Um recomeço para Hudson-Odoi no Chelsea

Veículos da mídia inglesa (Sky Sports e BBC) revelaram que Callum Hudson-Odoi teria aceitado a renovação de contrato oferecida pelo Chelsea. Os detalhes divulgados sugerem que o inglês ganharia 180 mil libras por semana durante os próximos cinco anos.

Um talento tão promissor, criado na academia do clube, empolga toda a torcida. Assim, a renovação do atleta é tratada como prioridade nos Blues, tendo em vista que o contrato do jovem expira em junho de 2020.

Após a vitória por 4 a 3 sobre o Reading, em amistoso disputado no último domingo (28), o técnico Frank Lampard tratou de acalmar a torcida acerca dos rumores de um acerto, mas afirmou que a renovação está bem encaminhada.

“Se ele (Odoi) já tivesse aceitado o acordo, significaria que o contrato já estaria assinado. Ainda não chegamos lá, mas é nítido que o clube está trabalhando para oficializar a assinatura. Uma coisa é clara: Tanto eu quanto o clube queremos mantê-lo aqui pois nós o adoramos como jogador.”

Visto como um dos melhores jogadores do clube, o jogador pediu para ser negociado na janela de transferências do inverno. Porém a diretoria não atendeu a solicitação do camisa 20, recusando diversas propostas do Bayern de Munique para contrata-lo tanto em janeiro como em julho.

A atitude da diretoria em negar-se a atender as demandas do atleta e convencê-lo a ficar merece aplausos dos torcedores, tendo em vista que no mundo do futebol, na maioria de casos como esse o pedido do jogador é atendido.

Além disso, a contratação de Lampard possui grande peso para a renovação. Nos primeiros jogos da pré-temporada, o comandante mostrou que os jovens vão ter maior protagonismo nesta nova fase do clube. Assim, com o apoio de um dos maiores ícones dos Blues, Hudson-Odoi deve confiar que será peça-chave para o futuro.

O ídolo e agora técnico deve resolver um dos principais problemas enfrentados pelo inglês na temporada passada: o tempo de jogo. Na última temporada, sob o comando de Maurizio Sarri, o winger foi titular em apenas quatro jogos da Premier League, totalizando 391 minutos no Campeonato Inglês, contando as partidas em que ele saía do banco de reservas.

Olhando para o rendimento de Pedro e Willian, que estiveram abaixo da média na temporada passada, é difícil compreender porque o garoto não recebeu mais oportunidades.

O técnico italiano foi duramente criticado pela mídia inglesa e por parte da torcida exatamente por isso, já que o camisa 20 brilhava na Liga Europa mas não recebia chances na Premier League. Na goleada de 4 a 0 sobre o PAOK em casa, pela fase de grupos da competição europeia, Hudson-Odoi balançou as redes e tornou-se o jogador mais jovem a marcar nesta competição, com apenas 18 anos e 22 dias.

A única preocupação no momento é como ele vai voltar após recuperação no tendão de aquiles. Sobre a lesão, o treinador enfatizou a dedicação do atleta para voltar na melhor forma possível e disse que ele pode regressar antes do esperado.

“Ele não está treinando conosco mas a recuperação está melhor do que pensávamos. Ele não está longe do retorno aos gramados e, junto com nossa equipe médica, trabalhou intensamente neste verão para voltar o quanto antes.”

Rafael Marson

Jornalista em formação pela Faculdade Cásper Líbero. Sem o futebol, não há motivos para viver. Fã incondicional de Drogba e Hazard. #GoBlues