Mason Mount fez sucesso com a camisa azul

No incerto Chelsea de Frank Lampard, Mason Mount é a única certeza

Apesar da vitória magra sobre o Fulham, no último sábado (16), colocar fim à sequência de três jogos sem vencer pela Premier League, o Chelsea ainda não inspira confiança para o restante da temporada. Dentre as incertezas em torno do trabalho de Frank Lampard, talvez a única certeza seja Mason Mount

Não somente pelo gol que decretou a vitória no derby londrino, mas, acima de tudo, o meio-campista foi o mais participativo em campo, tanto nos desarmes quanto na criação de jogadas: um total de sete chances, o maior número de chances criadas por um jogador atuando fora de casa nas últimas cinco temporadas.

Mount finalizou com categoria para abrir o placar diante do Fulham (Foto: Chelsea FC/Reprodução)

Elogios do treinador

Homem de confiança do treinador, Lampard relembrou o início de sua passagem pelos Blues para elogiar Mount, que marcou pelo segundo jogo consecutivo: 

“Ele tem sido muito, muito bom para nós. Ele fez 22 anos na semana passada e é um exemplo da nossa juventude. Eu vim para o Chelsea aos 22 e não estava encantando o mundo no meu primeiro ano no Chelsea; eu ainda estava me encontrando. Então, Mason já tem muitos jogos em seu currículo. Seu esforço e atitude foram excelentes”, elogiou. 

Maturidade e consistência

A qualidade técnica e versatilidade de Mount já seria o suficiente para credenciá-lo como peça indispensável no time titular, mas sua maturidade e leitura tática dentro de campo reforçam ainda mais sua importância para a equipe.

“Com a saída de Jorginho e a entrada de Tammy [Abraham] e depois Timo [Werner], comecei a entrar mais na área, mas como estava junto do Kovacic, eu disse a ele para ficar um pouco mais atrás para que eu pudesse avançar mais. Quando vi, estava dentro da área, algo que não estava fazendo nas últimas semanas”, analisou.  

Com a chegada de Kai Havertz, e Kovacic em alta pelo que desempenhou na última temporada, imaginava-se que o meio-campista figuraria como opção entre os suplentes. Entretanto, sempre muito regular, assegurou sua vaga entre os onze principais, sendo o segundo atleta que mais entrou em campo (17) até aqui – atrás somente de Werner, com 18 partidas. 

Além disso, Mount é o terceiro jogador do elenco com mais assistências para gol (3), atrás de Chilwell e Werner com quatro passes para gol.

Portanto, das muitas dores de cabeça que Lampard precisa solucionar, ao menos Mason Mount não aparenta ser uma delas. Mas ele é apenas uma peça no quebra-cabeça que, por enquanto, está longe de ser completado.

Category: Opinião

Tags:

Article by: Lucas Valim Schiavon