Especial: Os 10 jogos inesquecíveis do Chelsea na “Era Abramovich”

Talvez o primeiro lugar seja óbvio, mas e os restantes?
Talvez o primeiro lugar seja óbvio, mas e os restantes? (Foto: Getty Images)

Enquanto a temporada 2015-2016 não começa e o Chelsea não volta a campo em busca de mais troféus, a equipe do Chelsea Brasil projetou uma série especial que vai ao ar durante o mês de julho para relembrar grandes marcos e nomes da história do clube. Hoje, continuamos o especial com outro Top 10: o dos jogos inesquecíveis desde que Abramovich comprou o clube.

Finais emocionantes, “jogos do título” inglês ou grandes humilhações a rivais, todos estes entraram nessa lista que vai recordar os 10 jogos (desde que Abramovich adquiriu o clube) que, na nossa opinião, são inesquecíveis para qualquer torcedor do Chelsea.

10- Chelsea 2-1 Everton

A FA Cup desse ano foi o único título de Hiddink com o Chelsea
A FA Cup desse ano foi o único título de Hiddink com o Chelsea

Local: Wembley, Londres

Competição e rodada: Final da FA Cup

Temporada: 2008/2009

Para além de ter sido um jogo emocionante, e de ter sido o único título de Guus Hiddink no Chelsea e o único nessa temporada, foi também uma reviravolta no marcador e houve emoção até ao fim, o que fazem com que este jogo entre na lista. Louis Saha adiantou o Everton logo no primeiro minuto, mas Didier Drogba empatou aos 21 e Frank Lampard confirmou a vitória aos 72 minutos.

9- Chelsea 4-4 Liverpool

Lampard respira de alívio após o 4-4
Lampard respira de alívio após o 4×4 (Foto: Getty Images)

Local: Stamford Bridge, Londres

Competição e rodada: Jogo de volta das quartas de final da Champions League

Temporada: 2008/2009

Este jogo entra na lista pela grande emoção e incerteza no resultado que durou até ao fim. O Chelsea vinha de uma vitória contra o Liverpool em Anfield por 3×1 e era necessário um milagre para os Reds passarem. E o milagre esteve próximo. O Liverpool fez o 0x1 e depois o 0x2 em 28 minutos. No entanto, o Chelsea reagiu bem. Drogba reduziu aos 51, Alex, num remate que levava fogo empatou aos 58 e Lampard fez o 3×2 aos 76. Estava decidido, pensámos muitos de nós. Mas não. O Liverpool fez o 3×3 e depois o 3×4 em dois minutos e faltava-lhe apenas um golo para passar. Quando todos temíamos um gol do Liverpool, Lampard empatou aos 89. Que jogo!

8- Chelsea 4-2 Barcelona

O cabeceamento de JT que garantiu a vitória ao Chelsea
O cabeceamento de JT que garantiu a vitória ao Chelsea

Local: Stamford Bridge, Londres

Competição e rodada: Jogo de volta das oitavas de final da Champions League

Temporada: 2004/2005

O Chelsea perseguia o sonho da conquista da Champions e teve azar no sorteio, apanhando logo o Barcelona nas oitavas. A primeira partida, em Barcelona, terminou em derrota para os Blues por 2×1. Era necessário uma recuperação em casa e o Chelsea fê-lo. Começou imparável, marcando três gols em 19 minutos. Parecia que a passagem estava garantida, mas Ronaldinho apareceu, marcando aos 27 e aos 38. Com o 3×2 o Barcelona passava. Mas John Terry não permitiu, marcando aos 76 e dando a vitória ao Chelsea em (mais um) jogo impressionante em Stamford Bridge.

7- Manchester United 1-2 Chelsea

Drogba em mais um golo decisivo
Drogba em mais um golo decisivo

Local: Old Trafford, Manchester

Competição e rodada: 33ª da Premier League

Temporada: 2009/2010

O Chelsea vinha da eliminação da Champions e estava um ponto atrás do United na luta pelo título. Com seis rodadas a faltar, este era o jogo do título e aquele que ia definir o campeão dessa temporada. Carlo Ancelotti arriscou antes do jogo ao deixar Drogba no banco. Perante um Old Trafford cheio, o Chelsea começou com um bonito gol de Joe Cole ao minuto 20. Drogba entraria para selar a vitória aos 79, fuzilando Edwin van der Sar. O United reduziu aos 81 e pressionou até ao final, num jogo muito emocionante até o final e que “garantiu” o título ao Chelsea.

6- Manchester United 0-1 Chelsea

Os festejos da conquista
Os festejos da conquista (Foto: DaBear Media)

Local: Wembley, Londres

Competição: Final da FA Cup

Temporada: 2006/2007

Na final da FA Cup desse ano, muito estava em jogo para o Chelsea. Com a BPL já conquistada pelo Manchester United, cabia ao Chelsea derrotar os seus rivais e impedi-los de fazer a “dobradinha”, visto que o Chelsea já tinha conquistado também a Capital One Cup. A vitória apenas viria ao minuto 116, quando (quem mais?) Drogba selou a vitória numa espécie de chapéu a Van der Sar. Foi um jogo tenso, que acabou em sorrisos para Drogba, José Mourinho, Abramovich e, claro, os torcedores blues!

5- Chelsea 6-0 Arsenal

Os jogadores celebram o segundo, de Schurrle
Os jogadores celebram o segundo gol, de Schurrle

Local: Stamford Bridge, Londres

Competição e rodada: 30ª da Premier League

Temporada: 2013/2014

A maior humilhação da história dos clássicos entre Arsenal e Chelsea. O Chelsea foi imparável nesse dia, e estava já a vencer por 3×0 aos 17 minutos. Depois, Oscar marcou mais dois e Mohamed Salah finalizou a contagem aos 71, tirando qualquer hipótese de título ao Arsenal. E tudo isto no milésimo jogo de Wenger ao comando dos Gunners. Podia ser melhor?

