Com gols relâmpagos, Chelsea estreia com vitória fora de casa

Lampard cobra e, de pênalti, faz o segundo gol na vitória do Chelsea (Foto: chelseafc.com).

Em jogo da primeira rodada da Premier League, o Chelsea foi até Wigan, na grande Manchester, enfrentar o time local. Sem Marin e Sturridge contundidos, a novidade ficou por conta do brasileiro Oscar, que começou no banco de reservas.

Com um início de jogo empolgante, o Chelsea fez logo dois a zero com apenas 5 minutos de bola rolando. Sentindo o golpe, o Wigan tentou controlar a partida, mas a equipe de Manchester não assustava o gol de Petr Cech. Figueroa, Di Santo e Moses se revezavam na fracassada tentativa de equilibrar o duelo. E a queda de ritmo dos londrinos fez com que o restante do primeiro tempo não cumprisse com as expectativas criadas no início.

O segundo tempo não foi diferente. Mesmo com o Wigan tentando algo mais, os Blues controlaram a partida, e mantiveram o resultado sem muitas dificuldades. Vitória tranquila, e os primeiros três pontos para o Chelsea, que volta a campo agora na próxima quarta-feira, diante do Reading, em casa, em jogo antecipado da terceira rodada.

Chelsea tem início avassalador e abre vantagem na primeira etapa

Com pouco menos de 2 minutos de jogo, o jovem Hazard puxou a bola no meio de campo e carregou até fazer um longo e belo passe para Ivanovic. O sérvio avançou e chutou forte para fazer 1 a 0 para os visitantes. Três minutos depois, novamente Hazard em ação. O belga tentou drible no lado direito da entrada da área e sofreu pênalti. Lampard bateu na direita de Al Habsi. O goleiro até acertou o canto, mas não foi o suficiente. Dois a zero para os campeões europeus logo com 5 minutos de jogo.

Sentindo os dois golpes levados no início da partida, o time da casa tentava, em vão, entrar de fato em campo. Em momento de descontrole, o escocês Gary Caldwell recebeu o primeiro amarelo do jogo, após falta dura.

Embora estivesse com mais presença no campo de ataque após sair atrás no placar, o Wigan não conseguia criar nenhuma jogada que levasse perigo ao gol de Petr Cech. A primeira boa chance dos The Latics só veio aos 19 minutos. Após levantamento na área, o argentino, e ex-Chelsea, Di Santo cabeceou por cima do gol, assustando o goleiro dos Blues.

A partir daí a partida se resumia a tentativa de controle do jogo por parte dos donos da casa e aos lances de perigo do Chelsea, que baixou consideravelmente o ritmo após os dois tentos iniciais.

Aos 32 minutos os Blues voltaram a incomodar. David Luiz deixou Torres na cara do gol, mas o bandeira marcou impedimento do atacante espanhol. Quatro minutos depois o camisa 9 foi pego novamente em posição de impedimento.

Com 37 minutos o jovem Victor Moses, especulado pelo Chelsea, apareceu bem no jogo. O nigeriano bateu cruzado, de fora da área, do lado direito do campo, exigindo boa defesa de Petr Cech, que teve que tirar para escanteio de mão trocada. Moses voltou a aparecer aos 42 minutos. Ao tentar um cruzamento em forma de chute, o atacante levou perigo ao gol adversário.

Três minutos depois, a melhor chance do Wigan. Em rápido contra-ataque, Figueroa fez uma bela enfiada de bola para Di Santo. David Luiz não conseguiu cortar e o atacante tocou na saída de Cech, que desviou antes do zagueiro brasileiro acalmar e tirar do perigo quando a bola já chegava ao gol sem muita força.

O time da casa ainda teve uma falta cobrada antes do término da primeira etapa. Mas a bola foi no meio gol de Cech, que segurou tranquilamente.

Blues controlam o jogo e mantém o resultado no segundo tempo

O Wigan começou a segunda etapa buscando diminuir o prejuízo. E, logo no início, Cech foi obrigado a sair do gol para afastar a bola, após cobrança de falta perigosa. Na sobra, Di Santo tentou sem sucesso.  Pouco depois, Figueroa recebeu de Moses e cruzou, mas o camisa 1 dos Blues ficou com a bola.

A primeira chance do Chelsea na etapa final foi aos 7 minutos de jogo. Ashley Cole aproveitou o cruzamento desviado na grande área e chutou torto para fora.

O argentino Di Santo voltou a aparecer aos 14 minutos, finalizando, sem muita força, á direita do gol. Pouco depois, Moses tentou um chute colocado na esquerda de Cech, mas a bola foi pela linha de fundo.

Aos 18, Bertrand fez um passe de cabeça para Torres, que saiu dividindo com os zagueiros adversários e tocou na saída do goleiro. Mas, o zagueiro dos The Latics evitou o que seria o terceiro dos Blues.

Logo após foi a vez do técnico Roberto Di Matteo colocar o jovem brasileiro Oscar em campo. E, em sua primeira chance, o novo camisa 11 recebeu a bola, avançou e chutou com perigo, à direita de Al Habsi.

Aos 25, o meia Jordi Gómez recebeu lançamento e cabeceou mal, desperdiçando uma ótima chance de marcar o primeiro dos anfitriões. Pouco depois, o espanhol sofreu falta de Lampard, e cobrou com perigo; exigindo boa defesa de Cech, que caiu para segurar firme.

Há dez minutos do fim, Boyce cruzou e Terry afastou de cabeça. Pouco depois, RDM resolveu mexer novamente e trocou Juan Mata por Raul Meireles.

O Wigan voltou a assustar na cabeçada do estreante Kone, após cobrança de escanteio. O marfinense voltou a levar perigo após jogada individual de Moses, que o atacante deu um leve toque na bola. Cech salvou e, no rebote, Jordi Gómez tentou uma linda bicicleta, sem êxito.

Aos 41, Raul Meireles levantou bola na área em cobrança de falta pela direita. David Luiz cabeceou com força, e o goleiro Al Habsi fez boa defesa.

Dois minutos depois, Ivanovic recebeu de Oscar e tocou para trás, dentro da grande área. A bola passou entre dois jogadores do Chelsea e a zaga afastou. No minuto seguinte Koné arrumou espaço entre dois adversários e tocou para Gómez, que chutou à direita de Cech. E ficou nisso: dois a zero para o Chelsea, que estreia com vitória na temporada 2012/2013 da Premier League.

Ficha técnica

Wigan Athletic (3-4-3): Al Habsi; Ramis, Alcaraz, Caldwell (c); Boyce, McCarthy, McArthur (Watson 79), Figueroa; Moses, Di Santo (Kone 66), Maloney (Gomez 48).

Suplentes não utilizados: Pollitt, Jones, Crusat, Boselli.

Chelsea (4-2-3-1): Cech; Ivanovic, David Luiz, Terry (c), Cole; Mikel, Lampard; Hazard (Oscar 63), Mata (Meireles 82), Bertrand; Torres.

Suplentes não utilizados: Turnbull, Cahill, Ferreira, Essien, Sturridge.

Gols Ivanovic 1, Lampard (pen) 6.

Árbitro: Mike Jones

Category: Competições

Tags:

Article by: Patrick Monteiro