Uma análise e um indicativo de como o Chelsea enfrentará o Barcelona

No próximo dia 20, teremos, em Stamford Bridge mais um jogo entre Chelsea e Barcelona.  Isto porque (o que eu não espero), mas poderemos ver um dos maiores tabus sendo quebrados – o de Lionel Messi.

Chelsea e Barcelona já se enfrentaram muitas vezes, 15 para ser mais exato. E, equilíbrio, é o que não falta: 5 vitórias para cada lado e 5 empates. 20 gols para o Chelsea e 25 gols para o Barcelona.

No último confronto, pela semi-final da UCL de 2012, vitória em Stamford Bridge (com gol de Drogba), e empate no Camp Nou (Busquets e Iniesta; Ramires e Fernando Torres).

O fato mais importante foi o pênalti perdido por Messi, aos três minutos do segundo tempo, enquanto o Chelsea jogava com 10 (John Terry foi expulso).

Barcelona na UCL 2017-2018

Na fase de grupos, o Barcelona conseguiu 4 vitórias e 2 empates.  Em casa, 3 vitórias (fazendo 8 gols e sofrendo apenas 1, do Olympiakos).  Fora do Camp Nou, 1 vitória contra o Benfica e 2 empates por 0x0, contra Juventus e Olympiakos.

Nos 3×0 contra a Juventus, Messi marcou no final do primeiro tempo, onde a Juventus jogou melhor e levou muito mais perigo no gol de Ter Stegen.  Neste dia, caiu mais um tabu: nunca Messi tinha feito gol em Buffon.

Se você perceber, no 3o. gol, aos 24′ do 2o. tempo, o lateral esquerdo da Juventus, Alex Sandro, lembrou muito Bakayoko na marcação.

O Barcelona jogou no 3-4-3, enquanto a Juventus jogou no 4-2-3-1, e funcionou muito bem… até o primeiro gol de Messi.

Olympiakos 0 x 0 Barcelona

No dia 31/10, o técnico do Olympiakos Takis Lemonis, armou seu time no ferrolho 4-5-1. Com uma equipe muito mais inferior que o Barcelona, o Olympiakos jogou com 2 laterais que não apoiavam (Leonardo Koutris e Omar Elabdellaoui), 3 volantes (Vadis Odjidja, Panagiotis Tachtsidis e Alaixis Romão), 2 segundos-volantes (Mehdi Carcela-González e Diogo Figueiras), e apenas um único atacante: Kostas Fortounis, que, diga-se de passagem, é meia de origem.

Enquanto isso, o Barcelona, novamente, jogou no seu tradicional 4-3-3, com Messi, Luiz Suares e Denis Suares.  Como a equipe do Olympiakos não oferecia nenhum perigo, Ernesto Valverde trocou Sergi Roberto (que estava jogando de 2o. volante), por um outro atacante: Deloufeu.

Os números do jogo dizem tudo: enquanto o Olympiakos conseguiu dar 6 chutes, o Barcelona chutou 20 vezes; posse de bola 34% X 66%; total de passes 284 X 674.

Melhor jogador em campo? Para a UCL Sergio Busquets.  Para todos nós : Proto, goleiro do Olympiakos.

Juventus 0 x 0 Barcelona

No dia 22/11, pela 5a. rodada da fase de grupos, a Juventus iniciou com um 3-4-3 (Buffon; Rugani, Benattia e Barzagli; Alex Sandro, Khedira, Quadrado e Pjanic; Dyballa, Higuain e Douglas Costa). Enquanto isso, o Barcelona, em seu tradicional 4-3-3, porém, com alterações no ataque: Paulinho, Luiz Suares e Deulofeu.  Lionel Messi começou no banco.

A posse de bola foi parecida com o jogo do Olympiakos: 38% X 62%. A diferença foi nos arremates: 11 para a Juventus e 10 para o Barcelona.  Já nos passes, uma diferença gigantesca: 399 para a Juventus e 697 para o Barcelona.

Chelsea  x  Barcelona

No dia 20/02, terça-feira, o Chelsea enfrentará o Barcelona em Stamford Bridge, pela “primeira perna” das oitavas-de-final da Champions League 2017-2018.  Antonio Conte sabe que, a única forma dele se manter no cargo no final da temporada, é, pelo menos, levar o Chelsea longe na UCL.  E, para isto, não tenha dúvidas, caro torcedor dos Blues, Conte jogará com um 3-5-2, tendo Marcus Alonso (ou Emerson Palmieiri) como ala esquerda, e Victor Moses (ou Davide Zappacosta como ala direito), e 3 no meio-de-campo; Kanté, Bakayoko e Fàbregas; no ataque Eden Hazard e Alvaro Morata (ou Olivier Giroud).

Goleiro: Thibaut Courtois;

Defesa: Azpilicueta, Andreas Christensen e Gary Cahill (OU Antonio Rudiger, OUDavid Luiz)

Meio-de-campo: Marcus Alonso (OU Emerson Palmieri), Kanté, Bakayoko (OU Drinkwater OU Ross Barkley), Fábregas e Victor Moses (OUDavide Zapacosta)

Atacantes: Hazard e Álvaro Morata (OUGiroud)

Banco de reservas: (são 7 que a UEFA permite): Caballero, Antonio Rudiger OU David Luiz; Emerson Palmieri OU Zapacosta, Drinkwater, Ross Barkley, Willian (OU Giroud caso Morata jogue), Pedro.

Portanto, você, torcedor do Blues, saiba que o Chelsea jogará recuado contra o Barcelona. A ideia de Conte é depender do craque Hazard ou de algum lampejo de outro jogador, como Marcus Alonso, e sair com uma vitória no Stamford Bridge, para, depois, tentar à sorte (com crase), no Camp Nou.

#GoBlues

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Dalton Gerth

Torcedor do Chelsea desde a época em que Vialli era técnico E jogador, advogado e estudante de licenciatura em Matemática.