Acúmulo de vices e três brasileiros no elenco: o primeiro adversário do Chelsea na UEL

Com ou sem ânimo, a caminhada do Chelsea na Europa League começa nesta quinta-feira (20), às 13h55 (de Brasília), na Grécia, contra o PAOK. O torneio, que é uma consolação para quem não conseguiu vaga na Champions, pode acabar sendo também o caminho menos complicado para voltar ao patamar da principal disputa do continente, já que o campeão garante este direito. Mas, afinal, quem é esse primeiro rival dos Blues?

Vice-campeão em quatro das últimas seis edições, o PAOK não levanta a taça da liga nacional desde a temporada1984/1985, quando faturou seu segundo título. O primeiro foi em 75/76. Apenas o Larissa, com um, tem menos taças dentre todos os que conseguira conquistá-la.

Só que a história está mudando. Melhor dizendo, batendo na trave para consolidar um novo cenário. A prova mais concreta disto é o já citado acúmulo de segundas colocações.

Fundado em 1926, o clube de Salônica (segunda maior cidade do país) quase integrou os potes do sorteio da Liga dos Campeões. No último passo para conseguir o feito, começou bem, arrancando um empate em 1 a 1 com o Benfica, em Portugal. Depois, entretanto, acabou goleado, em casa, por 4 a 1, dando adeus ao sonho, até se juntar ao Chelsea na chave L da UEL.

O elenco conta com três brasileiros: o defensor Léo Matos, de 32 anos, o meia Maurício (29) e o atacante Léo Jabá (20). O Brasil só fica atrás da própria Grécia em número de representantes da equipe.

Matos passou por Flamengo, Marseille (FRA), Paraná, Figueirense, Tombense e Vila Nova, até chegar aos ucranianos Chornomorets e Dnipro, antes de vestir a camisa do PAOK.

Por sua vez, Maurício frequentou as divisões de base de Corinthians e Fluminense. Jogou nos profissionais do próprio tricolor carioca e esteve nos russos Terek Grozny e Zenit até rumar ao clube de momento.

O Corinthians também foi a primeira casa de Léo. O mais conhecido do trio ainda fez escala em outro clube da Rússia, o Akhmat Grozny.

Por falar em fama, ninguém barra o português Vieirinha no alvinegro de Salônica. Já o sérvio Aleksandar Prijovic é a principal arma aérea. O centroavante de 28 anos e 1,91 m marcou cinco gols em oito jogos nesta temporada. Na passada, foram 27 em 39.

O Stadio Toumba recebe hoje até 28 mil pessoas, mas, em outras épocas, já colocou 45 mil. Isto aconteceu em dezembro de 1976, diante do AEK Atenas.

Na temporada em vigor, o PAOK disputou apenas três partidas e venceu todas, sendo duas por 1 a 0 (como local e visitante, respectivamente) e uma por 3 a 1, a última e longe da torcida. Ainda assim, por causa do saldo de gols e de uma punição de dois pontos, é “somente” o quarto colocado na liga de 16 equipes.

Mais complexo do que prever a dificuldade que o Chelsea encontrará nesta quinta é escrever/pronunciar o nome do clube destrinchando suas iniciais. Panthessalonikeios Athlitikos Omilos Konstantinoupoliton. Quem quiser que tente! Confira abaixo os melhores momentos do último jogo do time no “Gregão” 18/19.

 

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Patrick Monteiro