Lupa Tática: Passo importante para Frank Lampard e plantel

Muitos destaques individuais no jogo fora de casa. Afinal, o Chelsea foi consistente contra o Burnley, no Turf Moor

Pontapé inicial para mais uma edição do Lupa Tática e hoje (31) vamos tecer comentários sobre Burnley 0x3 Chelsea. O jogo foi realizado no Turf Moor e válido pela sétima rodada da Premier League 2020/21. Os gols do Chelsea foram marcados por Hakim Ziyech, Kurt Zouma e Timo Werner. Inclusive, o time londrino balançou as redes pela quarta vez, com Olivier Giroud, mas o impedimento foi corretamente assinalado.

Antes do jogo, o enredo para Burnley e Chelsea era bem evidente. A equipe mandante, que buscava a primeira vitória, é conhecida pelas dificuldades criadas em decorrência da compactação defensiva. Por outro lado, o Chelsea que tem diversas opções ofensivas e vive um momento de desenvolvimento e busca por progresso. Logo após, as escalações foram oficializadas e sem grandes surpresas para ambos os times.

Assim sendo, o Chelsea construiu uma vitória convincente contra o Burnley. Claro que há uma distância entre planteis, investimentos e objetivos de Clarets e Blues na temporada. Por outro lado, pensando em um processo de evolução e aprimoramento, é mais um passo bem-sucedido dado por Frank Lampard e seus comandados. Esse passo bem-sucedido tematiza a edição de hoje do Lupa Tática.

Muito se fala sobre maior pressão ao treinador por causa do investimento e a chegada de novas peças – e peças de qualidade. Acredito que isso seja verdade e nesta situação de pressão, a resposta é dada de vez em vez. Em cada compromisso. Por isso, a missão que foi dada para hoje, foi executada com êxito pelos atletas neste sábado. Assim sendo, muitos atletas atuaram positivamente na vitória fora de casa. Ficou até difícil de apontar um – e exclusivamente um – destaque do lado londrino.

Formação inicial do Chelsea

Werner era reserva, mas Pulisic lesionou no aquecimento. Ou seja, o reserva, que virou titular, deu conta do recado.

Werner era reserva, mas Pulisic lesionou no aquecimento. Ou seja, o reserva, que virou titular, deu conta do recado. (Premier League / Site)

O Chelsea iniciou com Pulisic e Abraham. O atleta dos Estados Unidos era a primeira opção para o jogo. Em outras palavras, era uma escalação que não tinha outra opção no radar. Por outro lado, havia a possibilidade de Frank Lampard escalar Werner no lugar de Abraham. Entretanto, uma lesão no aquecimento foi constatada e Pulisic não participou do embate. Por fim, Abraham continuou como titular e Timo Werner, apontado como reserva anteriormente, também compôs a formação inicial.

Jorginho iniciou no banco de reservas. Posteriormente, o ítalo-brasileiro participaria de sete minutos de embate no Turf Moor. Assim sendo, Kovacic não foi relacionado para o embate e Thiago Silva iniciou o jogo com a faixa de capitão. Por isso, o Chelsea entrou em campo com a seguinte formação. Mendy; James, Thiago Silva (cap.), Zouma e Chilwell; Kanté, Mount; Ziyech (Hudson-Odoi 73), Havertz (Jorginho 85) e Werner; Abraham (Giroud 76). Por outro lado, o Burnley mediu forças com o seguinte plantel. Pope; Lowton, Long, Tarkowski e Taylor; Westwood, Brownhill, Stephens (Rodriguez – intervalo), McNeil; Wood e Barnes (Brady 72)

Os números do jogo (SofaScore)

Os números – dados e estatísticas- podem eveidenciar um cenário – seja positiva ou negativamente. Por isso, os índices do jogo entre Burnley e Chelsea comprovaram a superioridade do time de Stamford Bridge. Na mudança de parciais, a situação da posse de bola inverteu consideravelmente. No primeiro tempo, o Chelsea teve 79% da posse de bola aos 30 minutos da etapa inicial. Por outro lado, nos minutos iniciais do segundo tempo, o Burnley chegou ao índice de 60% de posse. Entretanto, essas alterações foram pontuais e construíram parcialmente o enredo do jogo. Permita-me o julgamento de que, neste sábado, o Chelsea teve o controle do jogo e soube a estratégia da comissão técnica foi eficaz.

