PSG deveria ser banido por “abusar de deficientes” no jogo contra o Chelsea, diz ministro inglês

chelsea-_75141271_psg_fans2

Fãs do Chelsea voltaram com péssimas lembranças extra-campo de Paris

Mike Penning, ministro do departamento de estado responsável por garantir a igualdade de direitos aos deficientes físicos da Inglaterra, afirmou que se os fãs do Paris Saint German forem considerado culpado pelas acusações de abuso contra a torcida do Chelsea o clube deveria ser impedido de jogar a Champions League.

Na ocasião, cinco torcedores dos Blues e os respectivos responsáveis para prestação de seus cuidados foram cuspidos e tiveram garrafas, gomas de mascar e moedas atiradas em sua direção no Parc des Princes durante a partida de 2 de abril.

“Não há sentido em multar um clube. São apenas trocados,” disse o ministro ao BBC Sport. “Eu acho que se eles estarão ou não na Champions League do ano que vem é o que deveria ser observado.”

Chelsea perdeu a partida de ida nas quartas de final em Paris mas ganhou a de volta garantindo assim o progresso do clube para a semifinal da competição máxima do futebol de clube europeu.

O Paris St-Germain poderia sofrer de um fechamento parcial do estádio se for considerado culpado de discriminar os deficientes físicos na torcida do Chelsea. É esperado que a UEFA anuncie sua decisão no dia 17 de julho.

Torcedora do Chelsea descreve os momentos de tensão

Lisa Hayden, usuária de cadeira de rodas e proprietária do season ticket do Chelsea, disse estar aterrorizada com o incidente.

“Foi bastante ameaçador. Eu senti que não tinha o que fazer lá e que alguém iria sair dali seriamente ferido,” ela disse. “Pareceu que eu estava sentada no inferno e que aquilo era algo sobre o qual eu não possuía controle algum.”

Hayden sofreu um sério dano cerebral em 1988 que a deixou suscetível a uma nova hemorragia e ela disse que uma pancada na cabeça de uma garrafa ou moeda poderia a ter matado.

“Senti que ninguém estava para nos proteger: havia 10 de nós e milhares deles e não achei que conseguiríamos sair de lá”. “Eu tive ataque de pânico no final da partida e eu não conseguia me acalmar.”

Outros clubes também dão margem a problemas; Chelsea não está entre eles

A questão de garantir assentos aos fãs deficientes junto a torcida adversária não é limitada ao Parc des Princes. Level Playing Field, grupo que promove ações para garantir acessibilidade para os deficientes fisicos, disse que na última temporada da Premier League cinco clubes colocaram torcedores visitantes em meio a seção reservada a torcida da casa: Aston Villa, Liverpool, Manchester United, Tottenham Hotspur e West Ham.

“Eu não acho que isto é aceitável,” disse Penning. “Fãs deficientes são fãs e eles não deveriam ser tratados diferentemente. Eles deveriam sentar com sua própria torcida e poder aproveitar o jogo como todos os outros.”

O marido de Lisa, Peter, que também estava no Parc des Princes, disse que o tratamento dado a fãs deficientes deve melhorar.

“Eu acho que é inacreditável nos tempos atuais,” ele disse. “Eu não sei porque eles não podem achar espaço para os fãs deficientes se sentarem com sua própria torcida em partidas fora de casa.”

Uefa e Paris Saint Germain ambos se recusaram a comentar sobre o assunto enquanto a investigação acerca das acusações não se concretiza.

Thiago Braga