Todas as palavras de Tuchel após o jogo no Santiago Bernabéu

Apesar de fazer uma ótima partida, ainda mais se comparada com o jogo de ida não foi suficiente. Sendo assim, mesmo vencendo por 3-2 em Madrid, o Chelsea foi eliminado da Liga dos Campeões. Os Merengues, com o gol marcado na prorrogação, colocaram o placar agregado em 5-4, levando os Blues à queda nas quartas de final da competição.

Pouco depois do término da partida, Thomas Tuchel conversou com jornalistas da BT Sport. Tanto em relação ao andamento do jogo como em relação ao resultado:

Não tivemos sorte. É por isso que estamos desapontados. Nós fomos batidos por qualidade individual e conversão. Tivemos dois erros, duas perdas de bola. Por conta da partida de hoje, nós merecíamos passar. Mas não era para ser“.

Temos que reduzir nosso número de erros e não conseguimos reduzi-los ao mínimo em nenhuma das partidas. Tivemos duas perdas de bola cruciais. Não existem arrependimentos, esses são os tipos de derrota que você deve levar com orgulho como esportista“, continuou o alemão.

Sobre tática

O site da UEFA colocou o Chelsea escalado no sistema de 4-3-2-1 com Reece James e Marcos Alonso nas laterais direita e esquerda respectivamente. A zaga contava com Antonio Rüdiger e Thiago Silva. Por sua vez, o meio campo tinha uma primeira linha formada por Mateo Kovacic, Ruben Loftus-Cheek e N’Golo Kanté, com Timo Werner e Mason Mount mais avançados. Kai Havertz apareceu, mais uma vez, no comando do ataque.

Escalação oficial no site da UEFA (Reprodução: UEFA)

Na prática, por outro lado, os Blues, quando não tinham a bola, ficavam organizados em um 3-4-2-1 com a zaga sendo formada por Rüdiger, Thiago Silva e James. Assim, Alonso caia para a ala esquerda e Loftus-Cheek se posicionava na frente de James pelo lado direto.

Com a bola, então, o time londrino se postava no 4-3-2-1 que a UEFA colocou no seu site. Os laterais tinham liberdade para descer como se fossem alas e, por isso, Loftus-Cheek ficava um pouco mais recuado – porém também podendo descer. Kanté e Kovacic, de certa forma, foram os responsáveis por controlar e distribuir a bola para os homens de frente.

O treinador da equipe, em suma, buscava dar mais criatividade à equipe – que necessitava de um resultado amplo:

Os jogadores realizaram o que o plano pedia e de uma forma diferente do que aconteceu contra o Brentford e na ida [conta o Real]. Essa foi a grande diferença. Nunca tivemos medo de mostrar nosso ponto e isso é o mais importante: como fazemos jus a uma tática e como jogamos sob uma boa estrutura. Isso esteve nítido no limite hoje“.

Jogadores recebem merecido reconhecimento

Se quando o Chelsea joga mal, Tuchel não deixa de comentar sobre quem o desapontou. Quando sua equipe faz tudo da melhor forma possível, o alemão não deixa de exaltar sua equipe. Hoje não foi diferente:

Os créditos merecem o crédito por isso [por respeitar a tática]. Fomos disciplinados com a bola e ativos. Além disso tivemos muito investimento sem a bola. Nós mostramos coragem e de lá, nós mostramos muita qualidade e isso foi o jeito certo de fazê-lo. Isso é o que fizemos contra o Southampton para mostrar uma reação e foi o que fizemos hoje“.

Estou feliz. Essa é a maneira de seguir em frente. Nós demandamos muito dos jogadores e se temos esse tipo de esforço, somos um time muito especial. Se não, podemos perder para qualquer um. Então, é isso. As demandas são grandes e demandar de tal forma, em três partidas, com o nosso calendário não é fácil. Mas eles mostraram muito caráter hoje e devem ficar orgulhosos. Porém, ao mesmo tempo, estamos desapontados“, concluiu Tuchel.

Arbitragem em foco

Logo após o apito final, o árbitro da partida foi visto rindo com Carlo Anchelotti, treinador do Real Madrid. Nesse sentido, o técnico dos Blues disse não concordar com a atitude – tanto de seu colega de profissão como do juíz.

Eu acho que é um momento bastante errado para fazer isso. Depois do apito final e de 126 minutos onde um time deu tudo de si e lutou até o último minuto. Você vai e vê o árbitro sorrindo e rindo com o outro treinador. Eu acho que é um timing muito, muito ruim. Eu disso isso para ele e é isso“.

Além disso, Tuchel comentou sobre a postura da arbitragem durante a partida. Em suma, o treinador criticou a falta de imposição do juiz e deu a entender que algumas decisões poderiam ter sido diferentes, caso a postura da arbitragem fosse mais assertiva:

Não foi só hoje [que as decisões foram contra nós]… é assim. Talvez eu tenha problemas. Mas, se você joga contra o Real Madrid você, talvez, espere que todos tenham essa coragem [de marcar decisões]. Eu senti isso na partida de ida – e hoje também“.

Essa é apenas minha opinião. Eu acho que merecíamos mais minutos no final porque pareceu que não tínhamos jogado muito no segundo tempo da prorrogação. Talvez isso seja pedir muito em partidas contra esse tipo de oponente. Nós tínhamos isso [o jogo] em nossas mãos e não tivemos sorte o suficiente. E é isso“.

Destaque da partida

Rüdiger, mais uma vez, foi um dos principais nomes do Chelsea na partida. Hoje, ainda marcou um gol que ascendeu a chama para os londrinos seguirem em busca do resultado. Logo, seu compatriota e treinador comentou sobre a performance do camisa 2:

Toni foi espetacular. Foi uma performance excepcional em todos os sentidos. É o que ele faz em um nível muito alto. Sua mentalidade, foco e liderança, tudo combinado. É um grande destaque. Além de ser um outro exemplo do que ele pode fazer“.

Enfim, Tuchel e seus comandados não tem muito tempo para remoer a eliminação. Isso porque, no próximo domingo (17), os Blues enfrentam o Crystal Palace às 12h30 (horário de Brasília). Em Wembley, o dérbi londrino definirá um dos finalistas da FA Cup e pode levar o Chelsea à terceira final seguida da competição.

 

Category: Chelsea Football Club

Article by: Nathalia Tavares