Entrevistas Pós-Jogo: Tottenham 2-4 Chelsea

Gary Cahill comemorando gol.

Roberto Di Matteo

“Contra o Arsenal fomos muito bem, contra o Reading também achei que fomos bem, e contra a Juve fomos fortes no primeiro tempo, mas a constância que mostramos hoje no jogo é algo que me agrada muito. Houve 10 ou 12 minutos em que o Spurs, voltando do intervalo, foi muito incisivo. O gol no primeiro minuto deu confiança a eles e sabíamos que não poderíamos vacilar mais. Fora isso, a maior parte do jogo estivemos no controle. Tomamos a iniciativa e conseguimos nos impôr.”

Sobre o gol do Cahill, e a parceria com David Luiz, pois JT está suspenso, “Não é a primeira vez que eles jogam juntos, não havia com o que se preocupar. Achei também que o Ramires e Mikel foram excelentes juntos de volantes, tiveram quantidade mas também qualidade, e obviamente fomos sempre perigosos atacando. O Cahill mostra isso nos treinos, ele sempre está envolvido quando treinamos finalização, e você pode ver que ele tem técnica. É importante quando os zagueiros sejam bons na posse de bola. Temos um bom elenco com o qual eu estou contente, e sempre que algum jogador entra, ele corresponde. Temos uma boa base, então dá pra fazer duas ou três mudanças sem mudar muito o jogo.”

Sobre o título, “É muito cedo pra dizer, ainda temos 30 jogos pela frente. Esse resultado nos mostra como um time forte, e faz o nosso início ainda melhor, mas temos que esperar até o período do natal pra ter uma ideia melhor.”

“Queremos vencer os jogos de uma maneira que podemos com os jogadores que temos. Nossa filosofia é jogar de uma certa forma pois acreditamos nisso, com o nosso elenco, esse é o jeito de vencer jogos.”

Sobre o jogo, “Você não precisa de pressão extra em um jogo como este. É um clássico de Londres. Não vencemos aqui desde 2005 pela EPL e sabemos como o Spurs é forte em White Hart Lane. É o primeiro derby da cidade que perdem aqui em cinco anos. Foi um jogo difícil, um teste para nossa personalidade e habilidade.”

“As pessoas sempre focam no lado criativo do time. Jogamos um futebol que agrada aos olhos, mas também temos um bom time e espírito de equipe. Estamos tentando progredir, melhorar e ter um bom time. Começamos bem, mostramos as qualidade que temos, e ainda podemos melhorar.”

Sobre a decisão do clube em manter John Terry capitão da equipe, “A diretoria tomou a decisão e eu respeito isso. Na real, eles são a diretoria e tomam as decisões que são melhores para o clube. Tem sido tenso para nós, como clube, lidarmos com essas situações, e hoje direcionamos essa energia ao futebol e mostramos que somos um bom time.”

Gary Cahill

Sobre John Terry permanecer capitão, “Fantástico! Eu não esperava que fosse algo diferente disso, na verdade. Ele é o capitão há muito anos.”

Sobre o jogo, “Foi um jogo duro, e sendo fora de casa, o resultado foi fantástico. Continuar com o bom momento eu acho, começamos a temporada muito bem.”

Juan Mata

Sobre John Terry permanecer capitão, “Ele é um grande companheiro de equipe, e uma boa pessoa.”

Sobre o jogo, “Eles voltaram muito bem nos dez primeiros minutos do segundo tempo, mas como um time, sempre acreditamos na nossa qualidade. Dois gols pra mim é suficiente, eu fico muito feliz. Temos que seguir em frente e continuar treinando muito.”

André Villas-Boas

“O jogo foi decidido com o talento individual de Oscar, Mata e Hazard, que foram brilhantes. Eles conseguem abrir espaços e acabar com os oponentes, pois são extremamente criativos. Um bom jogador é um bom jogador, independente de quem seja o técnico, nós contratamos o Mata pelo seu talento, e ele não vai simplesmente parar de ter momentos de brilhantismo.”

“Foi um jogo cheio de emoções e houve muitas chances para os dois times. Fomos mais fortes no segundo tempo e viramos o jogo, mas o brilhantismo e criatividade do Chelsea abriram espaços e decidiram o jogo. Estávamos numa sequência boa, e agora temos que voltar à ela. Quando você tem jogadores com esse comprometimento, desejo e ambição, você consegue dar a volta por cima. Ainda temos 30 jogos pela frente.”

Sobre a ausência de Gareth Bale, que estava escalado, foi ao estádio, mas saiu para acompanhar o nascimento do seu filho, “Sentimos a falta dele, mas ainda temos jogadores bons e opções. Você viu o comportamento deles. Gylfi Sigurdsson entrou e jogou muito bem. O elenco é bom, temos bons jogadores.”

Category: Competições

Tags:

Article by: Mirelle Oncken