Um gol com vários significados

Que o jogo de quarta-feira foi sensacional, isso não temos dúvidas. Mas desde então, a cada vez que eu revejo o gol de Michy Batshuayi, eu fico encantado.

No contexto geral, um empate fora de casa contra o Atlético de Madrid já seria um bom resultado. Mas a partida foi nos mostrando desde o primeiro minuto que a vitória era uma realidade. Desde algumas chances desperdiçadas por Álvaro Morata, bola na trave de Hazard.

Só deu Chelsea. Até o pênalti bobo de David Luiz, um pequeno deslize que nos remeteu a velhas lembranças. Na volta do intervalo, a volta do poderio ofensivo veio após o gol de empate de Morata.

Porém, último lance do jogo, falta na intermediária. 99,9% das pessoas queriam a bola levantada na área e o “seja o que Deus quiser”.
Christensen tocou rápido para Willian na direita, o desespero já estava presente: “O juiz vai acabar..”.
Bola rolada para Kanté: “chuta, vai!”.
Kante tocou pra Moses na direita: “Tá, agora chuta”.
Moses abriu pra Alonso na direita, que voltou a bola pra Kante: “Agora que o juiz apita o fim de jogo”.
Kante acha Bakayoko que abre pra Alonso na direita “Ai meu deus, cruza logo”.
Alonso toca e Batshuayi faz o gol: “Que gol!”.

MICHY! How did you react when @mbatshuayi scored the winning goal against Atletico last night?! 🔥 #CFC #Chelsea #UCL

Uma publicação compartilhada por Chelsea FC! 🏆 (@chelseafc) em

O que foi esse último lance, foi uma aula de futebol. Pode ser uma jogada ensaiada ou apenas uma alternativa encontrada na hora, mas que com certeza tem influência de treinamentos. É o que a gente sempre preza no futebol, o toque de bola, mas que quando chega na hora de acontecer, sempre pede o chutão. O não ter medo de tocar pra trás pra gerar espaço na frente.

Esse gol é muito mais do que um gol. É a reafirmação de um grande elenco. A confiança de que temos um grande treinador no comando da nossa equipe.

O gol é o grande momento do futebol. E o gol da vitória no último lance é aquilo que todo torcedor quer ver do seu time. A comemoração dos jogadores e de Conte é genuína. É uma parcela de nós lá. É a esperança, de que com esse time, poderemos conquistar a Europa novamente. Quarta foi um grande desafio e eles passaram no teste, com requintes de crueldade, mas vai dizer que não foi melhor assim?

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Diego Lepre

Carioca, estudante de Jornalismo e apaixonado pelo Chelsea.