Terceiro Tempo: Pausa internacional no momento de evolução

Pausa internacional para um time embalado, vitória contundente da equipe de Emma Hayes e goleada no Sub-18

Os clubes não escolhem o momento da pausa internacional. Para a equipe de Frank Lampard, o inevitável calendário de seleções chega e paralisa a sequência de trabalho em Cobham. O Terceiro Tempo de hoje lamenta a chegada na Data Fifa para integrantes da equipe de Londres. Afinal, os últimos jogos do Chelsea expuseram uma equipe mais equilibrada e cometendo menos erros (Ou seja, realizando mais acertos). Em outras palavras, o passado recente tem sido favorável ao time de Stamford Bridge. Por outro lado, o Chelsea se aproxima do momento de dedicação dos futebolistas aos selecionados nacionais.

Primeiro Tempo – Por que parar? Parar por quê?

Chelsea com ótimo resultados nos últimos jogos. Entretanto, atletas vão disputar compromissos com selecionados nacionais.

Terceiro Tempo: Chelsea com ótimo resultados nos últimos jogos. Entretanto, atletas vão disputar compromissos com selecionados nacionais. (Chelsea FC / Site)

Desde o empate contra o Southampton, por 3 a 3, o Chelsea apresenta números interessantes diante do atual cenário. Qual é o atual cenário? Entrosamento, aprimoramento e trabalho. Afinal, a consolidação é uma etapa adiante. Assim sendo, o Chelsea busca consertar erros da temporada passada e se aproximar de uma regularidade apresentada pelos planteis mais fortes da Inglaterra. Em relação aos números, a equipe de Londres sofreu um gol nos últimos seis jogos. Além disso, o Chelsea marcou 14 gols nos últimos quatro jogos. No atual período de jogos da temporada, é uma situação muito positiva.

Digo “no atual período de jogos”, pois o campeonato é longo e a temporada também. Em algum momento dessa longa estrada, as oscilações aparecem e tropeços podem ser evidenciados. Longe da minha pessoa desejar isso aos Blues, é apenas uma constatação. Sabendo da importância de viver o momento, eu reitero que o atual status do Chelsea demonstra um contexto positivo. Em adição e, independentemente de concordar ou não, a pressão aumentou em cima do trabalho do Frank Lampard. Primeiramente, pelo investimento que foi feito pela diretoria. Posteriormente, pela qualidade das peças que chegaram e somaram ao plantel.

A pausa para o Chelsea ocorre mediante resultados positivos

Diante disso, o Chelsea lidou muito bem com a famigerada semana de jogos “quarta e domingo”. Precisamente, sete jogos em 21 dias, com três empates e quatro vitórias ao time de Londres. Posteriormente, o time de Frank Lampard administrou positivamente os jogos por campeonatos distintos. Além do extenso deslocamento geográfico composto, por exemplo, de viagens da Rússia para o Turf Moor – a casa do Burnley. Por fim, a necessidade de treinar alguns aspectos dentro dos próprios jogos. Afinal, você joga em determinado dia, recupera o plantel no dia seguinte, treina e viaja com antecedência. Não há treinamentos. Ou seja, são apontamentos da comissão técnica, diálogo e execução dentro das quatro linhas. Esse foi o Chelsea, comandado por Frank Lampard, na transição de outubro para novembro.

Por fim, e para colocar temporariamente um ponto final nesse processo de jogos e vínculo no clube, a chegada da pausa internacional. Por exemplo, Timo Werner e a seleção alemã recebem a Ucrânia o final de semana. Confronto de seis pontos no Grupo 4 e sem Kai Havertz, que segue em isolamento social. Por outro lado, Kanté deve ser presença francesa no embate contra Portugal. Pode ser uma situação de novos jogos para N’Golo, o que é desgastante (e preocupante) ao futebolista. Entretanto, a convocação pode ser boa para Giroud. Se o centroavante for convocado, significaria mais minutos de jogos para o atacante. Afinal, Werner ou Abraham disfrutaram de mais minutos de jogo no Chelsea do que o francês. Rudiger, se for convocado, se encaixa nesse cenário também.

