Em Old Trafford, Chelsea enfrenta Manchester United

Clubes buscam se recuperar de mau momento (Foto: Premier League)
Clubes buscam se recuperar de mau momento (Foto: Premier League)

Apenas dois dias após empatar com o Watford, por 2×2, o Chelsea volta a entrar em campo pela Premier League. O adversário será o Manchester United, que como o clube de Londres vive mau momento e tem seu técnico sob muita pressão. A partida acontecerá na próxima segunda-feira (28), no estádio Old Trafford, em Manchester, às 15h30 (horário de Brasília) e terá transmissão do canal FOX Sports. Você também acompanha tudo o que acontece no encontro em nosso twitter, o @Chelseabrasil.

Diego Costa está suspenso

Após empatar com o Watford, o treinador Guus Hiddink terá de lidar com uma baixa importante para a partida contra o Manchester United. Embora viesse de uma sequência ruim, Diego Costa marcou dois gols na última partida, mas recebeu um cartão amarelo e está suspenso para a partida da próxima segunda-feira (28). Por outro lado, é esperado que após voltar ao time no último jogo – ainda que tenha entrado no decorrer da partida –, o belga Eden Hazard retome a titularidade e entre em campo contra os Red Devils.

Schweinsteiger retorna ao time após cumprir suspensão

Vindo de uma péssima sequência de jogos, com sete partidas sem vitória (3E e 4D), o Manchester United está sob grande pressão e Louis van Gaal pode ser demitido a qualquer momento, segundo informa a imprensa britânica. No entanto, o holandês tem boas notícias para o jogo contra o Chelsea. O alemão Bastian Schweinsteiger retorna de suspensão e o lateral Matteo Darmian está recuperado de lesão, passando a serem opções para o comandante armar sua equipe para o confronto com os Blues. Lesionados, Marcos Rojo, Jesse Lingard, Antonio Valencia e Luke Shaw seguem fora.

Prováveis escalações

Chelsea (4-2-3-1): Courtois; Ivanovic, Zouma (Cahill), Terry, Azpilicueta; Matic, Fàbregas; Willian, Oscar, Pedro (Rémy); Hazard. Téc.: Guus Hiddink

Manchester United (4-2-3-1): De Gea; Young (Darmian), Smalling, Jones, Blind; Carrick (Schneiderlin), Schweinsteiger; Mata, Herrera, Martial (Depay); Rooney. Téc.: Louis van Gaal

Entrevistas Pré-Jogo

Guus Hiddink (Chelsea)

Hiddink no banco na primeira partida desde sua volta ao clube (Foto: Chelsea FC)
Hiddink no banco na primeira partida desde sua volta ao clube (Foto: Chelsea FC)

Em entrevista concedida após o empate com o Watford, Guus Hiddink falou da importância da reação na partida, ressaltou a importância do jogo de Diego Costa, a falta que fará, e sobre o garoto Memphis Depay, holandês do Manchester United, que falhou na última partida dos Red Devils.

“Era muito importante a equipe reagir após sofrer o 2×1, especialmente contra um defensivo e muito bem organizado Watford. A reação também foi importante tendo em vista o passado recente do clube.

Ele (Diego Costa) está fora (na segunda-feira), o que significa que temos que pensar como resolveremos esse problema. É uma pena após uma boa performance, temos que resolver isso em 48 horas.

O United foi primeiro, segundo (colocado), e agora eles estão em um período difícil, mas eles têm que reagir por si mesmos.

Ele (Memphis Depay) é um garoto muito jovem. Quando ele estava na Holanda ele era uma das estrelas em uma idade muito jovem. Há falta de estrelas na Holanda que já estejam jogando há muitos anos em sua liga, então, em uma idade tão jovem, ele foi bombardeado como um dos maiores talentos. Ele tem esse talento, mas agora está confrontando as demandas da Premier League, que são muito maiores em intensidade do jogo, durante os 90 minutos.

Esse é um período pelo qual todos os jogadores, não apenas ele, têm que superar, e penso que eles precisam de tempo para isso. Ele tem talento, mas ele também dá entrevistas dizendo ‘preciso me acostumar com uma outra forma de jogar, com a intensidade dos jogos a cada três dias’. Esses garotos precisam de cobertura dos jogadores experientes.”

