A consolidação do 3-5-2 como principal esquema da temporada

Quando a atual temporada começou, muito se falava sobre o curto elenco dos Blues. Maratonas de jogos e possíveis lesões preocupavam os torcedores. E não à toa. Antes mesmo da metade da temporada, o Chelsea já sofreu com a ausência de seus principais jogadores. Hazard tardou a fazer sua primeira aparição, Kanté e Pedro ficaram algum tempo fora, além de Drinkwater, contratação que demorou a estrear e ainda hoje segue sem estar sem 100%. Morata também já sofreu com a fadiga muscular causada pelo número de jogos excessivos.

Com isso, vimos uma mudança de esquema que passou de situacional para constante. Com Pedro e Willian sofrendo com a irregularidade e observando a ascensão de Bakayoko, além das boas atuações de Fàbregas, Conte optou por escalar os dois últimos em conjunto com o indispensável Kanté no meio de campo, deixando Hazard mais próximo de Morata no ataque. Inicialmente, as mudanças se deram pela falta de opções e desfalques do elenco. No entanto, o último jogo contra o Manchester United mostrou que Conte achou nesse esquema a melhor alternativa para o momento atual do Chelsea.

Fàbregas tem jogado bem atuando ao lado de Kanté e Bakayoko (Foto: Getty Images)

Pedro e Willian, outrora disputando vaga no time titular, estavam disponíveis para o treinador, mas ficaram no banco como opções. O Chelsea conta com um elenco versátil, o que acaba sendo favorável a esse tipo de mudança. Fàbregas cresceu em relação a temporada passada e tem ganhado cada vez mais minutos em campo, em jogos importantes principalmente. Bakayoko vem se mostrando muito útil e apesar de pecar um pouco quando está no ataque, tem feito bom trabalho defensivo, o que dá uma liberdade maior para Fàbregas quando os três jogam juntos. O espanhol e o belga Hazard têm sido os principais criadores do time, que conta com uma boa consistência defensiva oferecida por Kanté e Bakayoko.

Assim, um esquema alternativo perante às dificuldades surgiu como principal esquema utilizado até aqui. Deve seguir assim, mas diante das incertezas que rodeiam o Chelsea desde o começo da temporada, definir isso como algo certo daqui pra frente é como dar um tiro no escuro.

Category: Competições

Tags:

Article by: Túlio Henrique