Holofotes sobre Hazard são merecidos e em demasia

Existem muitos holofotes em cima de Eden Hazard. Uma atenção especial cujas razões são justificáveis, afinal de contas, é uma das estrelas do futebol na atualidade. As falas de Maurizio Sarri sobre o atleta são noticiadas, o desempenho do belga na Seleção Nacional aumenta a visibilidade do atleta. Desta forma, Hazard é destaque do clube de Stamford Bridge semanalmente e isso reforça ainda mais a identidade do futebolista junto ao clube londrino.

Recentemente, Hazard foi destaque por uma fala sobre José Mourinho, ex-técnico do Chelsea. Ele teria concedido uma entrevista a um jornal belga sobre ser treinado novamente por Mourinho. Para ser mais específico, a questão abordou a opinião do atleta sobre um treinador que ele gostaria de ser comandado novamente. E a resposta teria sido o lusitano multicampeão no Chelsea.

Qual é o problema nessa frase proferida pelo atleta? Bom, acredito que nenhuma. Não há que polemizar uma opinião do belga, muito pela história de Mourinho no clube de Stamford Bridge e pela própria carreira de um atleta – que é constituída por altos e baixos. Ele ter vontade de atuar ao lado de Mourinho, ou melhor, sob os comandos do português é uma atitude louvável do atleta.

Parece-me como uma dívida para com o próprio treinador, no sentido de que o belga não estava no auge da forma física naquele período de tempo. Ou seja, uma segunda chance de alguém que não tem que provar nada para ninguém. Principalmente, dentro do clube da Fulham Road.

Assunto 2 sobre Hazard

O mesmo Hazard tem notoriedade perante a mídia pela sua admiração profunda e diversamente mencionada para com o Real Madrid. Não é de hoje que o belga é ligado midiaticamente ao clube espanhol, pelas menções ao clube e pela falta de propostas contratuais do time merengue. Aos meus olhos, essa é situação que mais me incomoda. Não pelo risco do atleta sair, mas por toda a atmosfera que é criada sobre uma possível saída do belga.

Para piorar ainda mais, essa situação se trata de um cenário ainda em cogitação ou de mero rumor. Lembrando que essa situação ainda tem um agravante. A comparação da saída de Hazard (que nem ocorreu) com a mudança de ares de Thibaut Courtois, que foi considerada como atípica pelos padrões londrinos.

Nesta situação, eu compreendo a chateação dos torcedores do Chelsea. Mas eu tento visualizar de uma forma positiva. Principalmente pelos serviços prestados ao clube e pela vigência do contrato, que tem previsão de mais 20 meses ao belga. Preocupar é preciso, se revoltar não é preciso.

Assunto 3 sobre Hazard

“Hazard é muito bom e eu não acho que ele mesmo saiba quanto ele ainda pode melhorar o seu desempenho. Eu disse que ele pode atingir o círculo restrito dos três ou quatro melhores atletas no mundo”, essas são as palavras de Sarri ao jornal Corriere Dello Sport.

Ou seja, como é bonito ver Hazard atuar neste cenário atual do Chelsea. Um time ofensivo, que propõe o embate, que é incisivo. É um futebol vistoso e combina com a proposta insinuante de Hazard dentro das quatro linhas. Portanto, um modelo de jogo que parece ter sido feito para o belga.

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.