Entrevistas Pós-Jogo: Chelsea 2-3 Manchester United

Torres sendo expulso. (foto: Daily Mail)

Roberto Di Matteo

Sobre as decisões da arbitragem: “É bem óbvio pra todo mundo que o segundo amarelo do Fernando Torres foi errado, foi uma falta para nós, ele (o árbitro) deveria ter dado amarelo para o Evans, e o gol decisivo foi em impedimento. É uma vergonha que um jogo seja decidido dessa maneira pela arbitragem. Eu fiquei chocado. Eu achei que seria uma falta para nós, e não contra nós.”

“Ele (Mark Clattenburg) vai assistir ao VT agora e provavelmente se dará conta dos erros dele. Não podemos mudar o placar do jogo, e essa é a nossa grande decepção.”

“O que quer que o Fergusson diga, foi uma falta clara a nosso favor, o Fernando colocou a bola no meio das pernas do Evans, passou e foi chutado na canela, por isso caiu. É uma falta pra cartão para o outro jogador, não o nosso.”

“Estamos tremendamente decepcionados que essas decisões-chave foram erradas, engraçado que essas decisões parecem que sempre são dadas para o adversário, e é uma enorme desvantagem para nós. Com os 2-2, parecia que éramos o time que iria marcar o terceiro gol, então é uma vergonha. Foi um grande jogo de futebol entre duas grandes equipes, e a arbitragem destruiu o jogo.”

“Eles estão sob pressão imensa e precisam ser capazes de lidar com isso. Decisões-chave têm que ser corretas para qualquer time, e você não quer que a arbitragem influencie no resultado. Deixe os times jogarem um bom jogo de futebol, é o que todos querem.”

Sobre o jogo em si, “Hoje começamos mal, estávamos lentos, e o primeiro gol foi muita falta de sorte. No segundo gol eu acho que defendemos mal. Mas então reagimos e o momento era nosso. Tivemos uma semana difícil com três jogos intensos, e uma viagem longa a Ucrânia. Depois de uns 20 minutos, entramos no jogo e começamos a atuar do jeito que queremos jogar. Mostramos personalidade e reagimos bem para conseguirmos empatar, e tivemos mais algumas boas chances criadas, eu me sentia confiante de que iríamos ganhar o jogo.”

“Temos essa personalidade no vestiário, nós nunca desistimos, e ,quem sabe, se eles não tivessem marcado o gol em impedimento? Talvez poderíamos ter segurado e empatado mesmo com 9 em campo, mas é difícil fazer alguma coisa quando se tem apenas nove jogadores em campo.”
“Haviam dois grandes times em campo, e nós fomos fortes e causamos preocupações a eles. De Gea fez algumas defesas fantásticas, e eu tinha confiança na vitória, eles pareciam vulneráveis.”

“Temos que reagrupar, pra início de conversa. Vamos ficar sem alguns jogadores depois de ter jogado com apenas nove, e numa semana onde tivemos uma longa viagem para a Ucrania. Eu tenho que ver como os jogadores estarão amanhã e começar a pensar que time eu vou por em campo na quarta-feira.”

“Sabemos que temos um time forte e bom. Apenas temos que superar esse momento sem alguns jogadores, jogar em três dias, e recuperar as energias.”

“Hoje nossa imagem foi de um time que quer vencer, e fomos fortes dentro de campo. As decisões foram contra nós e tornaram as coisas muito difíceis, mas eu tenho certeza que ao longo prazo esse time tem muita qualidade e mesmo que nos encontremos em momentos e situações adversas, poderemos superar assim que tivermos todo mundo de volta. Somos um bom time.”

Alex Ferguson

Perguntado se o resultado poderia ser a favor de qualquer um dos lados: “Ah sim, certamente, sem dúvidas disso. Começamos o jogo muito bem, fantástico. Então 10 minutos antes do intervalo perdemos a linha um pouco. Mal poderíamos esperar pelo intervalo, pra falar a verdade. Eu acho que a expulsão do lateral direito foi o momento chave. Naquele momento, poderíamos já vencer o jogo. Colocamos o Chicharito em campo, e ele marcou o gol da vitória. Eu acho que o momento era nosso.”

Sobre o gol de Chicharito ter sido em impedimento: “Dizem que o gol pode ter sido em impedimento, então foi um pouco de sorte que tivemos.”
Sobre a expulsão de Fernando Torres: “Eu achei que ele caiu. Acho que o Jonny (Evans) talvez tenha encostado nele um pouco. Mas ele poderia ter continuado em pé, e escolheu se jogar. Ele poderia ter seguido e marcado o gol, é isso que eu entendo. E ele já tinha o amarelo, então a culpa é dele próprio.”

Category: Competições

Tags:

Article by: Mirelle Oncken