Bamford encerra empréstimo junto ao Crystal Palace e ataca o clube: “Me deram razões para eu não estar jogando?”

Jogador recebeu poucas oportunidades no Crystal Palace

Jogador recebeu poucas oportunidades no Crystal Palace

O atacante Patrick Bamford, que pertence ao Chelsea e estava emprestado ao Crystal Palace, decidiu romper seu vínculo com o clube de Selhurst Park e, após ser muito pouco utilizado, acusou o clube de inventar falsas desculpas para não aproveitá-lo. O contrato do jogador como os Eagles vigeria até o final da presente temporada.

Na última segunda-feira (28), o jogador atuou 45 minutos no empate sem gols do Crystal Palace contra o Swansea e perdeu boa chance de marcar aquele que seria seu primeiro tento pelo clube. Com meia temporada disputada, o jogador de 22 anos só foi utilizado como titular em duas ocasiões, em partidas da Capital One Cup. Ao todo, Bamford disputou nove jogos, sem marcar gols, sob o comando de Alan Pardew.

Leia também: Segundo jornal britânico, Bertrand Traoré está na mira do Ajax

Após o jogo contra o Swansea, o treinador dos Eagles foi taxativo ao dizer que o Chelsea não conversou com o Crystal Palace sobre a permanência, ou não, de Bamford em Selhurst Park, mas o jogador revelou que o encontro foi seu último neste período de empréstimo.

“Esse foi meu último jogo pelo (Crystal) Palace. Se eu estiver sendo honesto, (o empréstimo) tem sido horrível. Ninguém quer sentar-se no banco e não jogar. Obviamente as coisas não aconteceram por qualquer razão. Eu teria ficado mais contente se tivesse recebido uma chance e não a tivesse aproveitado. Eu não comecei nenhum jogo na Premier League, assim, para um jogador jovem como eu, isso não é o que você precisa.

Então, eu tive que continuar meu desenvolvimento e torná-lo uma prioridade. Essa foi a minha decisão. Os treinadores acabaram de saber – eu lhes disse que estou indo. Penso que o treinador e a comissão técnica já sabiam. Me deram razões para eu não estar jogando? Na verdade não.

Houve algumas razões, mas eu meio que vi através delas. Eu estava frustrado porque não havia muitos atacantes marcando. Connor (Wickham) só marcou seu primeiro gol na semana passada.

Como um atacante, pode ser equivocado de minha parte, mas marcar gols é a tarefa dos atacantes. Se você não está jogando, os outros atacantes não estão marcando e você não está recebendo uma oportunidade, obviamente eu estava puxando meus cabelos.”

Após mostrar seu desapontamento com o período vivido em Selhurst Park, Bamford, que passou por boas fases com as camisas de Derby County e Middlesbrough, garantiu que deseja permanecer na Premier League.

“Penso que tenho que estar aberto a todas as opções. Idealmente eu quero permanecer na Premier League e penso que há algumas opções para permanecer na Premier League, então agora tenho que avaliar qual é a melhor.”

Wladimir de Castro Rodrigues Dias

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 24 anos. A preferência é o futebol bretão, mas me interesso pelo esférico rolado em qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também no O Futebólogo, no Doentes por Futebol e na Corner.