Contratações que não deram certo: #03: Asier del Horno

Depois de citar dois jogadores conhecidos no âmbito futebolístico (Lassana Diarra e Claudio Pizarro), minha coluna desta semana, estará dedicada a um jogador que chegou ao Chelsea na época áurea de José Mourinho.

Por outro lado, o que poderia ser algo brilhante em sua carreira, se tornou um desastre.  Isto devido a um único jogo, que colocou todo o trabalho de José Mourinho (e do próprio Chelsea), abaixo.  Leia o post, e relembre deste fato quase despercebido do Chelsea F.C.

Início de carreira

Asier del Horno Cosgaya fez sua carreira no Atlhetic Bilbao da Espanha. Disputou os campeonatos 2000-2001 até a campanha de 2004-2005, quando esteve em seu auge.  Nesta sua última campanha, disputou 37 jogos, fazendo seis gols e contribuindo com mais quatro assistências, nas duas competições (La Liga e UEFA Cup), disputadas.

Ida ao Chelsea

No primeiro ano de José Mourinho, na temporada 2004-2005, conseguimos a conquista da Premier League, com incríveis 15 (quinze) gols sofridos em 38 jogos – um recorde que perdura até hoje.  No entando, na Champions, passamos fácil na primeira fase, com 4 vitórias, 1 empate e 1 derrota, 10 gols a favor, 3 contra, saldo de 7, porém, paramos diante do Liverpool na semi-final (0x0 e 0x1).

Na temporada 2005-2006, com as saídas de Celestine Babayaro (que saiu gratuitamente em Janeiro de 2005 para o Newcastle), Mourinho tinha apenas Wayne Bridge para a posição, e, por inúmeras vezes, precisou improvisar Willian Galas na lateral esquerda.  Neste panorama, foi que o promissor Asier del Horno, chegou ao Chelsea, por uma taxa de £10.80m.

Início promissor na Premier League

Asier del Horno foi titular nas cinco primeiras rodadas, contribuindo com 1 assistência e 1 gol (contra o Spurs).  Nesta temporada (2005/2006), vencemos os nove primeiros jogos (18 gols a favor, 2 gols contra).

Campanha na Champions League

Todos sabiam que o investimento de Roman Abramovich tinha um único objetivo, ou seja, ser campeão da Premier League. Por exemplo, no ano anterior, o cobiçado campeonato tinha escapado por questões de detalhes.  Porém, neste ano, na fase de grupos, o Chelsea caiu juntamente com o Liverpool, e, depois de perder pelo Real Betis por 1×0, acabou classificando-se em 2o. lugar no grupo.

Consequentemente na fase de mata-mata surge uma pedreira: Barcelona. Com o primeiro jogo em Stamford Bridge, o dia  22 de fevereiro de 2006, ficou marcado negativamente para o jovem lateral recém-chegado.

Acima de tudo José Mourinho montou o Chelsea em um 4-4-2 da seguinte forma:

  • Petr Cech;
  • Paulo Ferreira, John Terry, Ricardo Carvalho e Asier del Horno;
  • Makélélé, Frank Lampard, Joe Coe (Njitap Geremi, aos 40′) e Arjen Robben (Shaun Wright-Philip aos 78′);
  • Eidur Gudjohnsen e Hernán Crespo (Didier Drogba aos 46′).

Completaram o banco de reserva, os jogadores:

  • Carlo Cudicini, Robert Huth, Maniche, Damien Duff, Njitap Geremi, Shaun Wright-Philips e Didier Drogba.

A derrocada

Primeiro de tudo que a equipe do Barcelona possuía dois jogadores que encontravam-se no auge: Ronaldinho e Lionel Messi.  E, não por menos, Lionel Messi resolveu jogar exatamente na área em que encontrava-se Adier del Horno, ou seja, do lado esquerdo do Chelsea.

Porém, aos 33 minutos da primeira etapa, o promissor lateral levantou muito a perna, e acabou acertando o joelho de Messi. Mas aos 37, não restou outra alternativa senão sua expulsão.

Se jogar com 11 jogadores contra o Barcelona já é ruim, jogar com 10…, resumindo não tivemos outro resultado, senão a derrota por 2×1. Relembre os melhores momentos (e a expulsão) daquele jogo, no vídeo abaixo:

O fim

Sentindo o maior responsável pela desclassificação do Chelsea na Champions, em outras palavras, pediu para ser negociado com o Valência, por £6.75m, exatamente um ano depois que assinou com o Chelsea.

 

#GoBlues

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

A gente sabe que você também tem o sangue azul. Apoie o Chelsea Brasil e ajude a escrever a nossa história! Link direto para a campanha: https://goo.gl/6AAUzD.

Apoia-se Chelsea Brasil

Dalton Gerth

Torcedor do Chelsea desde a época em que Vialli era técnico E jogador, advogado e estudante de licenciatura em Matemática.