4- Benfica 1-2 Chelsea

Outro dia histórico na história dos Blues!
Outro dia histórico na história dos Blues!

Local: Arena de Amesterdã, Amesterdã

Competição e rodada: Final da Liga Europa

Temporada: 2012/2013

Depois de uma temporada pouco frutífera, o Chelsea chegou à Holanda com a obrigação de vencer a Liga Europa. Contra o Benfica, de Portugal, o nosso time teve mais dificuldades do que inicialmente previstas. No entanto, tendo o domínio e o controlo do jogo, o gol chegou através de Fernando Torres, aos 59 minutos. Em um pênalti, o Benfica empatou, mas isso não impediu o Chelsea de lutar pela vitória. Aos 93, quando todos nos preparávamos para mais 30 minutos de jogo, Branislav Ivanovic cabeceou impecavelmente para a baliza, dando ao Chelsea o único título da temporada, e um dos melhores de sempre!

3- Chelsea 1-0 Barcelona

Ouro jogo em que Drogba foi decisivo (Foto: Getty Images)
Ouro jogo em que Drogba foi decisivo (Foto: Getty Images)

Local: Stamford Bridge, Londres

Competição e rodada: Jogo de ida das semifinais da Champions League

Temporada: 2011/2012

O Barcelona era o único obstáculo a ultrapassar antes da final em Munique. E o Barcelona era claramente favorito contra o Chelsea. O jogo começou com o Chelsea fechado e com Petr Cech provando toda a sua qualidade, realizando defesa atrás de defesa. Aos 45+2, num raro contra golpe, Lampard isolou Ramires que correu e passou para Drogba que encostou para o gol da vitória. O segundo tempo foi um aguenta coração, com o Barcelona a criar várias ocasiões e estas a serem negadas por Cech e pela zaga do Chelsea, muitas vezes no final do jogo. O Chelsea ganhou num jogo impróprio para pessoas que sofrem do coração e foi para Espanha com uma ligeira vantagem, que se verificou ser crucial.

2- Barcelona 2-2 Chelsea

Torres carimbou a passagem á final (Foto: Getty Images)
Torres carimbou a passagem á final (Foto: Getty Images)

Local: Camp Nou, Barcelona

Competição e rodada: Jogo de volta das semifinais da Champions League

Temporada: 2011/2012

O que você diria de uma equipe que vem defender um resultado conquistado anteriormente, no campo do adversário, sabendo que não pode perder 2×0, uma equipe teoricamente inferior, e que ao minuto 44 já perdera o seu capitão e já estava perdendo por 2×0? Acha que eles ainda recuperam?

Muitos de nós diriam que não, mas não estamos falando de uma equipe qualquer, estamos falando do Chelsea! Apesar disto, Ramires fez logo em seguida o gol (e que gol) do empate. No segundo tempo, o Chelsea defendeu com unhas e dentes, até com Drogba fazendo as vezes de zagueiro. Já no desespero final por parte do Barcelona, para coroar o avanço, uma bola foi cortada, aliviada, e chegou até Torres, que, sozinho, fintou Victor Váldes e encostou para o 2×2! Que jogo!

1- Bayern Munique 1-1 Chelsea (3-4 após penalidades)

O maior jogo da história do Chelsea
O maior jogo da história do Chelsea (Foto: Getty Images)

Local: Allianz Arena, Munique

Competição e rodada: Final da Champions League

Temporada: 2011/2012

Era o jogo mais aguardado da história do clube. O sonho de qualquer jogador, de qualquer torcedor e de Abramovich estava a um jogo de distância. O local não podia ser mais hostil. O Chelsea jogava a final da Champions League contra o Bayern, no estádio do Bayern. Sem Terry. Todo o planeta apontava para os alemães como claros vencedores. A lógica assim o ditava. A análise técnico-tática assim o dizia. Seria a final mais previsível da última década.

O Chelsea entrou com 11 leões em campo. Aguentando e dando pouco espaço ao Bayern, que ainda assim, ameaçava e criava perigo, aproximando-se do gol londrino, onde Cech fazia os possíveis e os impossíveis para segurar o 0x0. Assim, aos 82 minutos Thomas Muller deu a vantagem (e a Champions, disseram muitos) ao Bayern.

Se apostar no Chelsea antes era um grande risco, fazê-lo agora era ideia de um qualquer lunático. Mas o futebol é jogado 11 contra 11 e, dentre os nossos 11, tínhamos Drogba, que, aos 88, cabeceou para o empate, para a justiça, para a glória. Mais 30 minutos seriam jogados. O jogo passava e o Bayern apertava, tendo tido um pênalti a seu favor, cometido por Drogba. Iria o herói virar vilão? Não, a história estava decidida a dar o triunfo ao Chelsea e Cech também, atirando-se para a esquerda e defendendo a cobrança de Arjen Robben. Outra vez, o que se esperava não se cumpriu. Pênaltis!

O Chelsea começou. Juan Mata falhou e o Bayern marcou o primeiro. Depois de tanto esforço, será que a história e o destino seriam outra vez injustos com o Chelsea? Não. Cech estava lá e defendou duas. Faltava um pênalti, um chute, um toque na bola. Drogba colocou-a na marca. Afastou-se um pouco, partiu e bateu.

O resto é história e vocês já sabem: “Gol!”, gritaram milhares de torcedores blues. E assim, o Chelsea se tornou o vencedor da Champions. Uma história e um jogo que desafiaram a realidade e que nunca mais esqueceremos.

Category: Conteúdos Especiais

Tags:

Article by: Francisco Moita