A lista das Top 10 jovens promessas do Chelsea de 2011 – Parte 2

Continuando na segunda (e última) parte do meu post, referente a Lista das Top 10 jovens promessas do Chelsea, de nosso ex-colunista, Thiago Lyon.

Primeiro de tudo que, na semana passada, dos 10 nomes citados como “promessas”, detalhei 6 deles:

  • Billy Clifford
  • Connor Clifford
  • Jacopo Sala
  • Jacob Mellis
  • Milan Lalkovic
  • Jeffrey Bruma

Consequentemente vamos a lista final dos últimos quatro nomes restantes: Gael Kakuta, Patrick van Aanholt, Josh McEachran e Fabio Borini.

Gael Kakuta

Gael Kakuta

Gael Kakuta

Pela razão que já realizei uma matéria exclusiva com a jovem promessa Gael Kakuta, irei apenas fazer um breve resumo deste jogador. Kakuta já chegou ao Chelsea causando um enorme problema da ordem jurídica, já que o Lille (equipe que Kakuta jogava), acusou o Chelsea de aliciamento.  Isto resultou em um valor (pago pelo Chelsea), da ordem de, aproximadamente, 1 milhão de libras.

Finalmente após cinco anos, e inúmeros empréstimos, Kakuta foi vendido ao Sevilha, pela quantia de £5.40. Porém somente sete meses depois o próprio Sevilla concordou em ter 900 mil libras de prejuízo, e concordou em vendê-lo para o Hebei China Fortune por £4.50 milhões.

Patrick van Aanholt

Patrick Van Aanholt

Patrick Van Aanholt

Patrick John Miguel van Aanholt, chegou ao Chelsea no dia 1o. de Julho de 2007, quando o técnico era José Mourinho.  Vindo das equipes de base do PSV (Philips Sport Vereniging) da Holanda, por uma pechincha: apenas £270. Isso mesmo: duzentos e setenta mil libras!

Devido a sua tenra idade, ficou durante algum tempo nas equipes de base do Chelsea. Consequentemente van Aanholt foi emprestado para a equipe do Conventry City, que disputava a Championship (2a. divisão da Inglaterra). Ele disputou 28 jogos pela nova equipe (27 como titular) e foi bem em sua primeira temporada.  Tanto que, foi chamado de volta para compor a equipe do Chelsea, devido a vários jogadores da equipe principal terem sidos chamados pela Copa Africana de Nações.

A estreia na equipe principal

Mais digno de nota que Aanholt fez sua estreia em uma partida da EFL Cup, no dia 23/01/2010, quando o Chelsea venceu o Preston North End por 2×0.  Também estava na equipe principal durante a partida contra o Stoke City (da mesma competição), sendo vencido, também pelo Chelsea por 2x.0.  Nas duas partidas, Aanholt ficou no banco de reservas.

Enquanto que, pela Premier League, conseguiu estrear pela primeira vez no Chelsea no dia 24/03/2010, quando o Chelsea venceu a equipe do Portsmouth por 5×0. Neste jogo, Aanholt entrou no lugar de Yuri Zhirkov, jogando os últimos 19 minutos.  Também fez sua estreia em Stamford Bridge no dia 27/03/2010, contra a equipe do Aston Villa, que o Chelsea goleou por 7×1. Aanholt entrou novamente no lugar de Yuri Zhirkov, faltando 14 minutos.

Devido a não ter espaços na equipe principal do Chelsea, principalmente depois da volta de vários jogadores da Copa Africana de Nações, foi emprestado para a equipe do Newcastle por apenas um único mês, para cobrir a lesão do titular José Enrique. Pelo Newcastle, Aanholt fez 7 jogos, sendo 6 como titular, tendo um saldo positivo: foram 4 vitórias, 2 empates e apenas uma única derrota.

