Entrevistas Pós Jogo: Chelsea 1-0 Stoke

Ashley Cole, autor do gol da vitória. (foto: chelseafc.com)

Roberto Di Matteo

“Foi uma atuação muito boa, o time todo se expressou bem. Depois de um jogo pela Champions League, os jogadores sentem o cansaço físico e emocional, então sempre há preocupação, mas começamos bem ativos. No segundo tempo começamos bem, criando chances e abrindo espaços um pouco mas. Na hora pensei que fosse questão de tempo para marcarmos. Quando você joga contra o Stoke, é sempre difícil furar o sistema defensivo deles, de qualidade e quantidade. Se conseguir marcar logo isso ajuda imensamente o seu time, mas se não marca, se torna cada vez mais difícil achar os espaços.”

Sobre John Terry e Frank Lampard serem banco: “É só uma questão de utilizar o elenco. Temos bons jogadores, um bom elenco, apenas queríamos rodar um pouco, colocar jogadores descansados. Fizemos isso várias vezes antes e iremos continuar fazendo pois jogamos muitos jogos. Eles jogaram já vários jogos, e temos outros tantos para jogar, então usar o elenco todo é muito importante para nós. Você não quer chegar a novembro sem fôlego nenhum. Desde que eu assumi o Chelsea rodei bastante o elenco, usei bastante gente. Eles (JT e Lampard) são fantásticos, dois líderes que servem de exemplo, quando eles não estão escalados para os jogos eles ainda vêm ao estádio e torcem pelo time e por mim. É um prazer para mim, ter jogadores como esses no time.”

Sobre o cartão recebido por Oscar, por simulação de pênalti: “Eu não acho que ele tenha se jogado. Houve o contato, talvez o árbitro tenha achado que não foi o suficiente para a marcação do pênalti, mas ele não deveria ter mostrado o cartão, na minha opinião. Eles (árbitros) têm um trabalho difícil, os assistentes também. Às vezes eles acertam, às vezes eles erram. Ficamos desapontados por não terem marcado alguns pênaltis para nós recentemente, mas se você tentar ser um juíz de futebol, não é nada fácil.”

Sobre Oscar, Hazard e Mata jogarem juntos no meio, “É a primeira vez que testamos os três juntos e claro que precisa de mais treino para taticamente integrá-los ao sistema. No entanto, hoje achei que deu certo, ainda que precise de tempo para os três se entrosarem bem. Eu quero que eles tenha mobilidade e troquem de posição, eles são muito inteligentes para achar espaços. Por vezes não trabalhamos muito pelos lados, então precisamos que os laterais armassem jogados por ali.”

Sobre Moses: “Ele também entrou contra o QPR. Ele tem boa chance de começar no próximo jogo. Será uma grande chance de introduzirmos no time as novas contratações. Trouxemos o Moses nos últimos dias de tranferência, e logo em seguida tivemos a parada para jogos internacionais, então é como se ele estivesse conosco por bastante tempo.”

Sobre Ashley Cole marcar o gol: “Foi meio inesperado, mas parece que temos os nossos laterais jogando mais avançados por agora. Não importa quem marque o gol, desde que vençamos como time.”

O placar, 1-0, foi o mesmo da temporada passada quando o Chelsea enfrentou o Stoke em casa, primeiro jogo do Di Matteo, ainda como interino. “Você tem um plano de jogo, e tem que ter paciência, tentar achar soluções para quebrar o esquema deles. É difícil, pois são muito organizados e bem treinados pelo Tony Pulis. Contra o Stoke, é sempre bom marcar logo de cara, mas não me importo de marcar gol só no fim do jogo. Fizemos o mesmo na temporada passada, o negócio é continuar tentando achar o gol.”

Sobre o carrinho de David Luiz no Jon Walters em que os jogadores do Stoke pediram a expulsão do brasileiro, “Foi um carrinho duro. Felizmente, o David não acertou em cheio o jogador, porque eu acho que teria machucado mesmo. Mas aceitamos a decisão do árbitro, e seguimos em frente.”

Tony Pulis

Sobre o lance do David Luiz no Walters, “Foi uma entrada feia, e eu realmente acho que um árbitro da Premier League deveria ter visto o lance pelo que ele realmente foi. Michael (árbitro) teve uma boa visão do lance. No mais, ele foi bem hoje por não dar ao Chelsea nenhum pênalti. Houve três ou quatro incidentes que assistimos depois pela TV e vimos que os jogadores se jogavam no chão. Isso é um pesadelo pra mim. Quando jogadores fazem isso, deveriam ser  realçados. Há um ou dois jogadores na Premier League agora em que todos sabem que são cai-cai. Temos que destacar isso. Esquece o que estão fazendo na Europa, estamos na Inglaterra e esse é o nosso jogo. O Ivanovic se jogou – e ele é um excelente jogador – Oscar caiu algumas vezes, isso aumenta a pressão e eu achei que o Michael (Oliver) foi bem em não cair na pressão para tomar essas decisões.”

“Jon (Walters) deveria ter marcado o gol na bola parada. Mas também achei que tocamos bem na bola, com bons passes, e tivemos boas oportunidades de marcar, ou até mesmo de acertar o alvo. Não fizemos isso como deveríamos, e temos que, principalmente contra os grandes clubes.”

Michael Owen chegou a entrar em campo hoje: “Michael tem sido fantástico, e eu pensei, quando ele entrou, que ele foi incisivo. Estamos querendo colocá-lo em mais jogos. Mas vamos garantir que façamos isso gradualmente, e que ele esteja pronto pra isso.”

Category: Competições

Tags:

Article by: Mirelle Oncken