Terceiro Tempo: Kai Havertz, Pernille Harder e Premiações

O Chelsea está na reta final para a estreia do Campeonato Inglês, contra o Brighton. O jogo está agendado para 14 de setembro, às 16h, no Amex Stadium, em Brighton. O embate marca o reencontro entre as equipes após o duelo amistoso entre os selecionados.  Na oportunidade, dia 29 de agosto, um empate em 1 a 1, com estreia e gol de Timo Werner.

O técnico Frank Lampard tem em suas mãos um time com mais versatilidade. Essa caraterística foi possível após a incorporação de peças que tiveram destaque na temporada passada. Recentemente, Kai Havertz foi efetivado como reforço da equipe londrina para a temporada atual. O jovem alemão estava com a seleção nacional para a disputa da Liga das Nações, mas obteve a liberação do embate contra a Suíça. Por isso, o futebolista já iniciou os treinamentos em Cobham.

No Terceiro Tempo de hoje, vamos falar sobre duas contratações que impulsionaram o mercado de transferências. Kai Havertz e Pernille Harder, ambas as contratações do Chelsea Football Club, chegam em uma temporada promissora ao clube londrino.

Primeiro Tempo: As impressões iniciais de Havertz

Primeiramente, tem jornalista mencionando que a primeira impressão de Havertz, durante os treinamentos, é positiva. Através de suas redes sociais, Nizaar Kinzella, correspondente do Goal.com, relatou o seguinte cenário. “Ouvindo que Kai Havertz realmente impressionou o grupo em suas primeiras sessões de treinamentos, como era de se esperar. Ele deve estar pronto para o jogo em Brighton. Não parece provável que Bem Chilwell faça as duas primeiras partidas”, concluiu o jornalista.

Obviamente, Havertz precisa de tempo para assimilar as propostas de Lampard. Da mesma forma, faz-se necessário o entrosamento entre as peças ofensivas do Chelsea. Werner, Hakim, Ziyech, Havertz são atletas que chegaram. Por outro lado, os remanescentes Pulisic, Mount e Abraham. Olhamos os nomes do sistema ofensivo e confirmamos que a janela foi esplêndida ao clube. São atletas que somam, entretanto, não atuaram juntos em 2019/20. Desta forma, o treinamento e o diálogo entre peças e comissão técnica seguem primordiais no momento atual.

Por outro lado, a própria carreira de Havertz expõe um aspecto muito positivo sobre situações de adaptação. O jovem alemão não sentiu o peso de iniciar sua carreira profissional no Bayer Leverkusen. A transição das categorias de base para o elenco profissional foi feita de uma maneira muito positiva para o atleta. Tanto pelo atleta quanto pela comissão técnica, pois ambos caminham juntos desse cenário de aprimoramento. Em outras palavras, observa-se a importância dessa sintonia em cenários novos e isso deve ser feito pelo Chelsea. O processo de assimilação passa pelo atleta, pelos companheiros de campo e, sem dúvidas, pela comissão técnica de Frank Lampard.

Palavras de Havertz

“Eu quero conquistar o que for possível. Eu farei o meu melhor e, claro, será um grande passo para mim. Para mim, é um novo país e uma nova cultura. É um pouco difícil, mas na primeira ou nas duas primeiras semanas. Eu só quero jogar futebol e me divertir com a equipe. Claro que eu quero ter sucesso e quero ganhar títulos aqui. Chelsea é um grande clube e quer vencer títulos, por isso, tenho que dar o meu melhor e alcançar essas metas”, disse Havertz.

A expectativa, que inclusive foi pauta da edição passada do Terceiro Tempo, cresce dia após dia. A realidade é constituída por vários questionamentos sobre a temporada 2020/21. Por exemplo, qual será o elenco inicial contra o Brighton? Qual será o posicionamento ou quais serão os posicionamentos e desdobramentos táticos de Havertz no time londrino? Dos atletas contratados, quem estreará? Além disso… Frank Lampard carrega uma pressão maior na temporada atual por causa do retorno envolvido na janela de transferências?

Alguns desses questionamentos serão respondidos daqui uma semana, na estreia da Premier League, contra o Brighton.

Segundo Tempo: A estreia do Chelsea Women. A estreia de Pernille Harder.

Bola rolando para Campeonato Inglês e o primeiro jogo não foi como as atuais campeãs esperavam. O empate em 1 a 1 ficou com um gosto amargo, pois o Chelsea apresentou chances e criação suficiente para ter um desfecho distinto no jogo. O empate não é dispensável, não deixa de ser um empate fora de casa. Além disso, o Chelsea disputou o primeiro compromisso da competição nacional e a equipe de Emma Hayes busca a melhor forma física. Entretanto, pelo volume de jogo e criação, poderia ter sido melhor ao Chelsea.

Na estreia da competição, o gol do Chelsea foi marcado por Sam Kerr e a assistência de Fran Kirby. Posteriormente, Erin Cuthbert saiu do banco e entrou na partida durante a etapa complementar. A participação no jogo concedeu a expressiva marca de 100 partidas de Cuthbert com a camisa do Chelsea Women. Em adição, a atleta do Chelsea foi indicada ao prêmio de Jovem Atleta do Ano pela PFA. Esse tema, sobre premiações, vamos abordar no Terceiro Tempo.

Também no primeiro jogo do Campeonato Inglês, Pernille Harder estreou com a camisa do Chelsea. Aproximadamente 14 minutos em campo e a ex-atleta do Wolfsburg teve os seus primeiros passos com a camisa do time de Stamford Bridge. A chegada de Pernille foi amplamente divulgada pelos veículos de comunicação, inclusive, no Brasil. Seja pelas cifras envolvidas na negociação ou pelos índices e estatísticas da futebolista alemã. É a história se repetindo nessa janela de transferências, haja vista que Havertz também criou essa atmosfera positiva em sua chegada ao Chelsea.

O próximo jogo da Chelsea Women será contra o Bristol City, dia 13 de setembro, às 8h30, em Kinsgmeadow. O segundo embate do Chelsea no Campeonato Inglês e Kingsmeadow recebendo jogos do time londrino, fato que não acontece desde fevereiro.

Terceiro Tempo: Premiações

Amanhã (terça-feira, 8) é dia de conhecer os premiados no PFA Awards, honraria concedida pela Associação de Futebolistas Profissionais. Seis atletas do Chelsea foram nomeados em três categorias. Nas categorias Jovem Atleta do Ano – Masculino, Tammy Abraham, e Mason Mount são postulantes ao prêmio. Por outro lado, na categoria Jovem Atleta do Ano – Feminino, Erin Cuthbert está entre as nomeadas na lista final. Em conclusão, na categoria Atleta do Ano – Feminino, três atletas do Chelsea foram indicadas.

Jovem Atleta do Ano – Masculino: Tammy Abraham (Chelsea), Trent Alexander-Arnold (Liverpool), Mason Greenwood (Manchester United), Mason Mount (Chelsea), Marcus Rashford (Manchester United) e Buyako Saka (Arsenal). O resultado será anunciado no dia 8 de setembro.

Jovem Atleta do Ano – Feminino: Indicadas: Erin Cuthbert (Chelsea), Lauren Hemp (Manchester City), Lauren James (Manchester United), Chloe Kelly (Manchester City), Ellie Roebuck (Manchester City) e Georgia Stanway (Manchester City)

Atleta do Ano – Feminino: Beth England (Chelsea), Sophie Ingle (Chelsea), Guro Reiten (Chelsea), Ji So-yun (Chelsea), Vivianne Miedema (Arsenal) e Kim Little (Arsenal). O resultado será anunciado no dia 8 de setembro.

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.