A chance dada por Ancelotti

De volta para o Chelsea em 28/02/2010, ficou até 06/2010 disputando os jogos da divisão de base, quando, na temporada 2010/2011, com o técnico Carlo Ancelotti, resolveu fazer parte da equipe principal utilizando a camisa de número 38.  Mesmo com 8 jogadores na posição (John Terry, Branislav Ivanovic, Alex, David Luiz, Michael Manciene, Jeffrey Bruma, Ashley Cole e Ryan Bertrand), van Aanholt fez as seguintes aparições:

  • Premier League: 12 vezes no banco de reservas;
  • Champions League:  6 jogos; 2 jogos no banco de reservas;
  • Champions League:  6 jogos; 2 jogos no banco de reservas;
  • Community Shield: 1 jogo no banco de reservas;
  • EFL Cup: Foi titular na derrota para o Newcastle por 4×3, sendo autor do primeiro gol no Chelsea (Neste jogo, Aanholt fez dupla titular com John Terry);
  • FA Cup: Entrou no lugar de Jeffrey Bruma, aos 25 da segunda etapa;

Pela razão da chegada de David Luiz, Patrick van Aanholt foi emprestado para o Leicester em 26/01/2011, fazendo 12 partidas e marcando um gol contra o Burnley, na vitória por 4×0.

O prenúncio do fim

Após não terem chegado a um acordo em sua transferência definitiva para o Leicester, van Aanholt foi emprestado para a equipe do Wigan, em 31/08/2011, porém, com problemas de relacionamento com o técnico Roberto Martinez, o acordo (que era de uma temporada), foi rescindido e em 17/01/201 e van Aanholt assinou com o Vitesse.

O que de início era para ser um empréstimo de seis meses, durou até Julho de 2014. E, finalmente, em 25 de Julho de 2014, o Sunderland, que disputava a Premier League, pagou apenas 1.71 milhão de libras, e levou mais uma promessa do Chelsea.

No Sunderland, Patrick van Aanholt deu a “volta por cima”. E, depois de apenas duas temporadas, foi vendido para o Crystal Palace pela quantia de £10 milhões.  Atualmente, com 29 anos, van Aanholt tem contrato com o Palace até Junho de 2.021, e é titular absoluto da lateral esquerda.

Josh McEachran

Josh McEachran

Josh McEachran

Joshua Mark McEachran, é “cria” do Chelsea.  Nascido no dia 1o. de Março de 1.993, se juntou a equipe principal do Chelsea, na temporada 2010/2011 com a camisa de número 43, quanto o técnico era Carlo Ancelotti. Por várias vezes foi chamado “o novo Lampard”.

Consequentemente em sua primeira temporada na equipe principal do Chelsea, disputou os seis primeiros jogos da Champions League.  Sendo que, nos dois últimos, foi titular jogando todo o tempo.

  • Contra o MSK Zilina (vitória por 2×0), o Chelsea jogou com:
    • Turnbull; van Aanholt, Ivanovic, Bruma e Paulo Ferreira; Ramires, McEachran e Malouda; Sturridge, Kakuta e Drogba;
  • Contra o Olimpique de Marseelle (derrota por 1×0), o Chelsea jogou com:
    • Cech; Paulo Ferreira, Ivanovic, Terry e Bosinga; Essien, Ramires e McEachran; Kalou, Drogba e Malouda

Do mesmo modo McEachran era uma figura constante na Premier League, sob o comando de Ancelotti, já que fez parte da equipe por 25 jogos, e era uma aposta para a próxima temporada.

Temporada 2011/2012

Ancelotti foi embora, e o técnico do Chelsea foi o jovem Andre Villas-Boas, que, em sua primeira temporada, e com um Chelsea nada bem, colocou o jovem McEachran “para escanteio”, até concordar com um empréstimo para o Wigan.

