Despedida honrosa

Sempre gostei de ser otimista quanto ao futebol. Mesmo sabendo que, na maioria das vezes, a realidade é bem diferente, pensar o melhor sempre deixou este torcedor aqui mais alegre com esse esporte. No último jogo da temporada, vimos um Chelsea diferente do acostumado no decorrer da temporada. E o sentimento era de que as coisas podem mudar.

Não estou dizendo que foi um jogo primoroso, e que tudo será maravilhoso em 2018/19. Agora, estamos saindo de uma época tão melancólica com um título expressivo é dar ao torcedor um sinal de que não está tudo bem, mas que desistir não é uma opção.

Há esperança?

Os nomes questionados também são campeões. Cahill, Rudiger, Bakayoko, Morata, e sim: Antonio Conte. Todos fizeram parte do fracasso e todos são parte da glória. O Chelsea sai por cima de uma péssima temporada, mas mostra que quer estar sempre por cima. Em meio a inúmeras indefinições, nada melhor que um troféu para fazer o coração azul bater mais forte uma última vez antes de agosto.

Até já, Chelsea!

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Lucas Sanches

Eterno projeto de jornalista. Apaixonado por futebol e viúvo do Fernando Torres. Hazard é o melhor jogador do mundo. Twitter: sanches_07