O que aprendemos após o Deadline Day?

Dia 31 de Agosto é o Deadline Day, ou em outras palavras no futebol inglês, significa o caos. É o momento final para rumores que escutamos por todo um verão, as vezes até antes do final da temporada. Neste ano, o Chelsea anunciou dois nomes já no apagar das luzes. E muitos dos rumores especulados pela mídia, não aconteceram. Como podemos analisar a atuação do clube nesse dia? E em toda a janela, em um modo geral?

Para a formulação do elenco, a contratação de Davide Zappacosta foi perfeita. Um substituto para Victor Moses que Antonio Conte já demonstrou que sem o nigeriano, o time sofre muito. Tenho que admitir que nunca tinha ouvido falar do jogador italiano, assim como muitos torcedores e a crítica também. Porém, eu acredito em Conte. Na aposta feita. Muitos vem comparado com a chegada de Marcos Alonso, na última temporada. Se a regra se repetir, estou satisfeito.

Drinkwater foi o heroi coadjuvante da conquista do Leicester. Ele realizava um ótimo trabalho, mas os olhares e o glamour sempre foram para Jamie Vardy, Riyad Mahrez e N’Golo Kanté. O meia inglês pode acrescentar muito ao time e pode dar a Conte uma variação tática maior, não se limitando a atuar apenas no 3-4-3. É um jogador que me agrada e vai repetir a dupla de sucesso no meio campo dos Foxes com Kanté.

Foram boas contratações. Cada uma em seu aspecto necessário. Mas o torcedor do Chelsea fica um pouco decepcionado com a falta de uma contratação de peso. Ou melhor, de ataque. Oxlade Chamberlain, Ross Barkley, Fernando Llorente e o próprio Mahrez. Todos nomes que ventilaram forte em Stamford Bridge, mas todos ficaram de fora. Barkley teria até feito exames após acordo com o Everton, mas na última hora o meia decidiu recuar e permanecer nos Toffees.

Todas as seis contratações do clube foram bem pontuais. Mas ainda falta uma maior opção ao ataque quando Pedro, Willian ou Eden Hazard não estiverem funcionando. Por isso a frustração. Após a derrota em casa para o Burnley, isso ficou muito evidente, mas os resultados seguintes podem ter esfriado esse desespero. O que pode ser perigoso.

Minha nota para o Chelsea na janela de transferências: 7.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea.

Diego Lepre

Carioca, estudante de Jornalismo e apaixonado pelo Chelsea.