Chelsea empata e vai à final da Champions League

Com o empate em 2-2, o Chelsea garantiu a classificação graças ao lindo gol por cobertura de Ramires, nos acréscimos do primeiro tempo, e de Fernando Torres, nos acréscimos do segundo. Durante todo o jogo, foi ataque contra defesa, e num único lance de chegada ao campo de ataque no primeiro tempo efetivamente, os Blues marcaram o precioso gol.

No segundo tempo, com um a menos, a doação dos jogadores foi emocionante. Petr Cech fez defesas grandiosas, tornando-se um dos grandes na partida, e nos acréscimos, Fernando Torres recebeu livre, driblou Valdés e consolidou a classificação dos Blues, que é o único time londrino em toda a história a chegar duas vezes na final da Champions League.

O próximo jogo do Chelsea será no próximo domingo, contra o Queens Park Rangers, no Stamford Bridge, válido pela Premier League.

Barcelona domina e Terry se descontrola

Necessitando reverter o placar, o Barcelona tomou as rédeas da partida, como de praxe, massacrou na posse de bola (75%) e foi extremamente paciente, pois o Chelsea posicionou-se demasiadamente atrás, como esperado, congestionando o meio-campo com cinco jogadores, e Drogba estava solitário na frente, em busca de receber uma bola em velocidade.

O bom posicionamento dos Blues, diminuindo por completo os espaços para infiltrações dos jogadores catalães, fez com que a improdutividade e falta de objetividade Culé fosse nítido, mesmo assim, no pouco tempo em que esteve com a bola, não conseguia engatar nenhum contra-ataque.

Aos 12, Gary Cahill deixou o campo de jogo machucado, dando lugar a José Bosingwa, que ocupou a lateral-direita, enquanto Ivanovic juntou-se a Terry no miolo de zaga.

Aos 19 minutos, depois de soberba troca de passes num espaço de um lenço, Fabregas tocou brilhantemente de calcanhar para Messi, que bateu cruzado para defesa com os pés de Cech.

Minutos depois, Daniel Alves entrou na vaga do machucado Piqué, e mudou a cara do Barcelona, que teve mais dinâmica e velocidade em suas jogadas. E, depois de bom passe do lateral brasileiro, Iniesta estava livre, às costas de Bosingwa, num absurdo latifúndio, e bateu pra trás, encontrando Busquets livre para abrir o placar.

Pouco tempo depois, novamente às costas do canhestro Bosingwa, Iniesta recebeu passe de Messi e ampliou. Ao Chelsea, lhe necessitava a busca pelo gol, que veio no fim do primeiro tempo, em rápido contra-ataque puxado e finalizado por Ramires, que recebeu linda bola de Lampard, e encobriu Valdés num toque sutil. Antes do gol londrino, Terry havia sido expulso após dar joelhada criminosa e desnecessária em Sanchez, prejudicando o time do Chelsea. Há 8 anos um capitão do Chelsea não era expulso em jogos da Champions League, sendo que o último foi o francês Desailly.

Ataque contra defesa. 11 contra 10. Doação louvável e Chelsea na final

Mal começou a etapa final e Drogba deu um carrinho infantil em Fabregas dentro da área, pênalti. Na cobrança, Messi chutou na trave, perdeu seu oitavo pênalti em toda sua carreira.

Roberto Di Matteo mudou o posicionamento de Ramires, e o colocou na lateral direita, transferindo Bosingwa para a zaga, atuando ao lado de Ivanovic. E Ramires se comportou muito bem, correndo e demonstrando raça até o apito final.

O Barcelona continuou em cima, dinamizando seu jogo, trocando muitos passes, aliás, mais de 500 passes em toda a partida, até encontrar espaço e Cuenca livre, que recebeu e chutou para defesa do gigante e irretocável Petr Cech.

Di Matteo colocou Kalou na vaga de Mata, e o marfinense jogou pelo lado direito, restrito apenas à marcação. Assim como Drogba, que foi para a lateral esquerda, a exemplo do que fez Samuel Eto´o em 2010. E o jogo era ataque contra defesa.

Todos os jogadores do Barcelona estavam no campo de ataque, encurralaram o Chelsea, mas o ferrolho imposto pelos Blues, a entrega inteira por parte de todos foram fatores preponderantes para a conquista épica da classificação.

Aos 34, Torres substituiu o exausto Drogba. Aos 37, Messi chutou da intermediária e a bola tocou a trave, mas Cech resvalou sensivelmente para salvar os Blues.

No finzinho, chutão pra frente e Torres recebeu literalmente livre para conduzir a bola, driblar Valdés, empatar o jogo e matar as chances do Barcelona, que teve seu treinador dizendo que estaria na final de forma extremamete prepotente. Torres éo jogador que mais gols marcou no Barcelona. Na final, Ivanovic, Terry, Ramires e Meireles não jogarão por estarem suspensos.

Barcelona x Chelsea

Barcelona (3-3-4): Valdés, Puyol, Piqué (Daniel Alves 25’) e Mascherano; Busquets, Xavi e Iniesta; Fabregas (Keita 28’), Cuenca (Tello 23’), Messi e Sanchez.

Cartão amarelo: Messi, Iniesta

Chelsea (4-5-1): Cech, Ivanovic, Cahill (Bosingwa 12’), Terry e Cole; Mikel, Meireles e Lampard, Mata e Ramires; Drogba (Torres 35’).

Cartão amarelo: Mikel, Lampard, Meireles (suspenso), Ramires (suspenso), Ivanovic (suspenso) e Cech

Cartão vermelho: Terry

Árbitro: Cuneyt Çakir

Category: Competições

Tags:

Article by: Romário Henderson