Por isso, vejo pontos positivos e negativos na Data Fifa. Vejo como favorável a possibilidade de peças, que não estão jogando regularmente, atuarem pelos selecionados nacionais. Isso também diz muito sobre o potencial do plantel do Chelsea. Atletas que estão no banco e não figuraram nas partidas do calendário inglês podem ser convocados para selecionados nacionais. Por outro lado, a separação dos integrantes para objetivos, modelos de jogos e situações distintas em suas seleções é desfavorável.

Segundo Tempo –  4 a 0 contra o Everton; Chelsea convincente

England volta a marcar

England foi titular e marcou dois gols. Além disso, Harder e Ji também balançaram as redes. (Foto: Chelsea FC / Twitter)

Por outro lado, a equipe comandada por Emma Hayes não sofrerá com a pausa da Data Fifa. Inclusive, poderá trabalhar por toda a semana visando o duelo contra o Arsenal, previsto para domingo (15). A vitória contra o Everton recolocou o Chelsea no Top 3 da Women’s Super League com 13 pontos. A mesma pontuação dos Toffees e atrás de Manchester United e Arsenal. Além disso, a equipe de Londres tem um jogo a menos em relação ao time de Manchester e a equipe do Emirates Stadium.

Recentemente, Emma Hayes comentou que a equipe não está no seu melhor nível ainda. Lembrando que o Chelsea foi eliminado da Copa da Inglaterra 2019/20, que foi realizada dentro da atual temporada. Por outro lado, a vitória contra o Everton serviu para reviver uma expressiva marca na WSL. O time de Kingsmeadow não perdeu nos últimos 26 jogos da competição nacional. Um feito maiúsculo e que enche de esperança a torcida do Chelsea para o estante da temporada. Afinal, mesmo longe do ápice do seu futebol, isso segundo Hayes, o Chelsea continua ampliando marcas e se aproximando os líderes.

Por falar em resultados positivos, Pernille Harder e Bethany England balançaram as redes adversárias contra o Everton. Além disso, Leupolz marcou mais uma vez na WSL. Foi a segunda partida consecutiva que a alemã colocou o seu nome na súmula da partida como artilheira. Por fim, Ji foi a responsável por inaugurar o marcador diante da boa equipe do Everton. 4 a 0 e mais três pontos na conta do Chelsea.

O foco do Chelsea está todo no próximo duelo, contra o Arsenal. Entretanto, vale relembrar que o compromisso seguinte ao rival será pela a Copa da Liga Inglesa (Continental Cup). O Chelsea enfrentará o London City Lionesses pelo encerramento da chave. Uma oportunidade para Emma Hayes dar minutos de jogo para outras peças do plantel. O terceiro embate na Continental Cup será realizado na quarta-feira (18), no Princes Park.

Terceiro Tempo: A base

Premier League Sub-18. Chelsea venceu o Leicester e se recuperou na competição. Por fim, destaque para Jude Soonsup-Bell.

Premier League Sub-18. Chelsea venceu o Leicester e se recuperou na competição. Por fim, destaque para Jude Soonsup-Bell. (Chelsea Youth / Twitter)

Goleada na Premier League Sub-18. A equipe do Chelsea venceu o Leicester City por 8 a 1, com quatro gols de Jude Soonsup-Bell. O atleta marcou 10 gols nos sete jogos disputados pelo Chelsea na Premier League Sub-18. Primeiramente, Soonsup-Bell marcou uma vez contra Brighton e novamente contra o West Ham. Posteriormente, não anotou gols contra Southampton e Crystal Palace. Por fim, três jogos consecutivos com gols. Dois contra o Reading, dois tentos contra o Norwich e quatro gols contra o Leicester.

Por fim, Thomas, Haigh, Elliott (pen) e Vale (pen) completaram o marcador. Além disso, o Chelsea somou a quarta vitória na Premier League U18 com o melhor ataque entre as duas divisões da competição. Em conclusão, o próximo embate será contra o Aston Villa, no dia 21 de novembro, às 9h, em Cobham.

Em conclusão, confira outros textos do Terceiro Tempo.

Além disso, o Chelsea Brasil está muito próximo de ser reconhecido novamente como Torcida Oficial dos Blues. Por isso, clique no banner abaixo e nos ajude.

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.