Holanda vira contra o México e está nas quartas

Sneijder fez o decisivo gol de empate holandês (Foto: Reprodução/FIFA)

Sneijder (à dir.) fez o decisivo gol de empate holandês (Foto: Reprodução/FIFA)

Depois de Brasil e Colômbia, hoje foi a vez da Holanda avançar as quartas de final. Dominada pelo México durante boa parte do jogo, a Holanda saiu em desvantagem, mas, com gols de Wesley Sneijder e Klass-Jan Huntelaar, virou o jogo.

Com a vitória, os holandeses aguardam o vencedor de Costa Rica e Grécia, que jogam às 17h deste domingo, para saber quem será seu próximo adversário na Copa do Mundo. A partida acontecerá no próximo sábado (05), na Fonte Nova, em Salvador.

Sob forte calor, México dominou o Primeiro Tempo

Desde o início do Primeiro Tempo viu-se a equipe mexicana mais ligada no jogo. Marcando pressão, a seleção tricolor dificultou muito a saída de bola holandesa, que foi obrigada, ainda aos oito minutos, a realizar sua primeira alteração. Lesionado, o volante Nigel de Jong deu lugar ao zagueiro Bruno Martins Indi. Com a alteração, o lateral esquerdo Daley Blind, que iniciou o encontro compondo o trio de zagueiros com Stefan de Vrij e Ron Vlaar, passou a jogar no meio-campo. Curiosamente, o ala holandês, pelo lado esquerdo, foi o atacante Dirk Kuyt.

A “blitz” mexicana começou logo aos dois minutos de partida, quando o lateral esquerdo Miguel Layun – que é destro – puxou a bola da ala para o meio e finalizou de média distância, sem perigo para o gol de Jasper Cilessen. O mesmo Layun e o volante Carlos Salcido ainda arriscariam mais vezes de fora da área. Aos 16 minutos, após ajeitada de Oribe Peralta, o volante Héctor Herrera chutou com perigo da entrada da área neerlandesa.

Bem marcados, Arjen Robben e Robin van Persie pouco apareceram. As chances holandesas de maior perigo, mas pouco eficazes, saíram da cabeça de  Georginio Wijnaldum, aos 20 minutos, e de van Persie, aos 26. Do lado mexicano, insinuante, Giovanni dos Santos perdeu duas boas chances uma aos 27 minutos e outra depois dos 40, já no final da primeira etapa.

Houve ainda a reclamação holandesa de um possível pênalti em Arjen Robben, no final dos primeiros 45 minutos. Neste lance, o zagueiro mexicano Hector Moreno lesionou-se e deixou o gramado. Ao final do Primeiro Tempo a Holanda registrou 53% de posse de bola, que foi, porém, inócua, uma vez que os mexicanos seguiam fechando os espaços da Laranja Mecânica.

Aos 31 minutos, o árbitro Pedro Proença paralisou a partida para que fosse feita a hidratação dos atletas.

Pressionada, Holanda avançou e conseguiu a vitória no final da partida

Logo no volta do intervalo, com a entrada de Diego Reyes na vaga de Moreno, o México, aos três minutos, abriu o placar em excelente finalização de fora da área de Giovanni dos Santos. A partir daí, a Holanda, de forma desorganizada e pouco eficiente, lançou-se à frente. Aos oito minutos, Sneijder teve boa chance de empatar a partida, mas, em cobrança de falta, acertou a barreira. Aos 10, foi a vez de Peralta exigir boa defesa do goleiro Cillessen.

Buscando dar maior ofensividade à equipe, aos 11 minutos, o treinador holandês Louis van Gaal tirou o lateral Paul Verhaegh e colocou o atacante Memphis Depay em campo. Com a alteração, Kuyt passou a cobrir a ala direita e o zagueiro Martins Indi ocupou a lateral esquerda.

No minuto seguinte, após cobrança de escanteio, o goleiro Guillermo Ochoa fez milagre em cabeçada de de Vrij. Pouco depois, foi a vez de Sneijder levar perigo à meta mexicana, em chute que desviou na defesa. Logo após, aos 16 minutos, o treinador Miguel Herrera sacou Giovanni dos Santos e colocou Javier Aquino em seu lugar.

O jogo prosseguiu da mesma forma, com uma pressão desorganizada da Holanda. Aos 29 minutos, Chicharito Hernández ingressou no lugar de Peralta, pelo lado mexicano, e aos 31, Huntelaar substituiu Robin van Persie, que, muito isolado, não fez uma boa partida. Neste momento, o árbitro português Pedro Proença, novamente, paralisou a partida para a hidratação dos jogadores. Com a bola rolando, aos 34 minutos Salcido arriscou bom chute da entrada da área holandesa.

Aos 43 minutos, veio o primeiro castigo para os mexicanos, que após o gol sofrido só se defenderam. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Sneijder arrematar com estilo da entrada da área, sem chances para o goleiro Ochoa. Era o empate laranja. Com novo ânimo, Robben fez boa jogada e foi derrubado na área por Rafa Márquez. Huntelaar, que entrara há pouco, conferiu o pênalti e deu números finais à partida.

FICHA TÉCNICA

HOLANDA 3 X 1 MÉXICO

Local: Estádio Castelão, Fortaleza (CE)

Data: 29 de junho de 2014, domingo

Horário: 13h (horário de Brasília)

Holanda: Cilessen; Verhaegh (Depay), de Vrij, Vlaar, Blind; de Jong (Martins Indi), Wijnaldum, Sneijder; Kuyt, van Persie (Huntelaar) e Robben. Téc.: Louis van Gaal

México: Ochoa; Aguilar, F. Rodriguez, R. Marquez, H. Moreno (D. Reyes), Layun; C. Salcido, H. Herrera, A. Guardado; G. dos Santos (Aquino)e Peralta (Chicharito). Téc. Miguel Herrera

Árbitro: Pedro Proença (POR)

Assistentes: Bertino Miranda e Jose Trigo (POR)

Público: 58.817 torcedores

Gols: Giovanni dos Santos, 48, Sneijder, 88 e Huntelaar, 90+3 minutos.

Cartões Amarelos: Aguilar, Rafa Márquez e Guardado (MEX)

Cartão Vermelho:

Durante toda a Copa do Mundo, o Chelsea Brasil fará a cobertura do torneio, informando, com o já conhecido empenho, o dia-a-dia dos jogadores dos Blues.

Wladimir de Castro Rodrigues Dias

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 24 anos. A preferência é o futebol bretão, mas me interesso pelo esférico rolado em qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também no O Futebólogo, no Doentes por Futebol e na Corner.