Sergei Skripal

Sergei Srkipal: O pivô da pior crise do Chelsea

Com toda certeza, você não deve saber quem é Sergei Viktorovich Srkipal, principalmente devido ao nome peculiar de origem russa.  Além do mais, os únicos jogadores russos que vestiram a camisa do Chelsea foram: Dmitre Kharine (1991-1999, 119 jogos, 0 gol), um pouco mais recente o meia Alexey Smertin (2003-2006, 16 jogos, 0 gols) e, sem dúvida, o mais famoso de todos Yuri Zhirkov (2009-2011, 29 jogos, 0 gols).

Roman Abramovich

Acredito haver uma desnecessidade de falar algo sobre o dono do Chelsea, Roman Abramovich. O bilionário russo que, além de fazer do Chelsea o seu Fifa Manager, também fez história adquirindo vários brinquedos, como (na época) o mais caro iate particular do mundo: o Eclipse.

Eclipse: Iate de Roman Abramovich
Eclipse: Iate de Roman Abramovich

Sem dúvida, algo totalmente espantoso.  Porém, existia um outro “brinquedo” (ele já vendeu) que, quando ainda o Neymar jogava no Santos e o Chelsea estava querendo adquiri-lo, um dos meus alunos, disse que o “titio Abra”, ainda assim não teria dinheiro suficiente para pagar para o Santos.

Pois bem, além do iate (se é que podemos chamá-lo de iate), ele adquiriu também uma casa (casa?), onde, apenas para cuidar do jardim, eram necessários 50 jardineiros em tempo integral.

Sergei Srkipal

Porém, voltando ao cerne da questão, e como já falado por Lucas Sanches, em seu artigo Questões políticas e o futuro de Roman Abramovich, Srkipal é um ex-agente da extinta KGB, algo que rivalizava com a CIA na época da extinta Guerra Fria. Com o fim da ex-URSS, a KGB deu origem a outra agência, porém, com nome diferente: GRU (que em russo, significa Serviço de Inteligência Militar da Rússia). Em 2006, ele foi acusado de alta traição e condenado a 13 anos de prisão, devido a ter espionado o MI6 (agência de inteligência britânica) e ter feito “jogo duplo”.

Porém, no dia 88/07/2010, em um programa conhecido como Illegal Programs, os Estados Unidos e a Inglaterra fizeram uma “troca” entre espiões.  Dentre os russos, estavam, além de Sergei Skripal: Igor Sutyagin, Alexander Zaporozhsky, e Gennadiy Vasilenko, que, mesmo sendo espiões russos, utilizaram mais informações para a Inglaterra e os Estados Unidos, do que a própria Rússia.  Este tipo de “espião duplo”, ou aqueles que praticam alta traição contra seu país não é raro.  Lembremos de dois casos famosos, um russo e um norte-americano que deserdaram seu país: Viktor Belenko e Lee Harvey Osvald.

O incidente

No dia 4 de Março, uma chamada ao serviço de emergência, informava que um senhor de 66 anos e uma mulher de 33, estavam inconscientes no banco de uma praça. Até aí, “nada demais”. O problema é que eles foram contaminados com um veneno extremamente raro que foi identificado como A-234. Um veneno sintético, devido ao seu desenvolvido ter sido realizado na ex-URSS e proibido pela OPCW (Organisation for the Prohibition of Chemical Weapons).

Em primeiro lugar havia um grande problema para a Inglaterra, pois imaginava-se que era um caso de terrorismo.  Sobretudo, não foi difícil juntar as peças e saber que a Rússia que estava por trás de tudo isso. Como resultado, ocorreram acusações de um lado, ofensas de outro, o que ocorreu foi que 30 países decidiram expulsar todos os seus diplomatas russos que encontravam-se em seu país, retaliação ocorrida também na Rússia.

Como tudo isso se conecta?

O que um incidente internacional envolvendo ex-espiões russos tem a ver com o futuro do Chelsea?  Bom, como resultado (o dono do Chelsea é russo), e logo após o incidente, ele perdeu cerca de 400 milhões de libras, em virtude da queda das ações de sua empresa, a mineradora Evraz, devido a sanção imposta pelo governo de Donald Trump frente ao acontecimento com Srkipal.  Como se não bastasse Abramovich é camarada de Vladimir Putin, tanto que a Evraz venceu uma gigantesca concorrência no ramo de alumínio, devido (aos que dizem) da influência do próprio presidente.

Putin e Abramovich
Putin e Abramovich celebrando o acordo no caso da vitória da Evraz, no ramo de alumínios.

Com um caso especialmente relevante, os Deputados da Câmara dos Comuns da Inglaterra, voltaram os seus olhos para alguns dos oligarcas russos. Além de Abramovich, também corre risco Alisher Usmanov (dono de 1/3 das ações do Arsenal). Desde então, ambos necessitam renovar os seus vistos, para não estarem ilegais no país.  No caso de Abramovich, o visto ainda não veio, e, de acordo com o jornal The Guardian, é especialmente relevante esta questão, em virtude do mesmo estar demorando muito mais do que o habitual.

Abramovich, cidadão judeu israelense

Além disso alguém com bilhões de dólares, não vai ficar aguardando uma burocracia, que pode ser denegatória, para depois tomar uma decisão.  Com resultado Abramovich já começou a se mexer.  Parou com a construção do novo estádio do Chelsea, a situação de Antonio Conte está em hold, e contratações idem.  Além disso, existe uma tendência de que Abramovich tenha pedido sua cidadania israelense, devido a ser judeu, como anunciado no jornal Haaretz, de Israel.

Com isto, como bem disse Trevor Birch, ex-diretor executivo, o Chelsea corre o risco de ficar sem estádio, sem treinador e sem sua maior estrela, Eden Hazard.

#GoBlues

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

A gente sabe que você também tem o sangue azul. Apoie o Chelsea Brasil e ajude a escrever a nossa história! Link direto para a campanha: https://goo.gl/6AAUzD.

Apoie o Chelsea Brasil

Category: Opinião

Tags:

Article by: Dalton Gerth

Torcedor do Chelsea desde a época em que Vialli era técnico E jogador, advogado e estudante de licenciatura em Matemática.