Chelsea domina o jogo, vence e garante vaga na Champions

O Wolverhampton não foi páreo para o time de Frank Lampard, que decidiu o placar final ainda no primeiro tempo

O Chelsea venceu o Wolverhampton por 2-0 em partida válida pela última rodada da Premier League 2019/20. Portanto, com o resultado, os Blues se classificam para a próxima edição da UEFA Champions League. Assim, os gols da partida foram marcados por Mason Mount, de falta, e Olivier Giroud.

Primeiro tempo bastante disputado

O jogo começou equilibrado e as duas equipes buscavam trabalhar a bola e chegar ao campo adversário. Assim, o Chelsea só conseguiu chegar pela primeira vez com pouco mais de 10 minutos de jogo. Na oportunidade, James completou de cabeça para fora a cobrança de falta por Mount.

Os dois times continuaram brigando pela posse de bola na região central do gramado, mas errando muitos passes. Além disso, ambas as equipes cometiam muitas faltas, o que deixou o jogo mais lento e nervoso. Contudo, até os 31 minutos ainda não havia acontecido nenhum lance de perigo.

giroud gol

Giroud termina o campeonato como o segundo artilheiro do time (Foto: PL)

Em uma das poucas oportunidades em que conseguiu trocar passes na entrada da área dos Wolves, o Chelsea chegou bem pela direita em boa jogada entre Jorginho, Azpilicueta e James. O ala foi quem cruzou para cabeçada de Giroud, que passou por cima. Assim, nenhum dos times havia acertado o alvo até então.

Já nos acréscimos, o Chelsea conseguiu uma falta na entrada da área do Wolverhampton. Em cobrança de falta, Mount colocou sem dificuldades no canto direito do goleiro para abrir o placar. Poucos minutos depois, os Blues conseguiram ampliar com Giroud, que aproveitou passe em profundidade de Mount, driblou o goleiro e dividiu com o zagueiro para marcar.

Gols no final trazem tranquilidade

Após um primeiro tempo com os dois times brigando muito pela posse de bola e sem muitas chances, o Chelsea pode ficar mais tranquilo com os gols marcados nos acréscimos. Assim, em dois lances fortuitos, os Blues aproveitam cobrança de falta e roubada de bola para garantir o resultado parcial. Já são sete gols e cinco assistências para Mount na temporada de estreia.

Além disso, a menção honrosa vai para Kovacic, que dominou as ações no meio de campo. O croata ganhou cinco dos seis duelos que disputou, além de roubar duas bolas. Atuando como válvula de escape pelo meio, os seus dribles foram fundamentais para quebrar a primeira linha de marcação e abrir o jogo para os alas.

Segundo tempo morno de poucas oportunidades

Os Blues começaram a segunda etapa pressionando com bastante posse de bola ofensiva. Contudo, quem finalizou primeiro foram os visitantes com Diogo Jota de fora da área. Nuno Espírito Santo percebeu o momento e colocou Podence, Moutinho e Vinagre em campo no lugar de Doherty, Jonny e Neves.

A partir das substituições o jogo ficou equilibrado novamente. Entretanto, os Wolves estavam mais nervosos, errando mais passes e cometendo mais faltas. Aos 77’, Giroud participou do seu último lance na partida fazendo a parede para chute de Pulisic. Em seu lugar entrou Abraham, acompanhado por Odoi no lugar do norte-americano. O jogo então se encaminhava para uma vitória protocolar dos anfitriões.

adama rudiger

Mesmo com a entrada de Adama Traoré os visitantes não conseguiram incomodar (Foto: PL)

Contudo, o jogo esfriou a partir dos últimos 10 minutos, com várias substituições feitas de ambos os lados e nenhum lance de perigo para nenhum dos times. Assim, o Chelsea controlava bem a partida e não arriscava perder a vantagem. Além disso, as entradas de Loftus-Cheek, Pedro e Barkley no lugar de Kovacic, Mount e Jorginho demonstravam a mesma coisa.

O Chelsea ainda teve tempo de um ótimo contra-ataque para matar a partida. Todavia, Abraham, que estava sozinho contra um dos zagueiros, demorou a definir a jogada e acabou batendo de fora da área em cima do goleiro. Assim, o último jogo da Premier League terminou com vitória azul.

Ficha técnica

Chelsea (3-4-3): Caballero; Azpilicueta, Zouma, Rudiger; James, Jorginho, Kovacic (Loftus-Cheek 84’, Alonso; Mount (Pedro 84’), Pulisic (Odoi 78’) e Giroud (Abraham 78’).

Reservas não utilizados: Kepa, Christensen, Tomori, Emerson.

Wolverhampton (5-2-3): Rui Patrício; Doherty (Podence 58’), Saiss, Coady, Boly, Jonny (Vinagre 58’); Ruben Neves (Moutinho 58’), Dendoncker; Jota (Jordão 84’), Neto (Traoré 45’) e Jimenez.

Reservas não utilizados: Ruddy, Kilman, Buur, Gibbs-White.

Gols: Mount 45+1’, Giroud 45+4’

Cartões amarelos: Jota 22’, Neto 45’, Giroud 45+3’, Dendoncker 82’, Azpilicueta 90+’’

Árbitro: Stuart Attwell / Simon Hooper (VAR)

Lucas Jensen

Jornalista que ainda acredita que o futebol pode ser apreciado sem torcer (mas não se segura e torce mesmo assim). Fã de tática e do jogo reativo, se deleita nos contra-ataques e toques 'de primeira'. Amante racional da Premier League e nostálgico do Calcio, seus hobbies incluem teorias mirabolantes e soluções inusitadas.