Zappacosta x Victor Moses: boa estreia do italiano incendeia a disputa pela vaga de titular

Mesmo tendo conquistado o título da Premier League na última temporada, o Chelsea passou por seus momentos de aperto ao longo da campanha. Especialmente quando perdia um de seus titulares, fosse por lesão ou suspensão.

Sem ter um banco a altura de seus principais jogadores, os Blues se aproveitaram do fato de não disputar nenhuma competição europeia em 2016/2017 para driblar a escassez de seu elenco, mas teve de repensar os planos para esta temporada com a conquista da vaga para a UEFA Champions League.

A partir da lição aprendida pelo clube na última janela de transferência, o Chelsea tomou uma cautelosa postura em relação a suas contratações. Mesmo trazendo poucos reforços, buscou suprir suas necessidades investindo em jogadores menos badalados à arriscar contratar grandes estrelas por valores exorbitantes. Uma dessas apostas foi o lateral direito Davide Zappacosta.

O novo camisa 21 dos Blues chegou para ser reserva imediato de Victor Moses, que se tornou peça essencial para a equipe de Conte no último ano. No entanto, a boa atuação de Zappacosta em seu primeiro jogo como titular, diante do Qarabag pela Champions, mostrou que o italiano não veio à Londres para se contentar com a posição de reserva, e que Moses terá de abrir o olho para não perder sua vaga no time.

Em comparativo entre os números dos dois atletas na última temporada – com Zappacosta ainda atuando pela equipe do Torino, da Itália -, o recém-contratado possui ligeira vantagem sobre o camisa 15 nos principais critérios avaliados.

Mesmo tendo atuado quatro partidas a menos que seu ‘concorrente’, Zappacosta foi mais eficiente em número de passes, com um aproveitamento de quase 83% na Serie A, contra 79% de Moses pela Premier League. Quando o assunto é a quantidade de assistências, o lateral italiano continua a frente, com cinco – três a mais que o camisa 15 -, e possui aproveitamento superior em ‘key passes’, com uma média de 1.4 por partida, contra 0.8 de seu colega de posição.

Tendo também menos cartões amarelos, Zappacosta perde para Moses em apenas em dois critérios. Enquanto o nigeriano marcou três vezes pelo Chelsea na Premier League, Zappa possui apenas um gol em sua conta na última temporada da Serie A. Além disso, o italiano fica para trás também em jogadas aéreas, com uma média de 0.7 por partida, 0.3 a menos que o atleta da seleção nigeriana.

Defensivamente, o ex-jogador do Torino também superou Victor Moses na última temporada. O italiano possui médias mais altas que o colega de equipe em interceptações e desarmes – são médias de 1.3 e 1.5 por jogo respectivamente, enquanto Moses manteve 1.2 e 1.4 nas mesmas categorias.

Apesar da vantagem em diversos critérios de Zappacosta sobre Moses, ambos possuem números muito próximos. É pouco provável que o nigeriano perca sua posição de imediato, ainda mais se levada em consideração a importância que teve na conquista do título inglês. Mas a concorrência fica mais acirrada com a presença do lateral direito italiano, que já mostrou vontade e capacidade de brigar pela vaga na equipe principal. Seja qual for a escolha de Conte ao longo das próximas partidas, a torcida dos Blues pode ter certeza de que estará muito bem servida na posição.

Gabriela Bustamante

Estudante de jornalismo, 20 anos, apaixonada pelo Chelsea. A mulher que chora quando pensa naquele Barcelona 2x2 Chelsea no Camp Nou, em 2012.