Chelsea desempenhou grande trabalho defensivo. Por isso Kurt Zouma foi um dos destaques do embate contra o Burnley. (Premier League / Site)

O Lupa Tática de hoje expõe que o Chelsea desempenhou grande trabalho defensivo. Por isso, Kurt Zouma foi um dos destaques do embate contra o Burnley. (Premier League / Site)

Burnley 0x3 Chelsea

Posse de bola: 36% – 64%
Finalizações: 5-14
Finalizações ao gol: 0-9
Finalizações fora do alvo 4-1
Chutes travados: 1-4

Escanteios: 3-4
Impedimentos 1-4
Faltas: 10-15
Cartões amarelos: 1-0

Destaques individuais

Muitos. Muitos destaques individuais no jogo de hoje. Afinal, o Chelsea foi consistente neste sábado. De forma resumida, podemos afirmar que o time londrino acertou nas escolhas da partida. Primeiramente, os laterais apoiaram e surgiram como válvulas de escape em determinados cenários de linhas compactas do rival. Além disso, Mason Mount e Hakim ZIyech foram protagonistas na partida e as estatísticas comprovam o desempenho de destaque para ambos os futebolistas.

Thiago Silva, novamente, trouxe tranquilidade para a linha defensiva. Em alguns momentos, Kurt Zouma teve que trabalhar e estar atento com Ashley Barnes, atleta do Burnley. Entretanto, o Chelsea apresentou em mais uma situação um sistema defensivo firme e que passou tranquilidade aos demais atletas.

Por isso, Edouard Mendy acumulou o seu 5º clean sheet cem jogos com o Chelsea. O quinto jogo sem gol em seis duelos com o Chelsea. Segundo o Chelsea Chadder, é a primeira vez, em quatro anos, que o Chelsea conseguiu quatro clean sheets consecutivos na temporada.

Mason Mount
Lupa Tática: Mason Mount disputa bola contra rival. Além disso, Lampard escalou Pulisic para o embate. Entretanto, o camisa 10 sentiu uma lesão no aquecimento.

Mason Mount disputa bola contra rival. Além disso, o meio-campista foi muito elogiado pelo desempenho na criação do time visitante. (Premier League / Site)

Primeiramente, vamos falar sobre Mason Mount. O atleta fez a 50ª partida como titular pelo Chelsea e o SofaScore avaliou o atleta com a nota 8.2. O futebolista atuou 90 minutos e concedeu uma assistência. 91% de aproveitamento de passes (73/80) e 101 toques na bola durante o jogo. Além disso, Mount acertou todas as bolas em profundidade. O atleta tentou sete vezes e acertou nas sete ocasiões.

Hakim Ziyech

Em 73 minutos de atuação, Hakim Zitech marcou um gol e concedeu uma assistência. Autor do gol de abertura do placar, Hakim Ziyech foi destacado pela Opta, portal de estatísticas futebolísticas. Segundo o portal, o atleta do Chelsea é o primeiro jogador, desde Diego Costa em 2014, que marcou gols em jogos inaugurais de duas competições pelo clube londrino. Vale relembrar que o marroquino estreou com o Chelsea, na Champions League, contra o Krasnodar e ele balançou as redes adversárias. Contra o Burnley, Ziyech teve 83% de aproveitamento de passes (40/48), 63 toques na bola e uma uma finalização ao gol rival.

Thiago Silva e Kurt Zouma

Por fim, vamos abordar o desempenho dos zagueiros. Thiago Silva teve 93% de aproveitamento de passes (90/97) e acertou 10 tentativas de bolas em profundidades em 13 ocasiões. Posteriormente, o brasileiro computou 100% de duelos ganhos no chão (5/5). Além disso, ele venceu 80% dos duelos aéreos no Turf Moor (4/5). Em 90 minutos de jogo, Thiago Silva teve cinco cortes em passes dos adversários. Por isso, o SofaScore avaliou o defensor brasileiro com a nota 8.0. Da mesma forma, Kurt Zouma foi avaliado positivamente pelo jogo. O francês fez um dos gols no embate e, neste sábado, ele completou 100 jogos com a camisa do time londrino. Ou seja, a solidez defensiva foi elogiável em Burnley 0x3 Chelsea.

As notas do SofaScore para atletas do Chelsea

Mendy (6.9); James (7.4), Thiago Silva (8), Zouma (7.7) e Chilwell (7.2); Kanté (7.2), Mount (8.2); Ziyech (8.1) (Hudson-Odoi 6.6), Havertz (7.0) (Jorginho s/n) e Werner (7.4); Abraham (7.) (Giroud (6.5)).

Além disso, o Chelsea Brasil está muito próximo de ser reconhecido novamente como Torcida Oficial dos Blues. Por isso, clique no banner abaixo e nos ajude. 

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.