Colunas: É hora de esquecer a Premier League

É, Mou... Vamos pensar nas outras frentes (Foto: Four Four Two)
É, Mou… Vamos pensar nas outras frentes (Foto: Four Four Two)

A temporada do Chelsea é péssima. Luta para sair da segunda página da tabela e eliminação precoce na Capital One Cup não deviam sequer ser cogitadas e, no entanto, são a realidade. As duas competições que os Blues venceram na campanha passada já são carta fora do baralho. Convenhamos, chegar entre os quatro primeiros da Premier League é uma meta ilusória para uma equipe que acumula nove derrotas em 16 partidas, sendo a terceira que mais perdeu. Há, não obstante, duas outras competições em jogo – Champions League e FA Cup – e é nelas que o Chelsea deve concentrar-se.

Diante do quadro atual, a meu ver, o clube londrino deveria fazer uma temporada apenas para o gasto na EPL. Ao contrário do habitual, o time precisará somar forças em outras frentes. Se necessário, que Mourinho (ou quem quer que seja o treinador do Chelsea na sequência desta malfadada temporada) até mesmo poupe jogadores antes das partidas das outras duas competições.

Outra interessante medida que o Chelsea poderia tomar passaria pela concessão de maiores oportunidades aos garotos na EPL, em disputas de alto nível. Definitivamente não haveria pressão sobre eles. Se foram os jogadores consagrados que levaram o clube até este mau momento, os jovens dificilmente fariam papel pior e ainda adquiririam um grande capital de experiência para serem usados melhor e com mais assiduidade em 2016-2017.

Ademais, parte da solução dos problemas passa pelo reconhecimento dos erros e o fim das desculpas, que já foram muitas e até o momento em nada ajudaram torcedores e jornalistas a entender a extensão e as razões dos problemas azuis. Parte da solução passa pelo fim das ilusões com a EPL. Basta! Chegar entre os quatro é uma ilusão.

Apesar disso, em copas tudo pode acontecer. Em um mata-mata, Davi pode, e não raro consegue, bater Golias. Contra um PSG que passeia na Ligue 1, os Blues são Davi e está louco ou cego pelo fanatismo quem entender diferente. Lá está a chance da recuperação e da salvação de uma temporada que já começou a se reerguer várias vezes sem sucesso.

É claro que mais uma janela de transferências vem aí e tudo pode mudar dependendo de quais forem os movimentos do clube, mas não dá para projetar nada em cima de suposições e expectativas. Entretanto é possível começar a mudar de postura já e aceitar o período de dificuldades. A Champions só volta em fevereiro e a FA Cup começa em janeiro. É tempo de esquecer a Premier League e pensar nos desafios que, mesmo com dificuldades, estão ao alcance do time.

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

Category: Opinião

Tags:

Article by: Wladimir de Castro Rodrigues Dias

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 24 anos. A preferência é o futebol bretão, mas me interesso pelo esférico rolado em qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também no O Futebólogo, no Doentes por Futebol e na Corner.