Com a chegada de Cristiano Ronaldo, Higuaín pode não ir ao Chelsea

O mercado de transferências voltou a ser o foco das notícias internacionais na pausa da Copa do Mundo, antes do início das quartas de final. A grande notícia foi um acordo entre Real Madrid e Juventus para assinar com o atual melhor do mundo, Cristiano Ronaldo.

Mas por quê citaríamos isso no Chelsea Brasil? Na verdade, essa contratação pode definir o destino das nossas estrelas e também definir possíveis reforços.

O nome da vez no Chelsea, Gonzalo Higuain, representa a busca por um centro avante, já que o espanhol Alvaro Morata não agradou muito esse último ano. Uma troca entre os dois jogadores foi cogitada pela Juventus ou um acerto de 60 milhões de euros pelo atacante argentino, mas ao que parece, a chegada do gajo mudaria tudo.

De acordo com o empresário de Higuain, o jogador gostaria de jogar junto com o português novamente pela Juventus e negou uma possível mudança para Stamford Bridge. As informações iniciais vêm sendo veiculadas nas principais mídias britânicas, como o The Guardian, o Mirror e o Daily Mail.

O que mais acarretaria na transferência do português?

Com a perda do seu melhor jogador, o Real Madrid buscaria novos reforços para o clube. Atualmente, Neymar e Mbappe são as preferências de Julen Lopetegui, novo técnico madridista. Mas em uma eventual falha ao contratar os dois atacantes, Eden Hazard, que já era um nome cotado no Real, ganharia força novamente.

Além de Hazard, outro nome associado ao Real Madrid é o de Thibaut Courtois, já que sua família reside em Madrid e ainda não houve definição sobre uma renovação contratual com o Chelsea. Com receio de perder o goleiro belga, o Chelsea teria feito uma proposta pelo brasileiro Alisson da Roma, que também é alvo do time merengue.

Os nomes mais certos até o momento, além do técnico Maurizio Sarri, é do zagueiro Daniele Rugani da Juventus e do meia Aleksandr Golovin do CSKA Moskow.

Portanto, mesmo com a chegada de Sarri nos Blues, não é certa a chegada de Higuain, e a busca por um outro centro avante continuaria.

Fellipe Bonilha