Europa League

Que venha a Europa League

Na UCL da temporada 2012-2013, o Chelsea (como atual campeão), saiu ainda na primeira fase e foi disputar a Europa League. Derrotou o Sparta Praga, Steua Bucaresti, Rubin Kazan, Basel e foi campeão derrotando o Benfica.  Com isto, carimbou o passaporte para a UCL 2013-2014, independentemente da colocação na Premier League.

Na minha opinião, o Arsenal irá conquistará a Europa League deste ano, e também carimbará o acesso para a UCL de 2018-2019.  Esta técnica, ocorreu também na temporada 2016-2017, quando o Manchester United foi campeão e também carimbou o passaporte para a Champions.

Mas, e o Chelsea?  Bom, respondo vendo os jogos da última semana.

Na última terça-feira (dia 03/04), tive a grata alegria de ver, na íntegra Juventus e Real Madrid, onde, um jogador, com seus 33 anos, fez dois gols, sendo um deles antológico.

Um dia depois, também assisti Liverpool x Manchester City, um jogo definido em 19 minutos (dos 12′ ao 31′ do primeiro tempo).  Mesmo terminando com 62% de posse de bola para a equipe derrotada, o Liverpool, finalizou 4 vezes ao gol, enquanto que o City não conseguiu finalizar nenhuma vez corretamente.

No sábado, assisti a garra do Manchester United, na virada espetacular, em pleno Etihad Stadium.  E, novamente, a posse de bola do City foi bem superior: 65% contra 35%.

E então, aguardei, como todo torcedor, o jogo do Chelsea contra o West Ham.  No gol de Azpilicueta (mais chorado, impossível), já comecei a imaginar o prenúncio que ocorreria.  E não apenas o resultado, mas a forma de se jogar, que fez com que me sucumbisse para aceitar a realidade: “Prefiro ver o Chelsea jogando a Europa League 2018-2019 do que a Champions League 2018-2019“.

E isto, porque, se jogarmos (hipoteticamente, já que, atualmente, é quase que uma questão matemática), a Champions em 2018-2019, não tenho dúvidas que sairemos novamente nas oitavas de final.  (Isso se não sairmos na primeira fase).

Portanto, que o Chelsea consiga, pelo menos classificar para a Europa League.  Porque, com a saída iminente de Antonio Conte no fim da temporada, será ótimo para o novo treinador jogar um campeonato mais “Série B“, do que tentar disputar a Champions.

E para isto, há dois jogos super importantes.  Um contra o Southampton, que está na zona de rebaixamento, e contra o temível Burnley (?).  Isso mesmo. Temível.  Uma derrota para o Southampton, e uma vitória do Burnley contra o Leicester, diminuiria a distância de oito para cinco pontos.  E, o próximo jogo contra o próprio, poderia diminuir para 2.

Ou seja, o 5o. lugar na Premier League ou a disputa da final do Campeonato Inglês, poderia fazer com que o Chelsea, não disputasse nenhum campeonato europeu na próxima temporada.

Mas, e quanto aos jogadores?  Quem deveria ficar, quem deveria sair?  Talvez a matéria de Vinícius Paráboa já diz tudo, apenas lendo o título: Desânimo.

E, para o novo técnico…. uma ótima música, seria a de Marina Lima, que deixo-a aqui. Reflita o primeiro estrofe.

#GoBlues

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

P.S. A minha coluna, que é aos sábados, foi publicada excepcionalmente hoje, por motivos técnicos.  Porém, no próximo sábado, dia 14/04, voltará a normalidade.

Category: Opinião

Tags:

Article by: Dalton Gerth