Terceiro Tempo: O futuro em oito dias

A Premier League decidiu desmembrar a 26ª rodada do torneio para que as equipes consigam recuperar fisicamente seus atletas. O Chelsea teve uma semana de descanso e voltou nesta segunda-feira, 10, aos treinamentos.

Com os jogadores descansados, Frank Lampard entra na parte decisiva da temporada, na qual os Blues terão confrontos diretos no Campeonato Inglês e Champions League. Essa sequência é uma excelente oportunidade para melhorar o aproveitamento em casa, dar confiança aos torcedores e vencer rivais.

  • Chelsea X Manchester United 17-02-2020 Premier League
  • Chelsea X Tottenham 22-02-2020 Premier League
  • Chelsea X Bayern de Munique 25-02-2020 Champions League (ida)

Primeiro Tempo: United e as derrotas

Nessa temporada, os Blues enfrentaram os Red Devils duas vezes, e em ambas saíram de campo derrotados. A estreia na liga começou com o pé esquerdo, onde a equipe estava defensivamente perdida e acabou goleada por 4 a 0. Na outra ocasião, com time misto, Rashford decidiu a partida eliminatória na Carabao Cup com um lindo gol de falta.

Zouma cometeu demasiados erros contra o United (Reprodução: BR Football)

Apesar das derrotas, os londrinos tiveram momentos de domínio nessas partidas, mas foram incapazes de assegurar o resultado, problema recorrente e esperado para uma equipe em formação.

Contudo, os jogadores estão se aproximando para a fase final da temporada. Dessa forma, espera-se que os erros do passado não sejam repetidos, especialmente em jogos dessa magnitude.

O questionamento que fica é: Qual a melhor tática para enfrentar Solskjaer?

Ao contrário do Chelsea, o United gosta de aproveitar os contra-ataques, sendo essa a principal arma dos rivais. Dessa forma, Lamps poderia voltar com três zagueiros para prevenir esse tipo de situação, dando mais liberdade para Reece James e Azpilicueta na parte ofensiva.

Outra potencial mudança seria a manutenção de Mount no banco. Com um início arrasador sob o comando do novo técnico, o jovem é um dos que mais sofre atualmente pois pouco contribuí durantes os jogos. Ele só não foi titular em uma partida de Premier League (contra o Arsenal). Caso o inglês fique entre os reservas, Pulisic, que deve estar disponível depois de uma lesão, pode ocupar esse lugar.

Apesar das assistências contra o Leicester, Mount não vem agradando os torcedores (Reprodução: Chelsea FC)

Outro fato que chama a atenção nesse duelo é em relação ao comportamento das equipes no mercado de transferências. Enquanto o Chelsea não encontrou nomes valiosos para adicionar ao elenco, o United foi às compras. Investiu 55 milhões de libras em Bruno Fernandes, habilidoso meio-campista que liderou em gols e assistências o Sporting na última temporada.

Bruno Fernandes foi a principal contratação entre as equipes que brigam por vaga na Champions League (Foto: Desporto)

Não só ele, mas Odion Ighalo, nigeriano que já defendeu o Watford, deixou a China e se transferiu para Manchester no último dia de transferências. Essa movimentação ocorreu pois Rashford se lesionou no mês passado e ficará fora por um longo período.

Segundo Tempo: Velho conhecido em Stamford Bridge

É importante ressaltar que o time de Manchester está apenas seis pontos atrás na tabela, e está de olho na vaga para a próxima Champions League. Tal briga pelo quarto lugar deve ser intensa, com Chelsea, United e Spurs olhando para a vaga não apenas como um bilhete para o maior torneio do mundo, mas também garantir reforços na próxima janela, já que o planejamento de um clube é determinante na escolha de um atleta.

De olho na Premier League, Sancho priorizaria um clube que disputasse a Champions League (Foto: Goal.com)

Também, não deve-se descartar o Sheffield United. Com o menor investimento dos 20 times da Premier League, a equipe de Chris Wilder está surpreendendo, principalmente nos números defensivos. O time recém-promovido tem a segunda melhor defesa da liga, atrás apenas de Liverpool. Com um fantástico aproveitamento, eles podem sim roubar essa posição dos grandes.

E após um clássico contra os rivais de Manchester, os Blues recebem o Tottenham. A atmosfera para tal confronto é o principal atrativo, pois Mourinho pisará no gramado de Stamford Brigde novamente como um rival.

Na temporada passada, Lampard levou a melhor sobre Mourinho na Carabao Cup (Foto: Getty Imagens)

Assim como o United, os rivais de Londres também estarão desfalcados de sua estrela. Com lesão na coxa esquerda, Harry Kane ficará afastado por dois meses. A notícia é boa para os Blues, pois os zagueiros, especialmente Christensen, sofrem na marcação de jogadores fortes.

O setor a ser explorado são os laterais. Mou vem dando confiança ao jovem Tanganga. Porém, em situações de um-contra-um, o defensor mostra fragilidades. Pela direita, Aurier é questionado pela torcida. Dessa forma, os wingers do Chelsea deverão ter liberdade para driblarem e arriscarem jogadas individuais.

Pela fragilidade dos laterais, Odoi pode ser boa opção contra o Tottenham (Foto: Sky Sports)

E talvez tenha sido contra eles a melhor atuação do time na temporada. Claro que a expulsão de Son foi determinante para o jogo, mas a opção por três zagueiros feita por Lampard foi a grande sacada para vencer o jogo por 2 a 0. Talvez o segredo esteja novamente na repetição dessa formação. Ou apostar em algo que Mourinho não esteja esperando.

Prorrogação: O Bayern é tudo isso?

Encerrando a maratona de duelos importantes, o Chelsea recebe o Bayern de Munique no duelo de ida das oitavas de final da Champions League. O jogo é especial pois é a reedição da final de 2012, onde os ingleses conquistaram a Champions pela primeira em sua história.

Os bávaros lideram a Bundesliga com apenas um ponto de diferença para o RB Leipzig. A liderança no entanto não reflete a instabilidade da equipe que começou o ano com Nico Kovac e agora está com Hans-Dieter Flick. Ao contrário dos últimos anos, o Bayern não está tendo sossego na Alemanha, e as atuações não são convincentes.

Mas, após a pausa do inverno, os números ofensivos melhoraram, com a equipe marcando 16 gols em cinco jogos. A principal ameaça segue sendo Lewandowski. O polonês soma 35 gols em 30 jogos e se mostra a cada semana seu incrível poder de decisão. Além dele, outro atacante pode ser decisivo contra os ingleses. Trata-se de Thomas Muller, que soma 12 assistências no Campeonato Alemão.

Com dez gols na Champions, Lewandowski é o artilheiro da competição (Reprodução: Robert Lewandowski-Twitter)

Pela capacidade e qualidade ofensiva do adversário, o Chelsea poderia adotar uma postura menos agressiva, pois uma derrota em casa pode complicar demais a preparação para o duelo de volta.

Rafael Marson

Jornalista em formação pela Faculdade Cásper Líbero. Sem o futebol, não há motivos para viver. Fã incondicional de Drogba e Hazard. #GoBlues