori recolocou os Toffees em vantagem e John Terry, desta vez a favor, deu números finais à partida.

O 3×3 mantém a invencibilidade do Chelsea sob o comando de Guus Hiddink, mas não altera em nada a má situação vivida pelo time na tabela de classificação.

Primeiro tempo sem gols e pouco movimentado

Apesar de ter sido especulada nos bastidores a entrada de Kenedy no time titular, a única novidade foi a saída de Oscar e o retorno de Nemanja Matic à contenção, atuando ao lado de John Obi Mikel. Pelo lado do Everton, Roberto Martínez deixou claro que exploraria o setor de Branislav Ivanovic dando oportunidade ao belga Kevin Mirallas pelo flanco esquerdo.

A partida começou muito travada no meio-campo e a primeira oportunidade de gol aconteceu aos cinco minutos, quando Ross Barkley tentou finalização de média distância, que estourou em John Terry. Pouco após, foi a vez de John Stones cabecear uma bola para fora, após cobrança de escanteio de Leighton Baines.

Aos 16, veio a primeira boa oportunidade do Chelsea. Após boa trama, Willian foi lançado nas costas da defesa dos Toffees e bateu cruzado, obrigando o goleiro Tim Howard a fazer boa defesa. Na sequência, em cobrança de escanteio, Kurt Zouma tentou finalizar, mas foi atrapalhado pela retaguarda do time de Liverpool, que voltou a assustar aos 18, quando o lateral Bryan Oviedo apareceu no ataque e finalizou para fora.

Azpi e Lennon travaram duelo pelo lado esquerdo da defesa dos Blues (Foto: Chelsea FC)
Azpi e Lennon travaram duelo pelo lado esquerdo da defesa dos Blues (Foto: Chelsea FC)

Pouco após, o atacante Romelu Lukaku, ex-Chelsea, teve algumas oportunidades mas também não levou grande perigo à meta de Thibaut Courtois.

Até os 40 minutos, o Everton teve maior domínio das ações ofensivas, mas não conseguiu produzir nenhuma grande chance. No entanto, no referido minuto, Mirallas conseguiu ultrapassar a boa marcação de Zouma e obrigou Courtois, seu compatriota, a fazer excelente defesa.

Apesar de uma leve superioridade do Everton, a primeira etapa foi bem equilibrada.

Segundo etapa teve emoção até o final

O segundo tempo, todavia, foi absolutamente distinto do primeiro e atípico. No primeiro lance de real importância, aos 50, Terry colocou a bola em sua própria baliza e deu a vantagem inicial ao Everton. Na sequência, em resposta ao gol, Guus Hiddink sacou Matic e colocou Oscar no campo, mas a alteração não fez efeito de imediato e aos 56 Mirallas fez belíssima jogada e aumentou a vantagem para os Toffees, 2×0.

Aos 62, em trama bonita dos espanhóis Cesar Azpilicueta e Fàbregas, o camisa 4 tentou surpreender Tim Howard, sem sucesso. Dois minutos depois, Diego Costa diminuiu o placar após receber excelente passe de Fàbregas, se desvencilhar do goleiro do Everton e chutar para o gol vazio.

O impacto do gol foi impressionante e dois minutos após foi a vez de Fàbregas receber passe de Diego Costa e ir às redes, empatando o encontro. Na sequência, Pedro, que não esteve bem na partida, deu lugar a Kenedy. Pouco após, o jogo ficou parado por alguns minutos para o atendimento de Bryan Oviedo que sofreu lesão e teve de ser substituído por Funes Mori.

Costa marcou o primeiro gol do Chelsea (Foto: Chelsea FC)
Costa marcou o primeiro gol do Chelsea (Foto: Chelsea FC)

Com o placar empatado, o Chelsea pressionou o Everton em busca do gol da vitória, mas foi Mirallas quem voltou a assustar aos 77, obrigando Courtois a fazer nova importante intervenção. Aos 80, Diego Costa deixou o gramado com um problema na panturrilha, dando lugar a Loïc Rémy. Ao mesmo tempo, o Everton trocou Aaron Lennon por Gerard Deulofeu e Barkley por Steven Pienaar.

No minuto 85 foi a vez de Mikel se arriscar ao ataque, com uma finalização de longa distância que levou perigo à meta dos Toffees. No entanto, ainda havia emoções por vir. Aos 90, após cruzamento de Deulofeu, Funes Mori, que havia substituído Oviedo, marcou o terceiro gol do Everton, praticamente definindo o placar.

Com a adição de muitos minutos de acréscimo, o Chelsea voltou à carga pelo empate e chegou perto aos 95, em finalização de Willian. Por fim, aos 98, Terry, que havia marcado contra, empatou a partida, dando números finais ao encontro.

Ficha técnica

Chelsea (4-2-3-1): Courtois (g); Ivanovic, Zouma, Terry (c), Azpilicueta; Mikel, Matic (’55 Oscar); Willian, Fàbregas, Pedro (’69 Kenedy); Costa (’80 Rémy);

Substitutos não utilizados: Begovic, Cahill, Baba, Loftus-Cheek

Técnico: Guus Hiddink

Everton (4-2-3-1): Howard; Oviedo (’70 Funes Mori), Stones, Jagielka, Baines; Barry, Besic; Lennon (’80 Deulofeu), Barkley (’80 Pienaar), Mirallas; Lukaku;

Substitutos não utilizados:  Robles, Cleverley, Osman, Kone

Técnico: Roberto Martínez

Cartões amarelos: Terry (CHE ’45)

Estádio: Stamford Bridge (Londres, Inglaterra)

Público:

Árbitro: Mike Jones

Category: Competições

Tags:

Article by: Wladimir de Castro Rodrigues Dias

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 24 anos. A preferência é o futebol bretão, mas me interesso pelo esférico rolado em qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também no O Futebólogo, no Doentes por Futebol e na Corner.