Louis van Gaal (Manchester United)

Van Gaal mostrou-se preocupado com a confiança de seu elenco (Foto: Manchester United)
Van Gaal mostrou-se preocupado com a confiança de seu elenco (Foto: Manchester United)

Após a partida contra o Stoke City, o treinador Louis van Gaal refletiu sobre a derrota e os problemas vividos pelo Manchester United, dizendo que a preparação para o jogo contra o Chelsea será muito difícil.

“Meus pensamentos dão conta de que nós não nos atrevemos a jogar futebol no primeiro tempo e demos um gol muito mau. Isso foi demais. Eles marcaram em uma falta e depois foi o intervalo. Conversamos uns com os outros e tenho que dizer que o segundo tempo foi muito melhor, criamos uma ou duas chances e tínhamos que ter marcado. Então, a crença foi voltando e nós jogamos melhor no segundo tempo, mas o problema é que não ousamos jogar. Essa é a minha análise.

Eu sempre acredito muito (nos jogadores) e também vejo como têm treinado, eles querem jogar bem, mas as circunstâncias também são difíceis. Não são só as circunstâncias como o vento, mas também com a pressão (sob os jogadores). Isso é, em minha opinião, a razão pela qual eles não se atrevem a jogar futebol. No segundo tempo, estávamos em uma posição de derrota e então você pode dar tudo mais facilmente. Isso é o que fizemos.

Essa é agora a grande questão. Eu tenho tentado fazer de tudo, mas a pressão vem sendo maior e maior em todo jogo. Esse é o problema agora. É mais difícil porque eu também sou parte das quatro partidas em que perdemos, então as pessoas estão olhando para mim e eu tenho que lidar com isso, mas, mais importante, os jogadores têm que lidar com isso, porque são aqueles que têm que atuar.

Você pode dizer que podemos, rapidamente, conseguir uma vingança para essa derrota contra o Chelsea, mas no intervalo precisamos nos recuperar, porque os jogadores deram tudo (contra o Stoke) e então você tem que tentar gerenciar a confiança para começar o jogo, e se atrever a jogar nosso futebol – nosso futebol! É muito difícil fazer isso em apenas dois dias, mas vamos tentar.”

Último encontro

Hazard marcou no último encontro entre as equipes (Foto: Reuters)
Hazard marcou no último encontro entre as equipes (Foto: Reuters)

A última vez em que Chelsea e Manchester United se enfrentaram aconteceu na 33ª rodada da Premier League da temporada 2014-2015. Na ocasião, atuando em Stamford Bridge, os Blues venceram por 1×0, gol de Eden Hazard.

Fique de Olho

Martial foi uma boa aquisição dos Red Devils (Foto: Getty Images)
Martial foi uma boa aquisição dos Red Devils (Foto: Getty Images)

Apesar da má fase vivida pelo Manchester United, um jogador tem chamado a atenção positivamente no setor ofensivo: o jovem francês Anthony Martial. Embora tenha apenas 20 anos, o jogador que custou cerca de £35 milhões parece não ter sentido o peso da camisa dos Red Devils e vem tendo um início de trajetória interessante em Old Trafford. Em 21 partidas com a camisa do United, Martial já balançou as redes sete vezes, criando também duas assistências. Opção pelos flancos ou pelo centro do ataque, é rápido e tem boa habilidade.

Curiosidades

– Ao todo, Blues e Red Devils já se enfrentaram 172 vezes na história e o Manchester United tem superioridade. Ao todo, o Chelsea venceu 50 vezes, empatou 47 e perdeu 75;

– A maior goleada da história do confronto aconteceu na temporada 1960-1961, ocasião em que o Manchester United venceu por 6×0. A maior vantagem do Chelsea na disputa aconteceu na longínqua campanha de 1930-1931, quando impôs um placar de 6×2 ao clube de Old Trafford;

– Ocorreram apenas três gols nas últimas três partidas entre Chelsea e Manchester United em Old Trafford;

– O Chelsea é o time que mais venceu o Manchester United na Premier League, com 16 vitórias;

– O Chelsea está invicto a cinco jogos contra os Red Devils na Premier League (3V e 2E);

– Guus Hiddink bateu Louis van Gaal nas últimas três vezes em que se enfrentaram;

– O elenco do Manchester United conta com Juan Mata, ex-blue, e o do Chelsea com Falcao García, ex-red devil.

Category: Competições

Tags:

Article by: Wladimir de Castro Rodrigues Dias

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 24 anos. A preferência é o futebol bretão, mas me interesso pelo esférico rolado em qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também no O Futebólogo, no Doentes por Futebol e na Corner.