O martírio dos empréstimos

Depois que McEachran foi emprestado para o Swansea, em 18 de Janeiro de 2012, nunca mais conseguiu demonstrar qualquer futebol que justificasse jogar no Maior de Londres.  E olha que não faltaram equipes:

  • De 19/01/2012 a 30/05/2012: Swansea;
  • De 20/08/2012 a 31/05/2013: Middlesbrough;
  • De 20/09/2013 a 02/01/2014: Watford;
  • De 23/01/2014 a 31/05/2014: Wigan;
  • De 18/08/2014 a 30/06/2015: Vitesse;

Brentford

Mais digno de nota que no dia 10/07/2015, a equipe do Brentford, pagou £936k para o Chelsea, e levou-o em definitivo. Jogando por sua nova equipe, somente no dia 02/10/2018, que McEachran fez o seu primeiro e único  gol, contra a equipe do Birminghan.

Atualmente, McEachran tem 25 anos, e seu contrato, vence em Junho de 2019.

Fabio Borini

Fabio Borini

Fabio Borini

Fabio Borini, é outra “cria” do Chelsea.  Da mesma forma que McEachran (só que um ano antes), subiu para os profissionais na temporada 2009/2010, utilizando a camisa de número 45, também quando o técnico do Chelsea era Ancelotti.

Enquanto que na temporada de estreia, Borini fez pouquíssimas aparições na equipe principal; boa parte delas entrando no fim das partidas, ou amargando o banco de reservas. Na temporada 2010/2011, foi emprestado para o Wigan, e foi onde desencantou. Em 12 jogos disputados, fez 6 gols contribuindo com mais 4 assistências.

O fim no Chelsea

Devido a estar credenciado a disputar os play-offs da Championship, Borini surpreende a todos ao assinar um pré-contrato com a equipe do Parma, da Itália.  Após o Chelsea acionar a FIFA, o Parma pagou € 347.500 ao Chelsea.

Consequentemente Borini assinou com o Parma em 02/07/2011 e foi emprestado para a Roma, em 31/08/2011, pela quantia de £1.13m, e com um preço estipulado de £7 milhões.

Pela razão de ter ido muito bem na Roma (disputou 26 jogos e marcou 10 gols), a Roma adquiriu-o em definitivo.

A volta para a Premier League

O novo técnico no Liverpool (Brendan Rogers), era um fã de Borini e fez com que a equipe pagasse ao Roma £12 milhões de libras pelo futebol do jovem italiano, que assinou contrato em 13 de Julho de 2012.

Em contraste em 20 partidas, fez 2 gols, contribuindo com apenas 1 assistência, o que fez com que na temporada 2012/2013 fosse emprestado para o Sunderland.

No Sunderland, Borini deu a “volta por cima”, e, em 41 jogos fez 12 gols, contribuindo com 5 assistências, o que fez com que o Liverpool resolvesse aproveitá-lo na temporada. Mas, novamente, Borini voltou a sua má-fase, disputando 18 jogos e fazendo um mísero gol.

Ida ao Sunderland

Do mesmo modo no dia 31/08/2015, o Liverpool aceitou vendê-lo, praticamente, pelo mesmo valor pago à Roma.  E, infelizmente, mais uma vez, Borini não fez uma boa temporada, disputando 27 jogos e fazendo míseros 5 gols.

Ida ao Milan

Enquanto que na temporada 2016/2017, Borini disputou 26 jogos fazendo apenas 2 golzinhos, o Sunderland aceitou emprestá-lo ao Milan. Lá Borini foi um pouco melhor: disputou 44 jogos, fez 5 gols, e contribuiu com 7 assistências, fazendo com que o Milan, o contratasse por definitivo, pagando ao Sunderlan 5 milhões de libras.

 

Em contraste dos 10 jogadores que poderiam ser considerados “promessa do Chelsea”, nenhum deles vingou: nem no Chelsea, nem em outros times.

#GoBlues

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

A gente sabe que você também tem o sangue azul. Apoie o Chelsea Brasil e ajude a escrever a nossa história! Link direto para a campanha: https://goo.gl/6AAUzD.

Apoia-se Chelsea Brasil

Dalton Gerth

Torcedor do Chelsea desde a época em que Vialli era técnico E jogador, advogado e estudante de licenciatura em Matemática.