Com brilho de goleiros, Chelsea e Manchester United empatam sem gols

Rivais vinham de mau momento (Foto: Twitter Oficial Chelsea FC)
Rivais vinham de mau momento (Foto: Twitter Oficial Chelsea FC)

Em partida válida pela 19ª rodada da Premier League, o Chelsea foi ao estádio Old Trafford, onde enfrentou o Manchester United. Com as duas equipes precisando se reerguer, o jogo foi movimentado e equilibrado, com os Red Devils dominando a posse da bola e o Chelsea partindo em perigosos contragolpes.

Com o empate, o Chelsea subiu para a 14ª posição, mas segue sem tranquilidade para se preparar para o confronto contra o Crystal Palace, que será válido pela 20ª rodada da Premier League e acontecerá no dia 03 de janeiro, em Selhurst Park.

Primeiro tempo de muitas emoções e manutenção do zero no placar

Sem Diego Costa, suspenso, Guus Hiddink alinhou Eden Hazard na função de falso 9, lançando a campo também o volante John Obi Mikel, na vaga do espanhol Cesc Fàbregas. O jogo começou movimentadíssimo e antes de completados 10 minutos, Juan Mata acertou um belo e potente chute no travessão de Thibaut Courtois, John Terry obrigou David de Gea a fazer uma brilhante defesa após cobrança de escanteio de Willian e Morgan Schneiderlin arriscou com muito perigo ao gol do Chelsea.

Aos 14 minutos foi a vez de, após bom lançamento de Pedro Rodríguez, o brasileiro Oscar avançar pelo lado direito e bater cruzado para fora. No entanto, logo depois o Manchester United voltou a assustar. Aos 16, o francês Anthony Martial foi para cima do lateral sérvio Branislav Ivanovic e teve espaço para finalizar novamente uma bola na trave do belga Courtois.

Os primeiros 20 minutos mostraram domínio do United, que, todavia, cometeu algumas falhas com Daley Blind e Chris Smalling e ofereceu contragolpes perigosos ao clube londrino.

Partida foi muito disputada no primeiro tempo (Foto: Twitter Oficial do Chelsea FC)
Partida foi muito disputada no primeiro tempo (Foto: Twitter Oficial do Chelsea FC)

Com 21 minutos jogados, Martial foi novamente para cima de Ivanovic e caiu na área azul, pedindo pênalti não marcado pelo árbitro da partida. No minuto imediatamente seguinte, Courtois saiu jogando muito mal e ofereceu contragolpe perigosíssimo aos Red Devils, que, entretanto, trabalharam mal a jogada.

Aos 28 coube a Wayne Rooney obrigar o goleiro do Chelsea a fazer uma belíssima defesa após arremate de fora da área. Na sequência, após a cobrança de escanteio, o Chelsea tentou contra-atacar com Pedro, mas Cesar Azpilicueta se enrolou com a bola na sequência. Dez minutos depois foi a vez de o Chelsea voltar a atacar. Após falta sofrida por Eden Hazard, Willian levantou bola que encontrou Kurt Zouma, que finalizou para fora.

Os 15 minutos finais de primeira etapa perderam intensidade e se equilibraram. Ao final dos 45 minutos iniciais, Mata e Martial foram os grandes destaques do United e Hazard, que muito procurou o jogo e foi caçado, do Chelsea.

Em segundo tempo menos movimentado, Chelsea e Manchester United empatam

Com apenas dois minutos da segunda etapa, Hazard fez jogada sensacional, colocou Pedro na cara do gol, mas o espanhol parou em De Gea, que fez nova defesa no rebote, finalizado por Azpilicueta. Nos minutos que se seguiram, o Manchester United voltou a dominar as ações, mas sem conseguir criar real perigo à meta do Chelsea.

A primeira grande oportunidade dos Red Devils veio aos 55 minutos, quando Martial fez grande jogada e serviu Rooney, que obrigou Courtois a fazer uma defesa espetacular. Na sequência Willian tocou com o braço na bola dentro da área, mas o árbitro nada assinalou. Seis minutos mais tarde, o Chelsea perdeu chance claríssima. Pedro avançou em contragolpe e acionou Nemanja Matic que entrou na área e, cara a cara com De Gea, bateu muito mal, por cima do gol. Dois minutos depois o volante sérvio tentou novamente, mas finalizou muito mal de média distância.

Rooney teve boas chances no segundo tempo (Foto: Twitter Oficial Manchester United)
Rooney teve boas chances no segundo tempo (Foto: Twitter Oficial Manchester United)

Aos 73, Rooney recebeu lançamento espetacular de Mata, mas furou e não conseguiu finalizar. No entanto, o inglês estava impedido. Já no apagar das luzes, aos 86, o atacante voltou a perder uma boa ocasião, após receber ótimo cruzamento de Borthwick-Jackson e finalizar por cima da meta de Courtois.

O treinador Guus Hiddink lançou Ramires ao campo pouco após a metade do segundo tempo na vaga de Willian e, desde então, o Chelsea se retraiu, e o jogo ficou muito morno, revelando a tendência do que aconteceu até o apito final.

Ficha Técnica

Estádio Old Trafford, Manchester

Árbitro: Martin Atkinson

Chelsea (4-2-3-1): Courtois; Ivanovic, Zouma, Terry (c), Azpilicueta; Matic, Mikel; Oscar (Loftus-Cheek 90+3), Willian (’69 Ramires), Pedro; Hazard

Substitutos não-utilizados: Begovic, Baba Rahman, Djilobodji, Traoré, Kenedy

Técnico: Guus Hiddink

Manchester United (4-2-3-1): De Gea; Young, Smalling, Blind (’81 Jones), Darmian (’69 Borthwick-Jackson); Schneiderlin, Schweinsteiger; Mata (’76 Depay), Herrera, Martial; Rooney

Substitutos não-utilizados: Romero, Carrick, Fellaini e Pereira

Técnico: Louis van Gaal

Cartões amarelos: Mikel (CHE ’27), Schneiderlin (MUN ’30), Smalling (MUN ’39), Hazard (CHE ’70)

Category: Competições

Tags:

Article by: Wladimir de Castro Rodrigues Dias

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 24 anos. A preferência é o futebol bretão, mas me interesso pelo esférico rolado em qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também no O Futebólogo, no Doentes por Futebol e na Corner.