Colunas: A Temporada para esquecer (2007-2008)

(Foto: ChelseaFCForums.com)

(Foto: ChelseaFCForums.com)

A temporada 2007-2008 marcou a saída da “Era Mourinho”, que durou de 2004 até Setembro de 2007. Nesta era, Mourinho conquistou incríveis seis troféus vencendo duas vezes o Campeonato Inglês, duas vezes a copa da Liga Inglesa, uma Copa da Inglaterra e uma Supercopa da Inglaterra.

Quando foi anunciado sua saída, por “consentimento mútuo”, assumiu o israelense (e desconhecido), Avran Grant.  Estranho que Grant tivesse sido nomeado Diretor de futebol do Chelsea, dois meses antes. Junto com ele (na abertura da janela), chegaram Florent Malouda (por 16 milhões de libras), Belletti (por 4.8 milhões de libras) e Steve Sidwell, Claudio Pizarro e Tal Ben Hain, todos sem custos.

Na Premier League, terminamos com 85 pontos, conquistados através de 25 vitórias, 10 empates e apenas três derrotas; marcando 65 gols e sofrendo apenas 26, com saldo de 39 gols.  Nesta temporada, perdemos apenas jogando fora de Stamford Bridge, para Arsenal (1 a 0), Aston Villa (4 a 0) e Manchester United (2 a 0). Porém, ficamos com o Vice-Campeonato.

Na Copa da Liga, começamos massacrando o Hull City por 4 a 0 (na casa deles), vencemos apertado o Leicester City por 4 a 3 em Stamford Bridge, vencemos o Liverpool, também em Stamford Bridge por 2 a 0 (gols de Lampard e Shevchenko), Everton por 2 a 1, novamente em Stamford Bridge com gols de Wright-Philips e gol contra de Joleon Lescott aos 90 minutos, e vencemos novamente o Everton por 1 a 0, desta vez no Goodison Park com gol do camisa 10, Joe Cole, e fomos para a final, que seria realizada no estádio Wembley. Com gols do saudoso Didier Drogba e Dimitar Berbatov, fomos para a prorrogação quando Jonatham Woodgate fez logo aos 4 minutos, e acabou com mais uma esperança para os Blues.

(Foto: The Daily Mail Newspaper)

Lampard recebendo a medalha do vice-campeonato

Na Champions League, caímos em um grupo teoricamente fácil com Schalke 04, Rosemborg e Valência. Terminamos na primeira colocação com três vitórias e três empates, fazendo nove gols e sofrendo apenas 2 (1 do Rosemborg e 1 do Valência).

Nas oitavas, pegamos o fraquíssimo Olympiacos e depois de um sonolento 0 x 0 fora, ganhamos de 3 x 0 em Stamford Bridge. Nas quartas, pegamos o Fenerbaçe que tinha derrotado o Sevilla (onde terminou líder do seu grupo que tinha o Arsenal). Depois de uma derrota por 2 x 1, tendo como protagonista o brasileiro Alex (que jogou no Coritiba e no Palmeiras), vencemos novamente em Stamford Bridge por 2 x 0 e fomos para a semi-final; no embate contra o Liverpool, que havia ficado com o vice-campeonato na edição anterior, perdendo para o Milan.

No primeiro jogo, realizado em Anfield, um empate por 1 x 1.  Dirk Kuyt fez para o Liverpool, aos 43 minutos de jogo, e nos acréscimos da etapa final, o norueguês John Arne Riise, fez um gol contra, e deu números finais ao jogo.

Fomos para Stamford Bridge, e viramos o primeiro tempo vencendo por 1 x 0, gol dele: Didier Drogba.  Na segunda etapa, sofremos o gol de Torres aos 19 do segundo tempo, e fomos para a prorrogação.  Nela, aos 8 da primeira etapa, gol de Frank Lampard de pênalti e encerramos o fim do primeiro tempo com mais um dele (novamente), Didier Drogba.  Ryan Babel diminuiu, mas não o suficiente. O Chelsea estava pela primeira vez na decisão da Champions League.

Bom o final todos nós sabemos. ..

Depois da expulsão de Drogba, no fim da 2ª. etapa, e o escorregão de John Terry, ficamos novamente no vice-campeonato e novamente tendo o Manchester como campeão.

Aliás, apenas para observação. Na disputa de pênaltis, além de Frank Lampard, Ashley Cole e  Michael Ballack converterem suas cobranças, também tivemos Salomon Kalou e Juliano Belletti, que converteram.

Eu não sei o que você, torcedor dos Blues, pensam da 2ª. colocação, porém eu penso que, “é melhor perder para o Atlético de Madrid, nas semi-finais, do que perder para o Real na final.”

E você, acha que a temporada 2007-2008 é para esquecer, ou existiram outras temporadas piores (depois de R. Abramovich adquirir o Chelsea), que podemos destacar?

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Dalton Gerth

Torcedor do Chelsea desde a época em que Vialli era técnico E jogador, advogado e estudante de licenciatura em Matemática.