A permanência de Hudson-Odoi está bastante questionada em Londres

Aparentemente, vamos acompanhar uma novela “Callum Hudson-Odoi” em Stamford Bridge. Nas últimas semanas, os jornais ingleses afirmam que o jovem atleta do Chelsea desperta o interesse do Bayern de Munique. O Daily Mail citou que o Chelsea está preocupado com a postura agressiva dos alemães sobre o anseio em contar com o atleta. Segundo o que foi exposto pelo veículo, a equipe inglesa demonstra preocupação sobre a possibilidade do contato do Bayern ser realizado diretamente com a família do atleta sub-19. Uma situação que não foi confirmada/informada pelos veículos de comunicação. Ainda segundo o informativo, a equipe londrina já teria recusado propostas com o valor aproximado em 30 milhões de libras (aproximadamente 140 milhões de reais).

Motivações

“Eu sei que o Bayern está interessado nele, mas nós estamos também. Nós temos um contrato com ele por enquanto e veremos o que o atleta quer,” disse Gianfranco Zola em entrevista concedida ao jornal. Além disso, vale ressaltar que o mercado alemão é um atrativo devido ao investimento e a projeção de jovens atletas. O próprio clube londrino concluiu a transferência de Christian Pulisic, jovem futebolista do Borussia Dortmund, que chegará em Londres no mês de julho.

Além de Pulisic, podemos citar os casos de Jadon Sancho e Reiss Nelson, que também evidenciam esse cenário de evolução de promessas no futebol alemão. A filosofia e a execução do trabalho nas categorias de base alemãs também chamam atenção. Não é de hoje que há um trabalho diferenciado na formação do futebolista alemão e, todos esses elementos, são fatores que chamam atenção para o jovem atleta e sua família. Vale relembrar que Hudson-Odoi ainda não fez nenhuma partida como titular pela Premier League. Ou seja, Callum atuou como titular em torneios domésticos e na Europa League, sendo observado e avaliado como uma promessa no cenário futebolístico europeu.

Pelo cenário atual e pelo crescimento da “novela”, o atleta não deve ser inegociável. Se o Bayern aumentar as cifras e ceder benefícios dentro do contrato, a venda ficaria bem mais próxima e possível. Quais benefícios? Vou mencionar um: a possibilidade de uma clausula de prioridade de recompra ao Chelsea (buy-back clause). Mas o Bayern quer ceder contratualmente? Bom, aparentemente não. Em adição ao que foi falado, especificamente dentro dessa negociação, o anseio por uma clausula de recompra demonstra relutância do clube inglês. Ou seja, a vontade do Chelsea em permanecer com o atleta.

Reflexão

Desta forma, compartilho um pensamento que tenho. Tradicionalmente, o Chelsea costuma refazer/renegociar a duração dos contratos dos atletas que chegam aos 30 anos de idade. Geralmente, a extensão contratual gira em um ou, no máximo, dois anos. Justamente para dar oportunidade aos atletas promissores e mais jovens. Em outras palavras, uma renovação. Dentro da equipe londrina, Pedro (31 anos) e Willian (30 anos) entraram na casa dos “trintões”. Por outro lado, o jovem Pulisic chega para brigar pela titularidade no setor a partir deste ano. Observando neste viés, permanecer no clube londrino seria interessante para Callum Hudson-Odoi. O desenvolvimento em nível mundial parece ser de questão de anos e as portas vão se abrir para ele. Em outras palavras, a renovação do plantel é eminente, basta ter paciência e querer ficar em Londres.

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.