Chelsea vence City em casa e volta a sonhar com o título do campeonato

Após perder para um Wolverhampton de virada na última rodada e se vê cada vez mais distante do topo da tabela, o Chelsea voltou a campo neste sábado (08) para enfrentar o então líder Manchester City, em Stamford Bridge. Ambos os times foram a campo sem centro-avantes, prezando pelo estilo de jogo de veloz e de troca de passes.

Com gols de N’golo Kanté e David Luiz, os Blues levaram a melhor e conquistaram os três pontos, acabando com a sequência do City de 21 jogos de invencibilidade. Com isso, o Liverpool assume a liderança com 42 pontos, enquanto o Chelsea fica em 3º com 34, podendo ser ultrapassado pelo Tottenham em casa de vitória contra o Leicester, mas assegurando seu lugar no G4.

City domina primeiro tempo truncado, mas Chelsea abre o placar

Praticamente nulo no ataque, o Chelsea apareceu no minuto final para abrir o marcador (Foto: Getty Images)

O jogo começou com os dois times tentando manter a posse da bola e marcando alto. Para ambos, sem a bola, a marcação subia, e com a bola, trocavam passes em busca de espaço. Sem centro-avante, as duas equipes evitavam rifar a bola, já que a briga dos baixinhos Hazard e Sterling seria difícil contra os zagueiros.

A primeira boa chance surgiu aos oito minutos e foi dos Citizens, após belo bote de Fernandinho no meio de campo e contra ataque rápido. Sterling recebeu no meio da área e pressionado pela marcação, chutou fraco e Kepa ficou com a bola.

Sané teve boa chance aos 15′, após retomar a bola de Hazard e trocar passes rápidos na entrada da área, mas David Luiz foi mais esperto e tomou a frente do alemão para impedir o remate e afastar o perigo. A essa altura, o Manchester City marcava mais alto e ficava mais com a bola, enquanto o Chelsea se preservava e dosava a marcação e a troca de passes quando tinha a bola.

Na marca dos 25′, o jogo se apresentava como uma disputa acirrada por território, com os dois times marcando muito e tendo dificuldades para armar as jogadas. No entanto, o City já mantinha 65% da posse nesse momento, e era mais perigoso em seus ataques.

Os visitantes tiveram mais uma boa chance aos 30′ em bom contra-ataque. Sané levou a bola até a linha de fundo e cruzou, mas a defesa do Chelsea cortou; na sobra, chute de David Silva de fora enquanto Kepa estava batido na jogada, mas Rüdiger apareceu no meio e fez boa interceptação.

Um minuto depois, Sterling escapou de Alonso na linha de fundo e tocou para o meio da área; a bola passou por todo mundo e parou em Sané do outro lado, que chutou com força, mas Azpilicueta se jogou na bola e impediu o que seria o primeiro gol do City.

O jogo chegava aos 35′ e o Chelsea ainda não tinha levado perigo ao adversário, não tendo finalizado uma única vez a meta de Ederson. Hazard, isolado na frente, praticamente não tocava na bola, dificultando as ações ofensivas dos azuis de Londres. Enquanto isso, City controlava o jogo e mostrava cada vez mais superioridade em campo.

Quando parecia que o jogo iria ao vestiário no 0 a 0, o Chelsea apareceu. Aos 44, David Luiz achou Pedro na direita em grande lançamento. O espanhol virou para William, que aparecia sozinho. O brasileiro cruzou, mas foi cortado pela defesa. A bola sobrou para Alonso que tocou para Hazard, onde marcado por três dentro da área, achou um passe preciso para Kanté que chegava com muita velocidade e o francês fuzilou a meta de Ederson para abrir o placar em Stamford Bridge.

David Luiz amplia e decreta vitória azul

Brasileiro fez grande partida e foi coroado com um gol (Foto: Getty Images)

O Chelsea começou o segundo tempo tentando se impor afim de impedir o domínio do City. Em boa troca de passes, os Blues chegaram ao ataque com velocidade logo aos 48′. William cortou para o meio e ao tentar chutar, sofreu falta perigosa. Na cobrança, o próprio brasileiro bateu com muito capricho e Ederson voou para fazer uma defesa espetacular.

Os Blues tiveram mais uma chance aos 50. Azpilicueta lançou Hazard, que segurou a marcação e soltou para Kanté na ala direita. O francês cruzou para Pedro dentro da área que pegou mal e facilitou a defesa de Ederson. No minuto seguinte, mais um ataque perigoso dos donos da casa. Kanté partiu em velocidade e encontrou William do outro lado, que ajeitou e arrematou, porém fraco, sem dificuldades para Ederson.

Após uma pequena “blitz” dos Blues, Guardiola resolveu mexer no time e mandou Jesus a campo no lugar de Sané. Aos 56′, foi a vez do City levar perigo em cobrança de falta. Walker bateu com veneno e Kepa fez grande defesa. A essa altura, o jogo já estava mais equilibrado e o City levava algum perigo a meta dos Blues.

Com o físico das equipes já fora do seu auge, a marcação não subia tanto e a troca de passes com calma reinava em quem tinha bola, sendo o Chelsea o dono dela em maior parte do tempo nos 20 minutos passados do segundo tempo até então.

Com a vantagem no placar, o Chelsea se defendia com maestria e tentava explorar mais os contra-ataques e segurava a bola no ataque quando não tinha condições de atacar com ímpeto. Aos 75′, Sarri mexeu mandando Loftus-Cheek a campo no lugar do já cansado William.

Aos 77′, o Chelsea aumentou a vantagem em cobrança de escanteio. Após cobrança de Hazard na primeira trave, David Luiz apareceu para cabecear e mandar para o fundo das redes sem chances de defesa para Ederson, deixando os Blues mais próximo de sacramentar a vitória em Stamford Bridge.

Após o segundo gol, os Blues recuaram e chamaram mais os adversários para o jogo. Guardiola fez mais uma alteração aos 84′, mandando Foden a campo no lugar de Mahrez na última alteração possível dos Citizens, enquanto o Chelsea ainda tinha uma mudança para fazer.

Nos minutos finais, Sarri mandou Giroud a campo no lugar de Eden Hazard. Pouco participativo, porém muito decisivo, o belga teve um número de 14 passes durante todo o jogo, número muito aquém. No entanto, desses 14 passes, saíram duas assistências para os dois gols do Blues na partida. Excepcional.

Aos 94′, Kepa errou na saída de bola e deu a bola de graça para Gabriel Jesus, que ajeitou e chutou colocado para a meta do arqueiro espanhol, mas ele se redimiu do erro fazendo grande defesa. Depois disso, o juíz decretou o final do jogo.

Ficha Técnica

Chelsea (4-3-3): Kepa; Azpilicueta, Rudiger, David Luiz, Alonso; Jorginho, Kanté, Kovacic (Barkley 65′); Willian (Loftus-Cheek 75′), Pedro, Hazard (Giroud 90′).

Reservas não utilizados: Caballero, Christensen, Emerson, Fàbregas.

Manchester City (3-4-2-1): Ederson; Walker, Laporte, Stones, Delph; Fernadinho, David Silva (Gündogan 68′), Bernardo Silva; Mahrez (Foden 84′), Sterling, Sané (Gabriel Jesus 53′)

Reservas não utilizados: Muric, Danilo, Kompany, Otamendi.

Gols: Kanté 45′ (CHE), David Luiz 77′ (CHE).

Cartões amarelos: Jorginho 63′ (CHE), Pedro 81′ (CHE).

Túlio Henrique