Mourinho elogia equipe e alfineta Arsène Wenger

Treinador chega a 13 partidas invictas contra o rival londrino e fica a duas vitórias do título

Mourinho por várias vezes pediu penal na partida (Foto: Getty Images)

Mourinho por várias vezes pediu penal na partida (Foto: Getty Images)

O Chelsea conquistou um empate fundamental na tarde deste domingo (26). Jogando contra o Arsenal no Emirates Stadium, os Blues ficaram no zero a zero. Agora, a equipe de José Mourinho completa 15 partidas sem perder e está a duas vitórias de conquistar o título inglês. Além disso, Mourinho completa 13 partidas invictos contra o Arsenal.

O treinador começou sua coletiva comentando a atuação do capitão John Terry. Tanto que o zagueiro foi escolhido o homem do jogo pela equipe do Chelsea Brasil.

“John Terry foi incrível! Ele teve partidas fantásticas nos últimos cinco ou seis anos trabalhando juntos, e alguns deles com metas. Ele teve um grande desempenho em Highbury na minha primeira temporada, mas hoje tudo estava perfeito – sua leitura do jogo, dando cobertura ao redor da linha defensiva, suas intercepções de passe. A equipe foi fenomenal, mas John foi um passo à frente de todos os jogadores.”

Mourinho também falou sobre a atuação das duas equipes e também da arbitragem.

“Foi um jogo muito bom. Eu não tenho que analisar o meu adversário, mas eu acho que eles foram bem. Minha equipe foi muito, muito bem. Foi um resultado positivo e um resultado justo, se você esquecer as penalidades, e eu quero esquecê-las, o árbitro teve um bom desempenho e seus assistentes tiveram um desempenho muito sólido, por isso estou feliz com a arbitragem.”

Já analisando o jogo em si, o técnico explicou a escolha por Oscar, e a mudança no segundo tempo por Drogba.

“A ideia era que Drogba não poderia jogar com a gente nesta partida até ontem e sabíamos que, com Oscar obteríamos chances como fizemos tantas vezes no primeiro tempo, com três penalidades e Ramires cara a cara com o goleiro. Em 45 minutos, foi difícil para Mertesacker e Koscielny.

“No segundo tempo nós estávamos jogando com um homem fixo e muito mais no contra-ataque, mas cada vez que recuperávamos a bola para ir para o contra-ataque, o Arsenal fazia uma falta tática. O árbitro foi bem, dando cartões amarelos para três de seus jogadores.”

Mourinho também comentou a volta de Cesc Fàbregas ao Emirates, onde foi muito vaiado.

“Ele é o último cara que fica nervoso. Estava muito confiante e nós jogamos ele numa posição onde ele poderia ter mais controle de jogo, mas com um cartão amarelo, fica difícil de jogar numa posição por um tempo. No segundo tempo coloquei Ramires lá e Cesc em uma posição mais ofensiva, onde ele não tem tantas ações defensivas para não arriscar um possível segundo amarelo, mas o seu desempenho foi sólido como todos na minha equipe.”

No final da partida os torcedores do Arsenal ficaram frustrados por não conseguir a vitória e diminuir a diferença na tabela, e criticaram o futebol do Chelsea com gritos de ‘Boring Chelsea’ (Chelsea chato). Mourinho respondeu isso com uma alfinetada.

“Chato é ficar 10 anos sem um título! Isso é muito chato, quando você apoia um clube fica esperando, esperando, esperando por tantos anos… mas talvez eles não estavam cantando para nós. Quando você está em casa e quer ganhar o jogo e você tira o seu centro-avante, talvez para os torcedores da casa que queriam mais… queriam jogar com Giroud juntamente com Welbeck nos últimos minutos.”

“O time chato é aquele com o segundo melhor ataque na Premier League e o melhor saldo de gols. Nós marcamos muitos gols e em um período em que não temos Diego Costa e Loic Rémy e estamos apenas com um atacante, mudamos um pouco e eles não estão marcando tantos quanto antes, mas mesmo assim só o Manchester City fez mais gols.”

Cristino Melo